NFL

Dez Bryant se atrasa e perde teste de condicionamento obrigatório; veja as manchetes da sexta-feira

Dez Bryant, wide receiver do Dallas Cowboys

(Crédito: Twitter/reprodução)

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Dez Bryant, wide receiver do Dallas Cowboys, chegou três horas atrasado na reapresentação da equipe e perdeu seu teste de condicionamento obrigatório. Na noite da quinta-feira, Bryant estava em sua cidade natal arcando com um churrasco grátis de US$ 16 mil e realizando algumas atividades com fãs. Além disso, o wideout disse estar lidando com uma sinusite e dores de cabeça.

– Rod Wood, presidente do Detroit Lions, está confiante na reconciliação da equipe com o ex-wide receiver Calvin Johnson. “Como eu disse na rádio, tivemos uma conversa muito agradável e cordial. Estou esperando que ele venha (ao training camp). Não vou falar nada além disso. Tenho a confiança que vai dar certo em última instância”.

– O training camp irá começar na semana que vem é o veterano wide receiver Anquan Boldin ainda precisa encontrar uma equipe para jogar em 2017. Segundo a ‘ESPN’, o jogador de 36 anos irá visitar o Buffalo Bills, que pode usá-lo como slot receiver, na próxima segunda-feira.

– O Baltimore Ravens colocou, nesta sexta-feira, o wide receiver Michael Campanaro na lista dos jogadores incapazes de executar (PUP list) por causa de uma entorse no dedo do pé no final de maio. “Não é uma lesão grave, mas é um incômodo com certeza. Ele estava treinando muito bem”, disse o treinador John Harbaugh.

– O Baltimore Ravens colocou sua escolha de quinta rodada, o guard Jermaine Eluemunor, na lista de jogadores lesionados por motivos não relacionados ao futebol americano. A franquia costuma fazer esse tipo de movimento quando os atletas falham no teste de condicionamento físico. Os times podem remover os jogadores desta lista a qualquer momento.

– Cam Newton, quarterback do Carolina Panthers, continua sua reabilitação de cirurgia no ombro e, segundo Ian Rapoport, o camisa 1 deverá lançar a bola no traning camp, mas de forma limitada inicialmente.

“Eu não diria isso (que ele estaria 100% no training camp), mas ele, os running backs, os tight end e os wideouts foram até Baltimore fazer um refúgio e trabalhar alguns dias, e ele fez lançamentos. Eu sei que ele está lançando. Eu não sei quanto ele vai lançar. Ele está falando com os médicos sobre como deve ser. Estou apenas satisfeito por haver uma oportunidade para ele começar com o pé direito”, disse o treinador Ron Rivera.

– Barry Sanders voltou ao Detroit Lions 18 anos após sua aposentadoria. O presidente Rod Wood revelou que a equipe de Michigan contratou o ex-wide receiver para ser embaixador da franquia. Sanders vem sendo bastante presente nos últimos anos e, inclusive, fez aparições em intervalos de jogos e em eventos de caridade dos Lions.

– Adam Endel, um dos homens que participaram da comissão de liberdade condicional que tirou O.J. Simpson da cadeia antes do esperado, explicou por que ele estava usando uma gravata com o logo do Kansas City Chiefs. “Percebo que algumas vão ficar chateadas por causa disso. Foi uma das pequenas coisas que eu imaginei que pudessem detectar em Kansas City, mas não achei que chamaria tanta atenção. Eu não posso combinar as roupas muito bem. Então tenho que usar cores sólidas na maioria das vezes. Minha esposa não está sempre por perto”.

– Denard Robinson, ex-running back do Jacksonville Jaguars, treinou com o Dallas Cowboys na última quinta-feira. Além disso, o time texano teve uma visita do veterano tailback Ronnie Hillman nesta semana.

– Sean McDermott, head coach do Buffalo Bills, quer impor o seu estilo de jogo em todos os aspectos. “Você não pode ser um head coach unilateral e ser eficaz. Eu quero influenciar nas três fases. Certamente a defesa vem naturalmente para mim, mas eu tenho ideias para o que quero no ataque e nas equipes especiais também”.

– Darren Perry, treinador dos safeties do Green Bay Packers, entrou com um pedido de julgamento sem resultado e será obrigado a pagar US$ 956 depois de concordar com um acordo de admissão de culpa em um caso de condução embriagada. De acordo com o acordo, Perry não pode dirigir por oito meses e as acusações de ter um nível de álcool acima do legal, desvio de pista inseguro e se recusar a fazer um teste de embriaguez serão descartadas. Ele ficará apenas com a violação de ordem, o que não é um crime.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

To Top