NFL

Em entrevista, Kareem Hunt assume toda a culpa por escândalo de agressão

Kareem Hunt, running back do Kansas City Chiefs

(Crédito: Twitter/reprodução)

Kareem Hunt concedeu uma longa entrevista à jornalista Lisa Salters, da ‘ESPN’ norte-americana, neste domingo (2), e disse que estava “errado” durante um incidente em que ele empurrou e chutou uma mulher no corredor de um hotel em Cleveland.

“Foi apenas uma noite longa”, disse Hunt na entrevista, referindo-se ao incidente ocorrido em fevereiro. “Para ser exato, não importa o que aconteceu. Eu estava errado. Eu poderia ter assumido a responsabilidade e tomado a decisão certa para encontrar uma maneira de controlar a situação”, prosseguiu.

Hunt pediu desculpas à mulher agredida, ao Kansas City Chiefs e à sua família.

O ex-running back dos Chiefs afirmou que, se tivesse a chance de conversar com a mulher novamente, ele falaria: “eu sinto muito por minhas ações naquela noite”.

O Kansas City Chiefs anunciou que estava dispensando Hunt na noite da última sexta (30), horas depois de o vídeo da agressão ser publicado pelo ‘TMZ’.

No vídeo do incidente, Hunt e a mulher discutem em um corredor e são separados por várias pessoas em diversas ocasiões. Hunt empurra a mulher, que revida com um golpe no rosto do atleta. Então, dois homens afastam o running back antes de ele voltar furioso e colidir com um homem que então derruba a mulher devido ao impacto.

Logo depois, Hunt dá um chute na perna da moça, enquanto ela ainda estava caída no chão, aparentemente zonza depois de bater a cabeça na parede.

No comunicado sobre o corte, os Chiefs disseram que Hunt mentiu sobre o que aconteceu e isso levou à decisão de mandar o astro ofensivo embora.

Na entrevista à ‘ESPN’, Hunt confirmou essa versão da franquia do Missouri.

“Eu não contei tudo a eles. Eu não os culpo por nada. Minhas ações causaram isso”, afirmou.

Depois que o vídeo veio à tona e pouco antes do anúncio dos Chiefs de dispensar o jogador, Hunt foi colocado na lista de isenção do comissário pela National Football League. Isso significa que ele está proibido de treinar e participar de jogos mesmo que seja contratado por outro time.

“Os Chiefs fizeram o que era certo”, admitiu.

Hunt disse que a NFL nunca conversou diretamente com ele sobre a agressão ou pediu que ele falasse sobre o incidente.

Segundo informações apuradas pelo jornalista Adam Schefter, da ‘ESPN’, alguns proprietários de times da NFL “estão irados” com o fato de o departamento legal e de investigações da liga não ter entrevistado Kareem Hunt sobre o episódio ocorrido em fevereiro.

Fontes disseram a Schefter e Chris Mortensen, também da ‘ESPN’, que a liga não entrevistou a mulher agredida em sua investigação.

A liga tentou entrar em contato com a mulher e conhecidos dela em várias ocasiões, mas eles não responderam, de acordo com fontes.

Em um comunicado oficial emitido na tarde deste domingo, a NFL afirmou que “continua a correr atrás de uma compreensão completa dos fatos” e que sua investigação “incluiria mais tentativas de conversar com as partes envolvidas”.

A ‘ESPN’ tentou entrar em contato com a mulher agredida, mas não teve sucesso.

A situação envolvendo Hunt gerou comparações com o incidente de fevereiro de 2014, quando Ray Rice desferiu um soco em sua então noiva. Ex-running back do Baltimore Ravens, Rice nunca mais jogou na NFL depois do vídeo de sua agressão ser divulgado pelo ‘TMZ’.

Rice concedeu uma entrevista à ‘NFL Network’ neste final de semana, frisando que estaria disposto a conversar com Hunt sobre o ocorrido e tentar ajudá-lo a seguir em frente.

“Cara a cara, eu definitivamente tentaria ajudá-lo a descobrir: ‘como podemos começar a lidar com os problemas subjacentes em sua vida?’. Porque ele tem uma vida longa pela frente, este será um momento decisivo, mas não deve ser o momento que define você. Para mim, eu apenas vejo que você tem uma vida longa para viver e isso não significa apenas jogar futebol americano. Você apenas precisa viver um dia de cada vez”, afirmou Rice.

Como calouro em 2017, Hunt liderou a NFL com 1.327 jardas na temporada. Nesta temporada 2018, ele estava em quinto entre corredores com 824 jardas terrestres e também fez 26 recepções, com 14 touchdowns totais (sete corridos e sete recebidos).

Hunt foi um dos melhores jogadores ofensivos dos Chiefs neste ano e ajudou o time a chegar à semana 13 com nove vitórias e duas derrotas, melhor campanha da Conferência Americana (AFC).

Atualmente com 23 anos de idade, Kareem Hunt espera voltar a receber uma chance na NFL, mas ele não sabe se isso vai acontecer.

“Eu trabalhei para isso durante toda a minha vida. Eu dei tudo e sacrifiquei muito por isso. (…) Eu farei tudo o que puder para ajudar a vencer”, observou. “Esse não sou eu. Essa não é a pessoa que sou. Está lá. Aconteceu. Estou com muita vergonha. Estou envergonhado por mim mesmo”, finalizou.

Comments
To Top