NFL

Miami Dolphins adquire Josh Rosen em troca em que todos saem ganhando

Josh Rosen, quarterback do Miami Dolphins

(Crédito: Twitter/reprodução)

O Miami Dolphins saiu do segundo dia de draft com nota 10. Primeiro o time da Flórida utilizou a 48ª escolha geral para aumentar seu leque de escolhas em 2020 (escolha de 2ª rodada vinda dos Saints). Em seguida, utilizando outra escolha de segunda rodada (62ª), o time pegou Josh Rosen e uma quinta escolha de draft do ano que vem.

O quarterback de 22 anos chega após o Arizona Cardinals decidir que era hora de seguir outro rumo e utilizar a primeira escolha geral para ter Kyler Murray.

A decisão do general manager Chris Grier foi inteligente. Rosen chega para disputar a titularidade com Ryan Fitzpatrick.

Sem pressão. Se tudo der errado, Rosen será reserva em 2020 ou até mesmo pode ser trocado, e o Miami Dolphins utiliza seu caminhão de escolhas no próximo draft para achar o seu franchise quarterback (provavelmente Tua Tagovailoa).

E se der certo? O time poderá aproveitar de um planejamento adiantado em um ano e utilizar suas escolhas de draft para reforçar outros setores – o que será necessário, uma vez que o elenco foi basicamente implodido.

No final das contas, todo mundo sai ganhando. Os Cardinals receberam uma escolha de segunda rodada, o que parecia improvável pelo pouco poder de barganha que tinha após draftar Kyler Murray.

Os Fins fizeram uma 62ª escolha se tornar um quarterback que foi a décima escolha do draft do ano passado após troca do time do deserto para subir no draft. O dinheiro economizado com bônus de assinatura e salário também entram na conta.

Josh Rosen terá tempo para evoluir, uma vez que a pressão não é para resultados em 2019 e, em caso de qualquer problema, Fitzpatrick vira o escudo e toma as porradas como titular. Sem contar que ele deixa de atuar com uma linha ofensiva.

O perdedor? Talvez seja Murray, que agora terá a pressão de dar certo. Todos os holofotes estão nele. O novo Russell Wilson? O cara que abriu mão de milhões no beisebol pelo futebol americano. O jogador super versátil e tudo mais que já foi falado.

Agora resta ver se Rosen conseguirá se tornar o quarterback que Miami tanto busca. Melhorar a leitura das jogadas, ser mais preciso e seguir evitando jogadas ruins pode ajudar muito o jovem talento.

Para os fãs de estatísticas, o jovem de 22 anos foi titular em 13 dos 14 jogos que atuou no ano passado, completando 55,2% dos passes (217 acertos de 393 tentativas) para 2.278 jardas, 11 touchdowns, 14 interceptações e 66,7 de rating.

Comments
To Top