NFL

Chiefs são premiados por agressividade e são mais um exemplo da “fórmula de sucesso”

kansas city hiefs campeao mahomes

O Kansas City Chiefs teve 12 vitórias na temporada 2016 e foi eliminado na semifinal da AFC para o Pittsburgh Steelers em um jogo com diferença de dois pontos. Alguns meses depois, Alex Smith, que foi o quarterback que liderou a franquia depois de anos tenebrosos – lembra de Brady Quinn? – estava vendo o Draft tranquilão quando seu time pegou Patrick Mahomes com a 10ª escolha.

Foi uma movimentação agressiva. E, depois de um ano de transição, Alex Smith pela segunda vez foi trocado, sem ser incompetente, por alguém mais jovem.

A ideia não é só tentar alguém com um teto maior, como Mahomes provou nos primeiros jogos de sua primeira temporada, mas também ser mais uma equipe que tenta a fórmula de sucesso.

Ter um quarterback bom com contrato de calouro é a maior benção que um time pode ter, ainda mais em um mundo onde Derek Carr ganha 20 milhões de dólares e Kirk Cousins ganha US$ 31 milhões.

Patrick Mahomes assinou um contrato de quatro anos e US$ 16 milhões. E isso possibilita que Tyreek Hill fique na equipe, Sammy Watkins venha, Frank Clark e Tyrann Mathieu cheguem na free agency e o time possa dar um contrato de 20 milhões para Harrison Butker. Sim, o kicker tem um contrato maior que o quarterback.

Ou seja, os Chiefs são os herdeiros diretos dos Seahawks de 2013, onde o punter ganhava mais que Russell Wilson.

Desde 2017, os Chiefs tiveram 10 vitórias com Smith e uma derrota bizarra para Marcus Mariota, trocaram Smith por Kendall Fuller e uma escolha, colocaram Mahomes no comando e viram o camisa 15 ganhar um prêmio de MVP, ser eliminado na final da conferência e depois de 50 anos, voltar ao Super Bowl.

E a campanha nos playoffs foi inacreditável. O time teve a segunda campanha da AFC e um bye caindo no colo com a derrota dos Patriots para um time que estava 4-11. Os Ravens eram o rival a ser batido, mas Baltimore caiu para Tennessee. Os Chiefs ficaram três vezes atrás por 10 pontos nos jogos que disputou na pós-temporada. Virou em todos.

O time estava com uma 3ª para 15, no último período, perdendo por 10. Ele conecta com Tyreek Hill para 44 jardas. A partir dali os Chiefs não seriam mais parados. Mesmo não tendo uma equipe tão completa como a dos 49ers, que tiveram seguidas escolhas altas de Draft para subir sua defesa, por exemplo.

Campanha mais incrível depois de 50 anos sem disputa de Super Bowl não dá. E não há dúvidas que existe um caminho mais curto para vencer na NFL.

Ajuda também ter um treinador como Andy Reid bobeando no mercado depois de um fim de ciclo no Philadelphia Eagles. A temporada anterior à sua chegada foi de duas vitórias e o caso Jovan Belcher – o linebacker se matou na frente do treinador e GM depois de assassinar sua namorada.

Os Chiefs agora vão ter o mesmo problema que os Seahawks, Eagles e até os Rams da temporada passada tiveram: eles vão ter que escolher quem pagar. E, claro, Mahomes será o primeiro da relação, ainda mais depois de ser MVP da liga e do Super Bowl com apenas três temporadas de liga, duas como titular.

Mas pode ter certeza que a habilidade contábil do GM dos Chiefs não é a primeira coisa que está na cabeça dos torcedores dos Chiefs neste momento.

Comments
To Top