NFL

Extensões de Myles Garrett e Chris Jones reforçam a importância da linha defensiva na NFL

Myles Garrett, defensive end do Cleveland Browns, e Chris Jones, defensive tackle do Kansas City Chiefs

(Crédito: montagem sobre reprodução)

Os jogadores de linha defensiva são os novos quarterbacks. Sim, as renovações do Cleveland Browns com Myles Garrett e do Kansas City Chiefs com Chris Jones deixam isso ainda mais evidente.

Em uma terça-feira (14) movimentada na National Football League, vimos esses dois monstros de linha defensiva chegarem a novos acordos gigantescos com suas respectivas equipes. Os dois apertos de mão foram noticiados em primeira mão por Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Vamos detalhar cada um deles, primeiramente.

Myles Garrett está finalizando uma renovação de cinco anos com os Browns e ela (que ainda não está totalmente finalizada, mas está nos pontos finais) prevê:

  • US$ 125 milhões no total dos cinco anos de extensão (US$ 25 milhões/temporada);
  • US$ 144 milhões ao longo de sete anos (somados os dois anos remanescentes no contrato de calouro), o que tornará Garrett o ‘não-quarterback’ mais bem pago da NFL;
  • US$ 50 milhões totalmente garantidos já na assinatura do acordo;
  • US$ 100 milhões em garantias totais.

Garrett está assinando esse acordo depois de passar em um teste físico nesta terça, segundo Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana. Com a extensão, ele vai se tornar o defensor mais bem pago da NFL em salário anual, ultrapassando o pass rusher Khalil Mack, do Chicago Bears, que fatura US$ 23 milhões por temporada.

Já em relação ao acordo de Chris Jones com os atuais campeões do Super Bowl, a extensão é de quatro anos. Segundo os agentes do atleta, que detalharam o contrato a Rapoport e Schefter, o acordo prevê:

  • US$ 85 milhões no total (US$ 5 milhões em incentivos por produtividade);
  • US$ 37 milhões totalmente garantidos na assinatura do contrato;
  • US$ 60 milhões em garantias totais.

Jones havia recebido a franchise tag dos Chiefs e tinha até esta quarta para fechar um contrato de longa duração antes da temporada 2020 da NFL. A extensão com o jogador de interior de linha defensiva se dá uma semana depois do megacontrato do quarterback Patrick Mahomes com os Chiefs.

Agora, vamos falar um pouco de cada um desses dois jogadores de linha defensiva.

Myles Garrett

Agora sob contrato com os Browns até a temporada 2026 da NFL, Myles Garrett tem apenas 24 anos de idade e ainda é uma joia a ser lapidada. Ele está longe do seu auge na NFL e os Browns resolveram garantir que ele nem tenha a chance de deixar a organização de Ohio.

Selecionado com a primeira escolha geral do Draft NFL 2017, vindo da Universidade de Texas A&M, ele se tornou um pass rusher dominante desde que entrou na liga. Desde 2017, ele é o quarto em sacks por jogo (0.82) em toda a NFL.

Em dez jogos na temporada passada, o camisa 95 somou dez sacks (um por partida). E ele só não teve mais porque foi suspenso pelos últimos seis jogos do campeonato depois de agredir o quarterback Mason Rudolph, do Pittsburgh Steelers, com o próprio capacete do QB rival.

A NFL reintegrou Garrett em fevereiro e, agora, ele está livre para atuar e continuar mostrando que merece os milhões de dólares investidos nele.

Em 37 jogos na liga até agora, Garrett soma 30,5 sacks, seis fumbles forçados, um fumble recuperado e 104 tackles combinados, além de quatro passes desviados.

Chris Jones

Atualmente com 26 anos de idade, Chris Jones liderou os Chiefs em sacks em cada uma das últimas duas temporadas. Foram 15,5 sacks em 2018 (em 16 jogos disputados) e nove sacks em 2019 (em 13 jogos disputados, já que perdeu três devido a uma lesão na virilha).

Os 15,5 sacks em 2018 o deixaram em terceiro na liga naquele ano, atrás apenas de Aaron Donald, do Los Angeles Rams, e de J.J. Watt, do Houston Texans. Naquela temporada, Jones estabeleceu um novo recorde da NFL de jogos consecutivos com pelo menos um sack, com uma sequência de 11.

Jones não conseguiu anotar um sack durante a vitória no Super Bowl LIV, mas teve um papel decisivo no título dos Chiefs. Sua pressão em cima do quarterback Jimmy Garoppolo, do San Francisco 49ers, forçou uma interceptação no segundo quarto da final. Jones também desviou três passes de Garoppolo.

Selecionado na segunda rodada do Draft NFL 2016, com a 37ª escolha geral, vindo da Universidade de Mississippi State, Chris Jones é a âncora da linha defensiva de Kansas City. E foi recompensado como tal.

Em 61 jogos de temporada regular em sua carreira, Jones soma 33 sacks, sete fumbles forçados, 136 tackles combinados e duas interceptações, além de 20 passes defendidos.

Linha defensiva é a menina dos olhos na NFL

As renovações com Garrett e Jones, além dos drafts recentes da NFL, mostram o quanto os defensive linemen estão sendo valorizados no futebol americano moderno. Se os quarterbacks mudam o jogo no ataque, os pass rushers e jogadores de miolo de linha defensiva são os mais importantes no lado defensivo.

O trabalho, basicamente, é 50% deles. Com pressão na frente, tudo fica mais fácil para linebackers e defensive backs.

Com a renovação de Jones e depois da extensão gigantesca de Mahomes, os Chiefs se tornam o único time da NFL com três jogadores faturando pelo menos US$ 60 milhões garantidos.

Quem é o terceiro?

O defensive end Frank Clark (US$ 62,3 milhões garantidos), sendo este mais um astro de linha defensiva.

Já no caso de Garrett, os Browns sabem o quanto vale um pass rusher com uma capacidade atlética absurda na NFL atual. E, projetando o enorme potencial de evolução do grandalhão, o time de Cleveland resolveu abrir o carro-forte.

Realmente, ser defensive linemen nos dias de hoje é a mesma coisa que ser um franchise QB. Até o nível de glamour tem ficado mais semelhante.

Comments
To Top