NFL

Eric Berry gera interesse no Indianapolis Colts; veja boletim

Eric Berry, safety da NFL

O safety Eric Berry passou um ano afastado da National Football League e, agora, ele deseja voltar. E o Indianapolis Colts está aparecendo como um interessado.

O jornalista Jim Trotter, da ‘NFL Network’, noticiou no NFL NOW desta sexta-feira (28) que o destino mais provável para o defensive back é a franquia de Indiana.

Questionado sobre a reportagem, o general manager Chris Ballard se recusou a comentar.

“Mas me disseram que pelo menos houve conversas”, disse Trotter sobre Berry indo aos Colts. “Um dos melhores amigos de Eric Berry é Justin Houston, seu ex-companheiro de equipe em Kansas City, que agora está no Colts”, pontuou o jornalista

Atualmente com 31 anos de idade, Berry é um All-Pro, mas ele atuou em apenas quatro jogos nos últimos três anos, incluindo playoffs. Ele passou o tempo treinando e está pronto para voltar.

Berry rompeu o tendão de Aquiles no primeiro jogo da temporada 2017. Como observa Trotter, o safety acredita que ele tentou voltar rápido demais após a contusão, o que prolongou sua ausência do futebol americano profissional.

O safety foi dispensado pelo Kansas City Chiefs na offseason do ano passado e não atuou na temporada 2019. Ele também sofreu uma ruptura no ligamento cruzado anterior do joelho no começo de sua carreira e teve que superar um linfoma de Hodgkin.

De acordo com Trotter, Berry “teve ofertas” para atuar na temporada passada, mas safety queria assegurar que estava completamente saudável antes de retornar à NFL.

“Eu vi uma gravação dele e ele parece ótimo”, afirmou Trotter.

Confira mais movimentações interessantes na NFL nesta sexta (28):

– O Dallas Cowboys pretende utilizar a franchise tag exclusiva no quarterback Dak Prescott se as duas partes não chegarem a um acordo de contrato de longa duração até o dia 12 de março, prazo final para a utilização da tag. A informação foi apurada por Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

Ainda que os Cowboys sempre tenham planejado colocado a franchise tag em Prescott para segurar o jogador, a tag exclusiva muda bastante as coisas.

Enquanto a franchise tag não-exclusiva, a mais comumente usada, tem valor de não menos do que a média dos cinco maiores salários da posição do jogador ao longo dos últimos cinco anos, a tag exclusiva vale a média dos cinco melhores salários do ano atual. E o jogador que recebe essa tag fica proibido de negociar com outras equipes da liga.

A tag exclusiva para QBs nesta temporada tem um valor estimado em cerca de US$ 33 milhões, segundo Rapoport, cerca de US$ 6 milhões a mais do que a franchise tag não-exclusiva.

Se Prescott for marcado com a tag exclusiva no meio de março, seu valor no salary cap seria o terceiro maior entre QBs em 2020, atrás apenas de Jared Goff (US$ 36 milhões), do Los Angeles Rams, e Ben Roethlisberger (US$ 33,5 milhões), do Pittsburgh Steelers, segundo o ‘OverTheCap.com’.

Jameis Winston realmente atuou na temporada 2019, na qual ele lançou para 33 touchdowns e sofreu 30 interceptações, com muitos problemas físicos.

Além de ter sofrido uma fratura no polegar e ter corrigido uma miopia com uma cirurgia LASIK recentemente, o quarterback do Tampa Bay Buccaneers passou por uma cirurgia para reparar uma ruptura no menisco, que precisou ser raspado. A informação é de Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

A cirurgia no menisco passou despercebida quando Winston passou pelo procedimento no olho, como foi observado por uma estação de rádio local na época.

A variedade de lesões em 2019 coloca a temporada de altos e baixos de Winston em perspectiva, já que o signal caller teve que lidar com uma pequena fratura no polegar direito e ainda apareceu no relatório de lesões na reta final da temporada com uma contusão no joelho.

Em outra notícia relacionada aos Bucs, o time está considerando seriamente utilizar a franchise tag no pass rusher Shaquil Barrett se as duas partes não conseguirem chegar a um acordo de longa duração. A informação é de Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana,

Isso significa, basicamente, que caso usem a tag em Barrett, os Bucs abdicariam do direito de tentar segurar Winston antes de ele ficar à disposição na free agency. Curioso.

– Após sua lesão não curar bem nesta offseason, o wide receiver Mohamed Sanu vai precisar passar por cirurgia no tornozelo. A informação é de Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana.

Sanu lesionou seu tornozelo em um retorno de punt de 14 jardas durante a partida do New England Patriots contra o Philadelphia Eagles, no dia 17 de novembro. Aquele foi o seu terceiro jogo com a camisa dos Pats, depois de ser adquirido em troca junto ao Atlanta Falcons no meio da temporada.

Os Patriots tinham altas expectativas em relação a Sanu, tendo cedido uma escolha de segunda rodada de draft aos Falcons para adquiri-lo em outubro. O wideout até mostrou um retorno imediato do investimento, somando 10 recepções para 81 jardas e um touchdown na derrota para o Baltimore Ravens, no começo de novembro.

Contudo, a entorse no tornozelo no jogo seguinte complicou o restante do primeiro ano do WR em New England.

Sanu vai entrar no ano final de seu contrato em 2020 e deve faturar um salário-base de US$ 6,5 milhões.

– Em um ano em que muitos dos principais prospectos para o draft de 2020 estão optando por não se apresentar no NFL Scouting Combine, o cornerback Jeff Okudah vai sim demonstrar suas habilidades em Indianápolis.

Okudah, que é da Universidade de Ohio State, está preparado. Ele até manteve os números cravados no Combine por grandes nomes da NFL como Jalen Ramsey e Patrick Peterson ao alcance dos olhos como motivação.

“Acho que ir ao Combine sempre foi um sonho”, disse Okudah, nesta sexta. “Então, apenas estar aqui é um sonho que se tornou realidade e acho que você volta e assiste a todos esses vídeos do Combine. Para mim, eu assisti o vídeo do Combine de Jalen Ramsey, o vídeo do Combine de Patrick Peterson, eu quero que alguém lá na frente diga: ‘Eu quero assistir ao vídeo do Combine de Jeff Okudah’”, frisou.

Com grande velocidade e flexibilidade, Okudah é considerado por muitos o principal cornerback para o draft de 2020. E por isso mesmo é de impressionar que ele tenha optado por se apresentar no Combine em vez de focar apenas no seu pro day em Ohio State.

Palmas para ele, afinal.

Comments
To Top