NFL

Bruce Arians: Carson Palmer sobrecarregou seu braço antes da temporada 2016

Carson Palmer, quarterback do Arizona Cardinals

(Crédito: Twitter/reprodução)

Carson Palmer teve uma considerável queda de produtividade no ano passado em relação a 2015 e só melhorou realmente nos níveis de atuação na reta final da temporada 2016. E, no meio do campeonato, o técnico Bruce Arians saiu em defesa de seu quarterback, dizendo que ele não era o problema do Arizona Cardinals.

De fato, o camisa 3 teve que lidar com desfalques na linha ofensiva e com os ‘desaparecimentos’ de alguns jogadores do ataque, tais como os wide receivers Michael Floyd e John Brown, que não renderam o esperado.

E, recentemente, o head coach revelou outro fator que prejudicou o signal caller de 37 anos. Em participação no The Rich Eisen Show, na semana passada, Arians revelou que Palmer entrou no campeonato passado tendo que lidar com a fadiga em seu braço depois de um excesso de trabalho nos meses anteriores ao início da temporada, em setembro.

“Ele é um dos caras que trabalham mais duro com quem já tive contato, então temos que puxar as rédeas para ele. No ano passado, entrando em setembro, ele tinha desgastado seu braço ao lançar demais durante todo o verão. Encontramos um bom regime, (e por) novembro e dezembro ele estava jogando tão bem quanto antes”, explicou o treinador da franquia de Glendale.

Em maio, o próprio Carson Palmer reconheceu que um novo regime de treinamentos era necessário para seus anos finais na NFL.

“Eu não acho que fiz um bom trabalho nos últimos oito ou nove anos da minha carreira. Eu tratei os últimos oito ou nove anos como se eu tivesse 24, 25, 26 anos, como os primeiros oito ou nove anos da minha carreira”, falou o quarterback na ocasião.

O regime de treinamento que foi mencionado por Bruce Arians incluiu deixar o quarterback de fora dos treinos de quarta-feira e reduzir a quantidade de lançamentos feitos pelo signal caller em março e abril, durante as atividades de offseason.

Quando os Cardinals encerraram seu programa de treinos de offseason, em junho, Arians se mostrou contente ao ver que o braço de Palmer estava “mais forte do que nunca”.

Vale lembrar que o quarterback pretende decidir sobre aposentadoria ao final da temporada 2017.

“Todo ano vai haver outra pergunta no final da temporada sobre como ele se sente. Competitivamente, ele nunca vai parar. A esposa dele provavelmente terá de dizer a ele que acabou”, frisou Bruce Arians, na entrevista a Rich Eisen.

Na temporada 2016, Carson Palmer acertou 61% de seus passes para 4.233 jardas, 26 touchdowns e 14 interceptações em 15 jogos.

Selecionado com a primeira escolha geral do draft de 2003 pelo Cincinnati Bengals, Palmer acertou 62,5% de seus passes para 44.269 jardas, 285 touchdowns e 180 interceptações em 175 partidas de temporadas regulares na carreira.

Além dos Bengals, onde jogou até 2010, o signal caller defendeu o Oakland Raiders em 2011 e 2012 antes de chegar aos Cardinals em 2013.

Comments
To Top