NFL

Draft NFL 2020: Eagles surpreendem, Rams vão de RB e mais das 2ª e 3ª rodadas

Jalen Hurts, quarterback de Oklahoma e do Philadelphia Eagles

Chegamos à segunda e terceira rodadas do Draft NFL 2020. É bem verdade que a noite de sexta não é tão glamorosa, mas são rodadas intermediárias que ainda reservam muitos jovens talentos interessantes para reforçar os times da National Football League.

Após a primeira rodada, meu amigo do peito Miguel Amado foi o responsável pelos destaques entre as 32 escolhas mais chamativas. Agora, eu assumo a bronca de fazer os meus highlights das duas rodadas desta sexta (24).

E, no sábado (25), teremos as rodadas teoricamente menos importantes, da quarta à sétima, para encerrar o Draft NFL 2020. Você pode acompanhar os resuminhos dos selecionados na primeira rodada e os nomes de todos os 255 atletas selecionados no Draft NFL 2020 em nosso listão completo.

Agora, vamos lá às minhas observações das rodadas 2 e 3…

Draft NFL 2020: meus destaques da 2ª rodada

  • Philadelphia Eagles = o quê???

Se o Green Bay Packers surpreendeu em termos de QB na primeira rodada, ao selecionar Jordan Love, no segundo dia de Draft NFL 2020 o responsável pelo show neste sentido foi o Philadelphia Eagles.

Jalen Hurts. Com a 53ª escolha geral. Tipo ???

Essa escolha foi absolutamente inesperada. Os Eagles têm Carson Wentz como titular e sob um contrato razoável. O time está atado de maneira mais séria ao ‘príncipe Harry 2.0’ pelo menos até a temporada 2022 da NFL.

Então, por que selecionar o QB de Oklahoma? Com a palavra, Howie Roseman e Doug Pederson.

Roseman, GM dos Eagles, segundo o jornalista Mike Garafolo, da ‘NFL Network’: “para melhor ou para pior, somos desenvolvedores de quarterbacks. Queremos ser uma fábrica de quarterbacks”.

Pederson, head coach: “(Hurts) tem um conjunto de habilidades único. (…) É algo que vamos explorar”.

Hurts chega para ser reserva de Wentz. É um QB que melhorou nos passes, sabe produzir com as pernas e tem um potencial interessante. Mas ainda é cru e precisa ser trabalhado.

Isso pode ser um recado para Wentz, para ver se ele chega ao próximo patamar, e a chance de trazer um reserva curioso. Com perdão do trocadilho, essa escolha deve ser algo que dói em Wentz. Mas, ao menos por enquanto, o titular dos Eagles parece tranquilo e até deu as boas-vindas a Hurts.

  • Los Angeles Rams escolhe sucessor de Gurley

O Los Angeles Rams precisou esperar até a metade da segunda rodada para fazer sua escolha inicial no Draft NFL 2020. E foi, de um modo um tanto quanto surpreendente, o running back Cam Akers, de Florida State, com a 52ª escolha geral.

Não tanto por ser um RB, mas por haver um nome como J.K. Dobbins ainda à disposição. Mais tarde, ele acabou indo para o Baltimore Ravens com a 55ª escolha.

Akers é o sucessor natural de Todd Gurley, dispensado pelos Rams nesta offseason.

Ele é um RB mais voltado para terceiras descidas, mas muito voluntarioso no jogo aéreo. Nos Rams, deve fazer uma transição para um papel de maior destaque. E, com seu equilíbrio de jogo, pode ter sucesso no ataque de Sean McVay.

  • Cincinnati Bengals reforça ainda mais o ataque

Com a escolha inicial na segunda rodada, o Cincinnati Bengals resolveu reforçar ainda mais seu ataque e adicionar uma peça importante para jogar no ataque que agora será liderado pelo quarterback Joe Burrow, o primeiro selecionado no Draft NFL 2020.

Que tal Tee Higgins, de Clemson? O wide receiver era um dos melhores da posição ainda à disposição no segundo dia do draft e a franquia de Ohio não quis deixá-lo escapar.

Higgins tem um porte físico invejável, tendo jogado basquete no colegial. É um wideout dotado de grande capacidade de agarrar bolas difíceis e sabe marcar touchdowns. Em três temporadas em Clemson, foram 27 touchdowns recebidos, empatando um recorde da universidade (ao lado de DeAndre Hopkins e Sammy Watkins).

A.J. Green já é um wide receiver de quase 32 anos de idade e começa a se aproximar de sua reta final de carreira na NFL. Assim, Higgins pode ser um sucessor natural como WR número 1 dos Bengals. Chega para jogar imediatamente no ataque de Zac Taylor.

  • New England Patriots com sua escolha X na segunda rodada e mais defesa

Quando eu digo escolha X dos Patriots, o torcedor da franquia de Foxborough sabe bem do que eu estou falando. No Draft NFL 2020, o nome foi Kyle Dugger.

Com a 37ª escolha geral, a quinta da segunda rodada, os Pats pegaram o safety da conhecidíssima (#sqn) Universidade de Lenoir-Rhyne.

Duggs é uma aposta de Bill Belichick e há mais de 75% de chance de o chamado Patriot Way transformá-lo em um atleta absurdo. Ele sai do nada, chega em New England e vira um defensor absurdo. Isso é tão Patriots.

Este defensive back tem boa capacidade física, tem habilidades próprias de um cornerback, mesmo sendo um safety, e ainda pode jogar no box. Também retorna punts. É o tipo de jogador que tio Bill ama.

Mais adiante na segunda rodada, os Patriots acertaram uma troca com o Baltimore Ravens e selecionaram o linebacker Josh Uche, de Michigan.

Uche é um pass rusher de velocidade e um jogador dinâmico, podendo atuar como outside linebackers e na ponta da linha defensiva quando necessário. Tem 16,5 sacks no college, mas soma apenas nove jogos como titular na carreira.

  • Chuva de RBs, WRs e DBs

A segunda rodada foi generosa com os running backs, wide receivers e defensive backs de forma geral.

Foram cinco RBs, sete WRs e oito DBs (cinco safeties e três cornerbacks).

Entre os RBs, além do já mencionado sucessor de Gurley nos Rams, tivemos D’Andre Swift indo para o Detroit Lions, Jonathan Taylor indo parar no Indianapolis Colts, J.K. Dobbins indo para os Ravens e AJ Dillon indo para o Green Bay Packers.

Swift é um jogador extremamente dinâmico, que vai acrescentar muito para o ataque dos Lions, e Taylor também era um dos running backs mais bem cotados e deve ser forte no ataque dos Colts.

Entre os WRs, além de Higgins, dos Bengals, os maiores destaques foram Michael Pittman Jr. nos Colts, sendo outro playmaker para o time, e Laviska Shenault Jr. indo para o Jacksonville Jaguars para preencher um setor carente no time de Doug Marrone.

Isso sem falar em Chase Claypool selecionado pelo Pittsburgh Steelers e chegando com seu porte físico enorme.

Falando agora dos DBs, impossível não mencionar Xavier McKinney no New York Giants, um safety daqueles para patrulhar o backfield defensivo da franquia nova-iorquina, e Grant Delpit chegando ao Cleveland Browns. Delpit tem enorme capacidade de fazer jogadas ‘na bola’, ainda que precise melhorar nos tackles.

O cornerback Trevon Diggs, irmão do wide receiver Stefon Diggs, agora no Buffalo Bills, agora faz parte do Dallas Cowboys e reforça um setor carente.

Enfim, foram muitas escolhas importantes nestas posições. A segunda rodada foi recheada de playmakers.

E umas pinceladas da 3ª rodada do Draft NFL 2020

Aqui, vou fazer rápidos comentários sobre alguns selecionados que gostei. Só alguns mesmo:

  • Logan Wilson nos Bengals (65ª escolha) – um linebacker que sai de Wyoming com reputação de ser intenso e bom nos tackles. Capacidade de fazer jogadas na bola. Terminou sua carreira universitária com mais de 400 tackles e 10 interceptações. Incansável.
  • Julian Okwara nos Lions (67ª escolha) – o linebacker de Notre Dame é aquele defensor versátil que Matt Patricia aprendeu a gostar em seus tempos de Patriots. Jogador alto e de boa agilidade, mas ainda pode ser mais forte e intenso. Ainda deve ajudar nos special teams.
  • Josh Jones nos Cardinals (72ª escolha) – visto até como um talento para ser selecionado mais em cima, Jones caiu no draft e sobrou para Arizona na terceira rodada. O tackle de Houston deve chegar para ser titular, mas ainda não se sabe se como tackle ou guard devido ao seu tamanho. Tem capacidade para conter pass rushers.
  • Zack Baun nos Saints (74ª escolha) – a franquia da Louisiana estava precisando de reforços na posição de linebacker e foi atrás de Baun. Para isso, acertou uma troca com o Cleveland Browns para subir. Baun é versátil, tem capacidade como pass rusher e na cobertura, mas seu tamanho físico não é muito chamativo na NFL. Precisará trabalhar nisso, mas é jogador intenso e que está em todos os lugares.
  • Terrell Lewis nos Rams (84ª escolha) – um pass rusher interessante para reforçar a defesa do Los Angeles Rams. O linebacker de Alabama tem porte interessante e força nas mãos. Tem capacidade de jogar muito, mas seu histórico de lesões preocupa.
Comments
To Top