NFL

Com renovação de Deshaun Watson, Texans recompensam seu mágico

Deshaun Watson, quarterback do Houston Texans

Deshaun Watson não é Patrick Mahomes. Mas os dois são (bons) mágicos. São dois quarterbacks capazes de fazer qualquer coisa com a bola oval nas mãos. E, sendo assim, nada mais justo do que o Houston Texans recompensar seu franchise QB. Foi o que o time fez neste sábado (5).

A franquia texana acertou uma extensão de quatro anos, com valor total de US$ 160 milhões, com Watson. Em termos absolutos, o acordo é de US$ 177,54 milhões, segundo a ‘ESPN’ norte-americana, contendo quase US$ 111 milhões garantidos.

Tal contrato não chega perto do novo contrato recorde e impressionante que Mahomes fechou com o Kansas City Chiefs nesta offseason, o maior da história da National Football League. Mas, como dissemos no começo desse texto, o camisa 4 dos Texans não é o camisa 15 dos Chiefs.

Dito isso, Watson foi muito bem recompensado. Prova disso é que, se ele não superou Mahomes em termos de valores absolutos de contrato, Deshaun ainda vai faturar um salário-base de US$ 39 milhões nos próximos quatro anos. Assim, ele será o jogador mais bem pago da NFL neste período de tempo.

O signal caller dos Texans conseguiu assinar uma megaextensão na primeira offseason na qual ele poderia fazer isso. Ele estava entrando no quarto ano de seu contrato de calouro, depois de ser selecionado com a 12ª escolha geral do Draft NFL 2017.

O head coach e general manager Bill O’Brien não podia se dar ao luxo de não estender o contrato de seu QB neste ano. Ainda mais depois de uma decisão (absolutamente questionável) de trocar o wide receiver DeAndre Hopkins com o Arizona Cardinals.

Se Mahomes é o Harry Houdini do futebol americano, Watson é David Copperfield. Quando você o vê em campo, sabe que ele vai aprontar. Ele sabe sair do pocket como poucos, faz passes em movimento com fluidez e tem uma envergadura e velocidade que o tornam capaz de ganhar first downs e anotar touchdowns com as pernas.

Para os fãs de estatísticas, em 38 jogos de temporada regular em seus três anos na NFL até agora, Watson completou 66,8% de seus passes para 9.716 jardas, 71 touchdowns e 29 interceptações. Seu passer rating na carreira até agora é de 101, número bom.

Ele é apenas um de 11 jogadores de todos os tempos a lançar para 70 ou mais TDs em suas primeiras três temporadas na liga, segundo o ESPN Stats & Information.

Além disso, Watson produziu 1.233 jardas com as pernas, uma média de 5,7 por corrida, e 14 TDs.

Também segundo o ESPN Stats & Info, ele é um de apenas dois jogadores da história da NFL com mais de uma temporada (2018 e 2019) com, pelo menos, 25 passes para TD e cinco TDs corridos. O outro foi Steve Young, que conseguiu tal feito nas temporadas 1994 e 1998.

Em resumo: ele é completo.

Com apenas três anos de Texans, ele já é o segundo em passes para TD na história da organização e suas 9.716 jardas o deixam em terceiro na história dos Texans, atrás apenas de Matt Schaub (23.221 jardas em 90 partidas) e David Carr (13.391 jardas em 76 jogos).

Vale lembrar que Watson teve sua temporada de calouro limitada a apenas sete jogos depois de romper o ligamento cruzado anterior do joelho.

Por tudo o que já fez (e o que vai fazer) e pela recompensa generosa que recebeu, Watson merece estar com um sorriso de orelha a orelha neste sábado.

“Como uma criança que cresceu na Geórgia, sempre foi meu sonho jogar na NFL. Hoje, eu não poderia estar mais honrado e lisonjeado em assinar um contrato de longo prazo com Houston, a cidade que aprendi a amar tanto e que agora chamo de minha casa”, escreveu o QB dos Texans no Twitter. “(…) Prometo fazer tudo o que puder para não só trazer um campeonato para essa grande cidade, mas também deixar um legado de ajudar a impactar positivamente essa comunidade. Agora de volta ao trabalho (…).

É bom voltar ao trabalho logo mesmo, Watson. Não há tempo para comemorar. A Conferência Americana (AFC) anda muito tensa com um outro QB que citamos nesse texto…

Comments
To Top