NFL

Drew Stanton critica sistema de desenvolvimento de quarterbacks na NFL

Bruce Arians, técnico do Arizona Cardinals, e Drew Stanton, quarterback

(Crédito: Twitter/reprodução)

Se mencionarmos alguns dos chamados jogadores ‘rodados’, como costumamos dizer no Brasil, na National Football League, Drew Stanton certamente estará na lista. Desde que entrou na liga em 2007, quando foi selecionado pelo Detroit Lions na segunda rodada do draft, o quarterback passou por quatro times e viveu muitos altos e baixos.

Ele foi terceiro QB, primeiro reserva e titular, fez parte de elenco de treinamento (practice squad) e foi promovido. E o atleta de 33 anos de idade sentiu na pele a dificuldade de se desenvolver na liga.

Entrando agora em sua 11ª temporada na NFL e em sua quarta como um dos quarterbacks do Arizona Cardinals, Stanton é um grande crítico do sistema atual da liga para preparar jovens signal callers. Para ele, os times estão mais preocupados em achar agentes livres bons para preencher elenco ou em deixarem QBs no practice squad em vez de dar chance para os jogadores evoluírem.

“É tão difícil se desenvolver como um quarterback nesta liga hoje em dia. A NFL está, infelizmente, se dirigindo para uma tendência ruim. Quando eu entrei na liga, você poderia ser um terceiro (QB) inativo no dia de jogo, como era quando eu era mais jovem. Isso continua agora, eles estão tentando salvar vagas e ter caras no elenco de treinamento”, declarou.

Por exemplo, a situação atual do Arizona Cardinals ilustra bastante o que Stanton falou.

Carson Palmer é o titular absoluto da franquia de Glendale e dois reservas com experiência (Stanton e Blaine Gabbert) brigam pelo posto de primeiro reserva. O outro quarterback à disposição no elenco é o calouro não draftado Trevor Knight.

Stanton e Gabbert não são elegíveis para o practice squad, mas Knight sim pode ser rebaixado. Desta forma, a organização terá que decidir se quer manter dois quarterbacks ativos e um no elenco de treinamento ou três QBs ativos e um no practice squad.

“É uma dança das cadeiras, com certeza”, frisou Drew Stanton.

O cenário que Stanton descreveu é uma realidade na NFL atualmente, visto que a grande maioria dos quarterbacks que não são escolhidos na primeira rodada ou no top 50 do draft raramente recebem chances reais de competirem pelo posto de titular.

Comments
To Top