NFL

Eli Manning diz adeus: “foi importante para mim me aposentar como um Giant”

Eli Manning, quarterback do New York Giants

O quarterback Eli Manning disse adeus de maneira oficial nesta sexta-feira (24). Em uma coletiva de imprensa, o astro do New York Giants pendurou o capacete após 16 temporadas dedicadas à National Football League.

E com dois Super Bowls no currículo.

No evento, muitos membros da imprensa, familiares, amigos e ex-companheiros de equipe e ex-treinadores (até mesmo os dois Troféus Vince Lombardi presentes) viram Eli sendo Eli. Simples e sem arrependimentos.

“Desde o primeiro momento, eu fiz do meu jeito. Eu não poderia ser outra pessoa além de quem eu sou. Sem dúvidas, eu teria deixado os fãs, a imprensa, até mesmo a diretoria mais confortável sendo um cara explosivo”, afirmou o sempre simples QB. “Mas esse não sou eu. Por fim, escolhi acreditar que meus companheiros de equipe e os fãs aprenderam a apreciar isso. O que eles conseguiram foi o Eli puro e inalterado”, refletiu.

Atualmente com 39 anos de idade, Manning disse que não tem planos imediatos. Contudo, no futuro, ele admite que um trabalho nos Giants é, sim, uma possibilidade.

Eli admitiu que vai sentir falta do tempo com os companheiros, da preparação e das cervejas no fundo do ônibus depois das vitórias. Mas, agora, Elisha pretende passar alguns momentos revivendo na memória as horas felizes na NFL, aproveitando a vida e também sendo assistente técnico do time de basquete de sua filha, que está na terceira série.

“Wellington Mara sempre disse ‘Uma vez um Giant, sempre um Giant’. Para mim, é apenas um Giant”, frisou. “Eu acho que foi importante para mim me aposentar como um Giant. Acho que, quando você chega, quando é draftado, você chega a uma organização e sempre tem o objetivo de permanecer nela durante toda a sua carreira. Conforme você se aproxima do final, nem sempre funciona assim. Você ainda tem desejos de jogar alguma hora. Acho que é importante, os fãs, a organização, essa família com os Giants tem sido tão notável. Acho que foi a coisa certa encerrar a carreira em vez de tentar arrancar a minha família, sair e tentar outro lugar. Essa foi a decisão certa. Eu sei que é. Estou em paz com isso e foi isso o que tornou esse dia um pouco mais fácil”, analisou.

O NY Giants adquiriu Manning em uma troca no dia do draft de 2004, junto ao San Diego Chargers. E, vestindo apenas a camisa azul em toda sua trajetória, ele se tornou o líder em passes da franquia em quase toda categoria.

Ele liderou o time aos títulos das temporadas 2007 e 2011, batendo o New England Patriots em ambas as ocasiões.

Manning teve uma série de 222 jogos consecutivos como titular desde o início de sua temporada de calouro até a temporada 2017. Em seu último ano na NFL, em 2019, ele foi substituído pelo calouro Daniel Jones como QB titular após apenas dois jogos.

Ainda assim, ele teve uma despedida como titular em dezembro, depois que Jones se lesionou, e comandou a equipe em uma vitória sobre o Miami Dolphins.

“Aquela foi a minha despedida e um momento que irei amar para sempre”, relembrou.

No total, são 236 jogos de Eli Manning em temporadas regulares, com 60,3% de passes completados para 57.023 jardas, 366 touchdowns e 244 interceptações. Com a mobilidade de uma Kombi, ele ainda correu para 567 jardas e sete TDs.

“E, para os fãs dos Giants, vocês são definitivamente únicos. Mas eu amo vocês por isso. Estou indo embora hoje me sentindo um nova-iorquino. Bem, ao menos um cara do nordeste. E isso diz muito sobre um cara de Nova Orleans que foi para Ole Miss (universidade)”, pontuou.

Camisa número 10 será aposentada

John Mara, coproprietário dos Giants, frisou que Manning sempre será o “exemplo de Giant” e revelou que a franquia nova-iorquina imediatamente vai colocar o signal caller no Ring of Honor da organização na próxima temporada e aposentará a camisa número 10.

“Nenhum Giant voltará a usar o número 10 novamente”, afirmou o executivo.

Tom Brady parabeniza Eli, mas…

Tom Brady, astro do New England Patriots, foi o derrotado nos dois maiores jogos da carreira de Manning. Afinal, foram os Pats que perderam os dois SBs que os Giants conquistaram com Eli atrás do center.

E, após a oficialização da aposentadoria do companheiro de posição, Tom Brady parabenizou Eli via Twitter. Mas não sem uma pitada de bom humor.

“Parabéns pela sua aposentadoria e uma grande carreira Eli! Não vou mentir, eu gostaria que você não tivesse ganhado nenhum Super Bowl”, escreveu Brady na rede social.

Apesar do tom bem-humorado, Manning observou que as derrotas provavelmente ainda incomodam seu rival dos Patriots.

“Acho que já estive com Tom várias vezes e vejo com ele é competitivo, e brincamos um pouco, mas acho que não é muito engraçado para ele”, falou Eli, ao ser questionado pela jornalista Kimberly Jones, da ‘NFL Network’, sobre o tweet durante sua coletiva de aporesentadoria.

No Super Bowl XLII foi a recepção com o capacete de David Tyree, em um lançamento impressionante de Manning. E, no Super Bowl LXVI, outro passe espetacular para Mario Manningham na lateral do campo durante a campanha decisiva.

Peyton manda recado para o irmão

Peyton Manning, lendário quarterback do Indianapolis Colts e do Denver Broncos, falou sobre a aposentadoria do seu irmão querido.

“Eu joguei em quatro Super Bowls. Consegui estar no lado vencedor em dois. E eu acho que as pessoas não acreditam em mim quando digo que minha memória favorita de Super Bowl foi assistir meu irmãozinho comandar o New York Giants em campo em um ataque de dois minutos e derrotar o invicto Patriots e tudo o que veio com isso. Talvez eu não estivesse tão feliz quando os Dolphins de 72… mas cheguei bem perto”, falou. “Ele fez isso. Há aquela famosa frase de Bill Parcells depois que ele diz ao time deles: ‘não deixem ninguém nunca lhes dizer que vocês não podem fazer isso, porque vocês fizeram’. Ele fez isso e fez do jeito certo por um bom tempo”, prosseguiu.

E Peyton sempre teve seu irmão como seu jogador preferido na liga.

“Estou feliz por Eli porque sei que ele está em paz e ele dedicou muito tempo e reflexão nesta decisão, mas estou triste porque não vou vê-lo mais jogar. Depois de meu pai e Dan Marino, Eli realmente era o meu jogador favorito. E, então, terei que encontrar um novo. Mas, por realmente 19 anos, voltando aos três anos dele em Ole Miss, 16 anos na NFL, eu gostei de vê-lo jogar, vê-lo competir, vê-lo crescer como um homem. Foi uma baita de uma trajetória”, completou.

O Twitter do NY Giants ainda publicou uma mensagem de Peyton para Eli:

“Você não tem que falar sobre quão durão você é. Você simplesmente mostra às pessoas quão durão você é, e ele fez isso.

Ser titular em 200 jogos consecutivos, chamando a responsabilidade pelos companheiros, isso é o que dureza é. Então, como irmão dele, eu tenho tal admiração e amor por ele. Mas, como um quarterback, eu tenho incrível respeito por sua dureza, sua responsabilidade, suas habilidades de liderança”.

Comments
To Top