NFL

Cam Newton está de saída do Carolina Panthers; veja boletim

Cam Newton, quarterback do Carolina Panthers

Cam Newton está mesmo de saída do Carolina Panthers. O jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, noticiou nesta terça-feira (17) que a franquia da Carolina do Norte concedeu uma permissão ao quarterback para buscar uma troca.

A decisão saiu após conversas entre a organização e os agentes do camisa 1.

O general manager Marty Hurney anunciou a decisão oficialmente, o que indicou o fim da passagem de nove anos de Newton pelos Panthers.

“Um dos prazeres distintos da minha carreira foi selecionar Cam com a primeira escolha no draft de 2011”, disse Hurney, em comunicado. “Todos os anos são tomadas decisões difíceis e nunca são fáceis. Trabalhamos com Cam e seu agente para encontrar a melhor opção para ele seguir em frente e ele sempre será um Carolina Panther em nossos corações”, frisou o executivo.

David Tepper, proprietário dos Panthers, também falou sobre o QB: “Cam é um dos maiores de todos os tempos na história dos Panthers. Se você pedir a qualquer um de nossos torcedores alguns de seus momentos mais memoráveis, estou disposto a apostar que a maioria deles incluiria jogadas eletrizantes de Cam, dando bolas de futebol americano após touchdowns, celebrações divertidas e grandes vitórias. Sua competitividade e força são raras. Fora do campo, você não pode medir as contribuições de Cam. Ele tocou a vida dos jovens nas Carolinas e em Atlanta. Ele é único e desejo-lhe tudo de bom”.

E um substituto para Newton já está chegando. Rapoport noticiou pouco depois nesta terça que Teddy Bridgewater, após uma passagem de dois anos pelo New Orleans Saints, acertou um contrato para ser o novo QB titular do rival de divisão de seu ex-time.

A decisão não chega a ser uma mega surpresa, mas ela pegou alguns desprevenidos depois que o novo técnico Matt Rhule, contratado pelos Panthers em janeiro, insistiu durante o NFL Scouting Combine que “absolutamente” gostaria que Newton seguisse por lá.

Selecionado com a primeira escolha geral do draft de 2011, Newton se tornou a cara dos Panthers, ganhando o prêmio de MVP da temporada 2015, ajudando a levar o time ao Super Bowl e sendo selecionado três vezes ao Pro Bowl.

Antes um QB absolutamente dinâmico em termos de mobilidade, Newton sofreu com lesões nas últimas três temporadas e não foi nem sombra do que era. Ele passou por várias cirurgias no ombro e só disputou dois jogos em 2019 devido a uma contusão no pé que também exigiu um procedimento cirúrgico.

Em outra notícia dos Panthers, a equipe também está mantendo o safety Tre Boston, já que acertou um contrato de três anos com o jogador. Segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, que recebeu os detalhes de Drew Rosenhaus, agente do jogador, o acordo tem valor de US$ 18 milhões, com US$ 9,5 milhões no primeiro ano.

Confira mais movimentações interessantes nesta terça (17) de free agency na NFL:

– Em um dia de notícias bombásticas na NFL, uma outra importante (mas não tão bombástica) saiu em Nova Orleans. O quarterback Drew Brees acertou um novo contrato de dois anos com os Saints nesta terça, com valor de quase US$ 50 milhões. A informação é de Ian Rapoport, da ‘NFL Network’.

A continuidade de Brees nos Saints era questão de tempo, depois que o próprio QB anunciou que continuaria sua carreira e que não vestiria outra camisa que não fosse a da franquia da Louisiana.

Rapoport acrescentou ainda que Brees recebeu menos do que ele teria conseguido no mercado. Ao mesmo tempo, ele assegura sua sequência em um time no qual ele se tornou o maior ídolo da história.

Em 14 anos trabalhando ao lado do head coach Sean Payton em New Orleans, Brees se estabeleceu como um verdadeiro monstro na história da NFL. Futuro Hall of Famer, o camisa 9 é detentor dos recordes de maior número de jardas de passe na carreira, maior número de passes para touchdown, de passes completados, de maior porcentagem de passes completados e muitos outros.

Os Saints também reestruturaram o contrato do linebacker Kiko Alonso para que ele fature menos do que os US$ 7,8 milhões que ia ganhar em 2020.

– Já em uma novidade bem mais triste, o Pittsburgh Steelers colocou o linebacker Ryan Shazier na lista de Reservas/Aposentados. Mas o time explicou a decisão.

“A colocação de Ryan na lista de reservas/aposentados serve como uma questão de protocolo para garantir que sua inclusão contínua em nossa organização avance em sua carreira profissional”, falou o general manager Kevin Colbert.

Shazier passou as últimas duas temporadas na lista de reservas/jogadores sem condições físicas de desempenhar (PUP). Ele sofreu uma grave lesão na coluna vertebral no dia 4 de dezembro de 2017, em jogo contra o Cincinnati Bengals, e o problema exigiu uma delicada cirurgia de estabilização da coluna vertebral.

Desde a lesão, Shazier, 27 anos, foi homenageado por várias organizações, inclusive sendo eleito vencedor do prêmio Ed Block Courage Award por colegas de equipe, por sua perseverança na recuperação.

Em outra notícia dos Steelers, o time reestruturou o contrato do quarterback Ben Roethlisberger, como confirmou a ‘ESPN’ norte-americana.

Big Ben acertou uma extensão de contrato de dois anos, com valor de US$ 68 milhões, na offseason passada. E seu ‘impacto’ no teto salarial seria de impressionantes US$ 33,5 milhões em 2020. Para abrir espaço no salary cap, os Steelers podem mover parte do bônus para a temporada 2021.

Segundo reportagem do ‘Pittsburgh Post-Gazette’, os Steelers também reestruturaram os contratos do tight end Vance McDonald, do kicker Chris Boswell e do cornerback Steven Nelson.

– O Philadelphia Eagles anunciou que não vai exercer a opção para 2020 no contrato do safety Malcolm Jenkins, o que provavelmente põe fim à passagem de um dos jogadores mais importantes da história da franquia.

Malcolm Jenkins tem sido um excelente jogador para nós e estamos orgulhosos de tudo o que ele conquistou dentro e fora de campo durante seu tempo na Filadélfia. Malcolm foi um grande companheiro de equipe e líder, além de um dos jogadores mais durões e confiáveis que já jogaram em nossa cidade. Após uma discussão aprofundada com Malcolm e seu agente, Ben Dogra, os dois lados concordaram com a difícil decisão de virar a página sobre o incrível relacionamento de seis anos. Desejamos a Malcolm e sua família tudo de bom enquanto ele busca sua próxima oportunidade”, disse a organização.

Os Eagles tinham até quarta-feira para exercer a opção, que lhe renderia US$ 7,6 milhões nesta temporada. Jenkins deixou claro em janeiro que ele queria um aumento salarial e não jogaria nos Eagles sob o contrato atual.

Jenkins, três vezes Pro Bowler, foi o líder indiscutível de uma equipe que conquistou o primeiro título do Super Bowl da história franquia em 2017. Ele não perdeu nenhum jogo durante seus seis anos na Filadélfia.

Ele terminou 2019 com oito passes defendidos, quatro fumbles forçados e 2,5 sacks, enquanto foi alinhado em todo o campo pelo coordenador defensivo Jim Schwartz.

Em outras notícias dos Eagles, o time manteve outras peças de seu backfield defensivo e acertou um novo contrato de um ano com o cornerback Jalen Mills e um de dois anos com o safety Rodney McLeod.

Mills vai migrar da posição de cornerback para safety.

Os Eagles também renovaram com o quarterback Nate Sudfeld, reserva de Carson Wentz, e acertaram um novo contrato de um ano, com valor de US$ 2 milhões (US$ 500 mil garantidos) e outros US$ 3 milhões em incentivos, segundo Tom Pelissero, da ‘NFL Network’.

– O linebacker Sean Lee vai permanecer no Dallas Cowboys para sua 11ª temporada, já que ele acertou um novo contrato de um ano com a franquia texana nesta terça.

“Estou animado por estar de volta em uma organização tão incrível”, disse Lee ao ‘ESPN.com’. “Não há lugar melhor para tentar vencer um campeonato do que Dallas”, ressaltou.

O contrato tem valor de US$ 4,5 milhões, com US$ 2 milhões completamente garantidos, de acordo com Adam Schefter, da ‘ESPN’.

Depois de contemplar a aposentadoria após as temporadas de 2017 e 2018, Lee jogou todos os jogos da temporada regular pelo Cowboys na última temporada pela primeira vez em sua carreira. Duas vezes selecionado ao Pro Bowl, ele foi titular em 13 jogos e foi creditado pelos treinadores com 109 tackles, um sack e uma interceptação.

O safety Darian Thompson também segue no Dallas Cowboys, segundo os agentes do próprio jogador confirmaram a Mike Garafolo, da ‘NFL Network’.

– O Detroit Lions dispensou o linebacker e capitão do time Devon Kennard com um ano remanescente no contrato do defensor. Ele se tornou uma peça basicamente dispensável quando time acertou com o linebacker Jamie Collins, ex-New England Patriots, na última segunda.

Ao dispensar Kennard, os Lions abrem US$ 5,675 milhões no teto salarial e terão que arcar com uma quantia de US$ 1,75 milhão de ‘dinheiro morto’.

Ele assinou com os Lions, vindo do NY Giants, em 2018 e foi titular em 30 dos 31 jogos que disputou em Detroit. Ele empatou na maior marca do time em sacks na temporada passada, com sete, e foi o quinto no time em tackles, com 58. Ele também teve um total de 30 pressões no quarterback.

Os Lions também dispensaram o safety A.J. Howard e o quarterback Kyle Sloter.

– O Buffalo Bills fechou uma extensão de contrato de dois anos, com valor de US$ 20,5 milhões, com o safety Jordan Poyer, mantendo um de seus principais líderes defensivos até a temporada 2022. A informação foi apurada por Jeremy Fowler, da ‘ESPN’ norte-americana.

Ele tinha um ano remanescente em seu contrato anterior.

Poyer chegou a Buffalo como parte da primeira leva de contratações do head coach Sean McDermott e, desde então, ele vem formando uma das melhores duplas de safeties da liga ao lado de Micah Hyde.

– O Chicago Bears dispensou o defensive end Leonard Floyd, ex-selecionado na primeira rodada do draft. O corte se deu no mesmo dia em que a equipe fechou com o defensive end Robert Quinn.

– O Cleveland Browns acertou uma troca com o Denver Broncos para adquirir o fullback Andy Janovich por uma escolha de sétima rodada do draft de 2021.

– O Green Bay Packers aplicou uma proposta no wide receiver Allen Lazard e isso o tornou um free agent de direitos exclusivos, segundo Michael Perrett, agente do atleta.

– O Jacksonville Jaguars está dispensando o tight end Geoff Swaim, como anunciou a franquia. Atualmente com 28 anos de idade, ele disputou seis jogos (dois como titular) com a camisa dos Jags e somou 13 recepções para 65 jardas em 2019, sua única temporada na franquia da Flórida.

Os Jaguars também aplicaram uma proposta de segunda rodada no wide receiver Keelan Cole, segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’. Cole soma 104 recepções para 1.600 jardas e três touchdowns em suas três temporadas no time até agora.

– O San Francisco 49ers está mantendo o defensive end Ronald Blair sob contrato de um ano, segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’. Os detalhes do contrato ainda não foram divulgados.

O time também aplicou propostas de um ano aos free agents restritos Kendrick Bourne, um wide receiver, e Matt Breida, um running back.

– O Los Angeles Rams não exerceu a opção para 2020 no contrato do cornerback Nickell Robey-Coleman. O time também decidiu aplicar propostas no tight end Johnny Mundt e no center Coleman Shelton, free agents de direitos exclusivos.

– O Baltimore Ravens está mantendo o defensive tackle Justin Ellis sob um contrato de um ano. Ellis assinou com a franquia de Maryland em novembro.

Comments
To Top