NFL

Doug Pederson, jogadores ‘vazando’ e a viabilidade da NFL em meio à pandemia do COVID-19

Doug Pederson, técnico do Philadelphia Eagles

Fomos surpreendidos na noite de domingo (2) com a notícia de que Doug Pederson, técnico do Philadelphia Eagles e campeão do Super Bowl LII com a equipe, informou aos seus jogadores que foi diagnosticado com COVID-19. E, por mais trivial que esta notícia possa parecer, ela acende mais uma luz amarela.

Sim, Pederson está assintomático e está se sentindo bem. Mas eu realmente fico preocupado com a maneira como o ano na NFL está se desenrolando.

E o head coach dos Eagles não foi o primeiro. Na offseason, o técnico Sean Payton, do New Orleans Saints, também foi diagnosticado com o novo coronavírus, fez a quarentena certinho e se curou.

Mas, apenas para citar alguns casos recentes, a offseason/pré-temporada atípica da NFL já coleciona alguns episódios que geram receio:

  • Diversos jogadores já optaram por ficar de fora da temporada 2020, incluindo OITO atletas do New England Patriots (até a noite deste domingo). É totalmente compreensível a decisão desses jogadores, que estão preocupados com suas famílias;
  • Outros vários atletas estão sendo colocados na lista de injured reserve/COVID-19, entre eles nomes chamativos como os quarterbacks titulares Matthew Stafford, do Detroit Lions, e Gardner Minshew, do Jacksonville Jaguars. Minshew, aliás, foi um de cinco atletas dos Jags a ir para a lista neste domingo. E, infelizmente, teremos mais ao redor da liga de maneira constante.
  • A pré-temporada foi limada completamente e, agora, entraremos no ponto deste texto…

Preparado?

Eu não sei se a temporada 2020 da NFL começando em setembro, como o programado, é viável. E vou além: eu não sei se uma temporada da liga neste ano é algo inteligente.

Calma. Antes de você xingar as próximas três gerações da minha família e dizer que eu estou louco, eu afirmo: sou APAIXONADO por futebol americano e estou salivando para ver a bola oval voando (caso contrário, eu não seria editor de NFL do QQ). Mas há alguns fatores.

O primeiro de todos é que, com esse êxodo de jogadores temerosos, podemos ter uma queda considerável no nível técnico. Bill Belichick deve ser um dos que mais está perdendo os cabelos em um NE Patriots sem Tom Brady e com oito atletas vazando, incluindo alguns nomes importantes como o linebacker Dont’a Hightower, o safety Jason McCourty e o right tackle Marcus Cannon, todos titulares.

Cito também como um fator importante o fato de o futebol americano ser um esporte de contato extremo e de muita proximidade nas jogadas. O distanciamento social é inviável em uma partida. E testar a enorme quantidade de jogadores de maneira regular é quase impossível.

Eu sei que a NFL está com seus protocolos bem firmados para controlar o ambiente em meio à pandemia do COVID-19. Mas creio que a temporada começar a tempo (ao menos por enquanto) é muito mais devido à pressão econômica de uma liga bilionária.

Mas, Bruno, a NBA não está rolando? Isso é o que você pode me perguntar.

Sim, está rolando na bolha de Orlando e é exatamente essa a diferença. É muito mais fácil reunir 22 times com elencos máximos de 17 jogadores e colocar esses mais de 300 atletas e mais os membros da comissão técnica em um ambiente controlado.

Na National Football League, com elencos variando de 50 a 80 jogadores dependendo do momento da offseason até a temporada regular, isso é absolutamente inviável. Há muitos desafios adicionais em um esporte no qual as franquias necessitam de muitos profissionais trabalhando.

É por essas e outras que uma temporada da NFL em 2020 me deixa muito temeroso. Ao menos uma temporada completa. Se tivéssemos um campeonato reduzido, talvez começando em novembro e indo até o Super Bowl, no início de fevereiro, acho que seria mais plausível.

Agora, nos resta torcer muito. Primeiro para Doug Pederson e demais atletas que estão sendo diagnosticados com COVID-19. Depois para que a NFL entenda que 2020 é um ano atípico e que nossa liga preferida precisa sobreviver de maneira saudável.

Comments
To Top