NFL

Colin Kaepernick fatura prêmio do San Francisco 49ers por inspiração e coragem

Colin Kaepernick, quarterback do San Francisco 49ers

(Crédito: Instagram/reprodução)

O ano de 2016 foi muito intenso para Colin Kaepernick. O quarterback foi um dos principais responsáveis por protestar contra as desigualdades raciais e sociais nos Estados Unidos, utilizando muitas vezes a hora da execução do hino norte-americano antes dos jogos da NFL como plataforma para suas manifestações.

E, depois de muita controvérsia e polêmica, o jogador tem algo para comemorar.

Nesta sexta-feira (30), o San Francisco 49ers anunciou os vencedores dos prêmios internos da franquia e Kap ficou com o Prêmio Len Eshmont, concedido ao Niner que “melhor exemplifica o jogo inspirador e corajoso e Len Eshmont, um membro original do time dos 49ers de 1946”.

O prêmio, que começou a ser entregue depois que Eshmont morreu em 1957, é considerado a honra de maior prestígio entre as votadas pelos jogadores da organização.

Após decidir se manter sentado durante o hino dos EUA antes de um confronto de pré-temporada, Kaepernick se ajoelhou durante o Star Spangled Banner durante toda a temporada da NFL. O camisa 7 recebeu o apoio de companheiros de equipe como o safety Eric Reid e o outside linebacker Eli Harold e o QB afirmou recentemente que ter esse tipo de suporte ajudou muito nos protestos.

“É muito impactante, e eu acho que eles são pessoas de caráter muito forte. E ter a capacidade de realmente reconhecer o que está acontecendo, como isso não afeta apenas eles, mas afeta suas famílias e outras pessoas que se parecem com eles, é algo muito poderoso. Estou muito feliz por ter companheiros de time como esses, que têm esse tipo de caráter, que têm esse tipo de ética e humanidade”, declarou Kap.

Logo no começo dos protestos de Kaepernick, quando eles vieram à tona publicamente durante a pré-temporada da NFL, o San Francisco 49ers teve uma reunião apenas entre os jogadores e o quarterback deu a chance de seus companheiros fazerem perguntas sobre os motivos de sua manifestação. Daniel Kilgore, center dos Niners, disse na época que não entendia inicialmente por que Kaepernick resolveu se expressar durante o hino dos EUA, mas depois ele ressaltou que saiu do encontro com uma perspectiva totalmente diferente.

“Depois que Kap se explicou hoje, e vendo de onde ele está partindo, eu estou com Kap quando ele diz que tem que haver um ‘basta’ contra crimes, violência, discriminação e racismo. Eu acredito que temos que dar um basta. Mas eu posso entender por que as pessoas acham que é ruim com o hino nacional e com os militares”, falou o camisa 67, em agosto.

Os protestos de Colin Kaepernick logo se tornaram um grande assunto nos Estados Unidos, com apoiadores e críticos. Atletas da NFL e de outros esportes, inclusive, também começaram a se ajoelhar como forma de apoiar o signal caller dos 49ers. Como parte de seu protesto, Kap prometeu doar US$ 1 milhão para iniciativas que ele acredita que podem ajudar comunidades carentes e o jogador também 2 durante a semana de folga do time.

O técnico Chip Kelly disse nesta quinta (29) que Colin Kaepernick será o titular no último jogo do time na temporada 2016, contra o Seattle Seahawks, neste domingo (1), mas o futuro do quarterback na franquia é incerto.

Vale lembrar que o atleta tem a oportunidade de optar 2 nesta próxima offseason.

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top