NFL

Drew Brees: com os olhos marejados, escrevo para você

Drew Brees, quarterback do New Orleans Saints

(Crédito: Twitter/reprodução)

Eu poderia começar esse texto com aquele parágrafo normal que segue as regras básicas do jornalismo e conta o que aconteceu. Mas tem um cara que me fez largar tudo isso e deixar o meu lado jornalista de lado. Aqui, quem está falando é o torcedor Bruno Bataglin. O cara que aprendeu a torcer para o New Orleans Saints lá em 2009 e muito por esse tal de Drew Brees.

(Sou obrigado a fazer uma pausa porque meus olhos estão marejados. Você pode não acreditar, leitor do Quinto Quarto. Mas é a mais pura verdade).

Para não deixar o fato fora deste texto, Brees quebrou o recorde de Peyton Manning (71.940 jardas na carreira) e se tornou o quarterback com mais jardas passadas em toda a história da National Football League.

O feito ocorreu no segundo quarto do Monday Night Football contra o Washington Redskins e não poderia ter se concretizado de forma melhor, com um passe lindo para touchdown de 62 jardas anotado pelo wide receiver calouro Tre’Quan Smith.

Brees entrou no jogo como terceiro na história em jardas de passe, com 71.740, e precisava de 201 para superar o recorde de Manning. O touchdown fez com que ele chegasse a 228 na noite e isso antes do intervalo.

Enfim, depois trago mais dados históricos desse feito. Esse texto é para ser diferente, afinal…

É com lágrimas nos olhos que cada torcedor dos Saints viu você fazer história nesta noite. Você, o quarterback que chegou à Louisiana desacreditado, depois de sair do San Diego Chargers com uma lesão grave no ombro, e transformou tudo. Tudo!

Transformou uma franquia que era sinônimo de derrota (você deve ter se acostumado a ouvir o apelido jocoso de ‘Aints’) em um dos times mais poderosos de toda a NFL desde 2006. Você e esse tal de Sean Payton que estava segurando o choro na lateral do campo quando você fez esse passe lindo nesta noite de segunda-feira.

Transformou uma cidade devastada pelo Katrina em um lugar onde a esperança e o sorriso ainda estavam presentes. E muitas vezes foi por culpa sua.

E me transformou em um torcedor dos Saints. Para a vida toda.

Quantos jogos você não nos salvou, mesmo com nossa defesa não jogando nada. Quantas vezes você não fez cada torcedor do NO Saints sentir uma espécie de mágica vendo a bola sair de trás dos grandalhões da linha ofensiva como se estivesse sendo lançada pelo vento (você tem apenas 1,83m, mas é um gigante). Quantas vezes você não fez o impossível parecer trivial.

E o nosso título do Super Bowl XLIV? Ah, Brees, são tantas memórias que nem posso me estender demais para não escrever uma Bíblia.

Eu só quero que você saiba que você é o meu ídolo. O maior da NFL. Dane-se se alguém tentar me provar que Joe Montana, Tom Brady, Peyton Manning ou Dan Marino foi mais QB. Eu admiro todos esses caras, sobretudo Manning, mas você é único.

Você é um jogador único, um Saint único e, certamente, um ser humano único.

Faça sua festa com a dona Brittany e com seus filhos lindos. E saiba que mesmo aqui do Brasil, de uma cidade do interior de São Paulo chamada Sorocaba, tem um cara que está com os olhos marejados por sua causa.

É isso que só os ídolos são capazes de fazer…

– Os bônus:

Houve um recadinho de Peyton Manning após seu recorde ser superado por Brees. E é de chorar de rir!

Brett Favre também enviou os parabéns sinceros.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

The play that broke the passing record. Could it have been any other way!? @drewbrees #WASvsNO 📺: ESPN

Uma publicação compartilhada por NFL (@nfl) em

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

No QB has thrown for more yards than @drewbrees! 👑

Uma publicação compartilhada por NFL (@nfl) em

– Mais sobre o recorde

Logo após superar o recorde e chegar ao topo, o quarterback de 39 anos foi ovacionado por todo o Mercedes-Benz Superdome e houve até uma pausa no jogo para toda a celebração. Brees abraçou sua família e também foi parabenizado por Gayle Benson, proprietária dos Saints.

E bola que selou o recorde foi entregue a David Baker, presidente do Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF), para ficar exposta em Canton, Ohio.

Brees chegou à partida atrás de Brett Favre (71.838) e atrás de Manning.

E, agora, ele está quase 5.000 jardas à frente do outro jogador na lista de maiores passadores entre os que ainda estão em atividade: Tom Brady, do New England Patriots, que está em quarto no ranking com 67.077 jardas aéreas.

Drew Brees precisou de menos jogos do Manning para atingir o topo da lista de maiores passadores da NFL. O astro do New Orleans Saints precisou de 253 partidas para chegar ao feito em comparação aos 266 jogos que o ex-quarterback do Indianapolis Colts e do Denver Broncos precisou.

Brees também tem uma porcentagem de passes completados na carreira (67,1%) superior às porcentagens de Manning (65,3%) e Favre (62%).

Mais cedo neste ano, Brees superou Favre para se tornar o recordista de passes completados.

– E como o jogo terminou

O New Orleans Saints venceu facilmente pelo placar de 43 a 19, como você pode conferir em detalhes no relato do meu caro amigo Miguel Amado.

Mas esse texto é território de Drew Brees e vamos falar sobre o impressionante desempenho individual dele no Monday Night Football: foram 26 passes certos de 29 para 363 jardas e três touchdowns, com nenhuma interceptação lançada.

Ele até fez uma recepção em passe dele mesmo que foi desviado pela defesa dos Redskins e voltou.

O passer rating foi de 153.2, bem próximo da perfeição de 158.3.

Agora, ele soma 72.103 jardas aéreas e 499 passes para touchdown em sua carreira. E contando…

“Há tantas pessoas responsáveis por isso. Duas das pessoas que são mais responsáveis pela minha carreira no futebol americano desde cedo na minha vida estão lá no céu. Minha mãe e meu avô. Havia muitas pessoas que eu queria provar que estavam certas nesta noite e que eu queria deixar orgulhosas, e ninguém mais do que eles. Eu sei que eles estão me vigiando e vigiando meus filhos o tempo todo”, declarou Brees à repórter Lisa Salters, da ‘ESPN’, após o jogo. “Muito grato, muito grato pela oportunidade de jogar este esporte e jogar por tanto tempo. Ter colegas de equipe que eu tenho, a organização New Orleans Saints, essa grande cidade e grande base de torcedores, é realmente um sonho que se tornou realidade. Eu serei capaz de refletir sobre isso talvez um pouco mais quando minha carreira acabar – eu ainda sinto que há trabalho a ser feito – mas eu estou simplesmente muito, muito orgulhoso e muito grato”, finalizou.

Resumindo: o camisa 9 só não fez chover e ainda só porque o Mercedes-Benz Superdome é um estádio fechado.

É isso aí, Breesy Boy!

Comments
To Top