NFL

Em coletiva, Matt Patricia volta a se defender após acusações de agressão sexual

Matt Patricia, técnico do Detroit Lions

(Crédito: Twitter/reprodução)

Um dia depois de uma antiga acusação de agressão sexual vir à tona em uma reportagem publicada pelo jornal ‘Detroit News’, o técnico Matt Patricia concedeu uma entrevista coletiva de sete minutos de duração e voltou a se defender veementemente.

Como fez no comunicado que emitiu na madrugada desta quinta (10), o técnico do Detroit Lions se disse inocente do caso ocorrido em 1996, quando ele tinha 21 anos de idade, e voltou a afirmar que foi falsamente acusado.

Patricia foi acusado há 22 anos de ter agredido sexualmente uma mulher em South Padre Island, no Texas, no spring break daquele ano.

“A verdade está do meu lado. Eu vivi com a tortura mental da situação em que os fatos podem ser completamente ignorados ou distorcidos, desconsiderando a consequência e a dor que isso criaria para outra pessoa”, declarou o head coach da franquia de Michigan. “Eu acho injusto e perturbador que alguém traga essa queixa à tona mais de duas décadas depois com o único propósito de ferir minha família, meus amigos e essa organização com a intenção de tentar danificar meu caráter e credibilidade”, prosseguiu.

“Eu era inocente então e sou inocente agora. Deixem-me ser claro. Minhas prioridades seguem as mesmas, seguir em frente e me esforçar para ser o melhor treinador, professor e homem que eu puder”, observou.

A acusação nunca foi a julgamento, e o caso foi indeferido em janeiro de 1997, depois que a mulher que fez a acusação foi “incapaz de testemunhar e não pôde dar uma data certa de quando estará disponível”, de acordo com a documentação do indeferimento. “A vítima não sente que possa enfrentar as pressões ou o estresse de um julgamento. A vítima pode solicitar que o caso seja apresentado em uma data posterior”.

Na documentação, consta que a mulher solicitou o indeferimento e o caso nunca foi levado a julgamento.

Patricia se negou a entrar em detalhes sobre a noite do suposto caso em 1996.

Segundo a acusação recebida pela ‘ESPN’ norte-americana nesta quinta, Patricia supostamente teve relações sexuais sem o consentimento da mulher e ele e seu amigo, Gregory Dietrich, “obrigaram a vítima a se submeter e participar por meio do uso de força física e violência”.

O head coach dos Lions não disse se fez sexo com a mulher, limitando-se a afirmar que não fez nada de errado.

“Fui acusado de algo que não fiz. Eu passei pelo processo e o caso foi indeferido”, falou.

Sheldon Weisfeld, advogado listado como representante de Dietrich, disse à ‘ESPN’ via e-mail que não tem lembrança do caso e que destrói seus arquivos após 10 anos.

Matt Patricia deu suas declarações nesta quinta em uma coletiva concedida em um palco com o logo dos Lions atrás e com Martha Ford, dona da franquia, Rod Wood, presidente dos Lions, e Bob Quinn, general manager da organização, sentados ao lado. Ninguém da diretoria respondeu a perguntas.

Atualmente com 43 anos de idade, Patricia afirmou que as acusações jamais entraram em pauta em entrevistas anteriormente e que nunca “fez parte de um processo no qual eu estive envolvido”. O treinador disse que, nas ocasiões em que foi questionado sobre isso, ele foi honesto sobre o que aconteceu.

Perguntado se os Lions o questionaram se ele já havia sido detido por um crime durante sua entrevista com o time, Patricia foi ambíguo, mas ressaltou que respondeu a todas as perguntas que lhe fizeram.

“No que diz respeito ao processo de entrevista, não houve nada que, e Rod havia falado sobre isso antes, sobre o processo, que eu não tivesse respondido”, ressaltou.

Posteriormente, o head coach disse que ninguém dentro da organização sabia sobre a acusação no momento de sua contratação e que “nunca foi mencionado no processo de entrevista, mas eu sempre fui sincero quando foi abordado”.

Nesta quinta, a National Football League afirmou que iria “revisar o caso com o time para compreender as acusações e o que o time descobriu”.

Bill Belichick, técnico do New England Patriots, franquia em que Patricia trabalhou em várias funções de assistente entre 2004 e 2017, também disse que a organização de Foxborough não estava ciente do caso.

“Por 14 anos em nossa organização, Matt se portou com grande integridade e é conhecido por ser um excelente treinador, pessoa e homem de família. Sempre tivemos confiança no caráter de Matt e o recomendamos muito para se tornar o head coach do Detroit Lions”, disse Belichick, em nota.

Na noite da última quarta/madrugada desta quinta, o Detroit Lions expressou apoio a Matt Patricia em um comunicado oficial.

Patricia ainda disse na coletiva desta quinta: “eu sou 100 por cento técnico do Detroit Lions”.

Comments
To Top