NFL

Ex-jogadores da NFL processam fabricante dos capacetes por danos de concussões

(Crédito: Instagram/reprodução)

(Crédito: Instagram/reprodução)

Enquanto a NFL procura mudar regras para evitar os riscos de saúde decorrentes das concussões sofridas pelos jogadores durante a carreira, há quem diga que a liga não é a única responsável por problemas como a encefalopatia crônica traumática. Um grupo de jogadores aposentados decidiu se unir para processar a Riddell, fabricante dos capacetes dos atletas.

Alegando que a empresa não os avisou dos riscos de saúde para os quais o equipamento não oferecia proteção, tais como doenças neurológicas, nomes como o ex-wide receiver do Pittsburgh Steelers Yancey Thigpen entraram com a ação nesta quinta-feira. No processo, eles pedem uma indenização de US$ 50 mil.

Thigpen, hoje aos 46 anos, jogou na NFL de 1991 a 2000, sendo seis destes anos no Pittsburgh Steelers. No processo, ele faz time com Gregory Boone, Larry Brinson, Michael Butler, Craig Curry, James Harrell, Willard Harrell, Robert Harris, Carlton “Bailey” Jones, Brad Quast, Thomas “John” Reaves, John Michael Reichenbach, Adam Schreiber e Eric Wright.

Vale destacar que este processo chega apenas uma semana depois do de Paul Hornug. Antigo vencedor do Heisman Trophey e membro do Hall da Fama, o ex-running back do Green Bay Packers sofreu várias concussões no decorrer de sua carreira e decidiu processar a Riddell por não protege-lo contra danos permanentes.

Esse tipo de processo vem se tornando mais comum conforme as pessoas passam a ter acesso a mais informações sobre as consequências de lesões na cabeça. Em 2014, por exemplo, um estudante do Ensino Médio entrou com uma ação contra a Riddel, por considerar a empresa responsável por sua grave lesão cerebral, adquirida em uma atida de capacete com capacete. Neste caso, a fabricante dos capacetes saiu vitoriosa do processo.

Comments
To Top