NFL

Drew Brees anuncia que vai defender Saints em 2020; veja boletim de movimentações

Drew Brees, quarterback do New Orleans Saints

Drew Brees tirou um tempo para pensar em seu futuro e deixou claro que sua decisão seria em seus próprios termos. E, nesta terça-feira (18), o ídolo do New Orleans Saints anunciou o seu futuro.

O camisa 9 utilizou seu Instagram para informar que vai jogar com a camisa da franquia da Louisiana na temporada 2020 da National Football League.

Brees soltou uma foto de uma belíssima paisagem e, abaixo, veio a legenda confirmando que ele retornará para sua 20ª temporada na liga.

“Estou ansioso pela rotina e pela jornada, pois a recompensa no final valerá a pena. Amo vocês #WhoDatNation. Vamos correr mais uma vez atrás disso”, escreveu o quarterback.

Após uma eliminação dolorosa para o Minnesota Vikings, na rodada de wild card dos playoffs da Conferência Nacional (NFC), era normal que Brees, ainda de cabeça quente, quisesse esperar para tomar uma decisão. Ele acalmou os ânimos e definiu que seria melhor continuar jogando aos 41 anos de idade.

Brees já havia definido que, caso seguisse atuando em 2020, seria apenas com a camisa dos Saints. Sem quaisquer preocupações relacionadas a um novo contrato, o astro tomou a decisão.

Na temporada 2019, mesmo sofrendo com uma lesão no polegar que o tirou de cinco jogos, Brees mostrou definitivamente que ainda tem condições de atuar em alto nível na NFL.

Em 11 jogos comandando o ataque dos Saints na temporada regular, ele acertou 74,3% de seus passes para 2.979 jardas, 27 touchdowns e apenas quatro interceptações.

As estatísticas não são tão chamativas quanto nos anos anteriores, mas há que se notar que ele perdeu cinco partidas e atuou pouco na qual ele sofreu a lesão.

Brees tem completa noção de que é muito querido em Nova Orleans e que o time ainda precisa muito dele. E isso certamente facilitou (e muito) uma decisão por parte do signal caller.

Os Saints terão mais uma chance de buscar o tão sonhado segundo título de Super Bowl em 2020 e será com Brees atrás do center, o que aumenta as chances desse sonho se concretizar de maneira exponencial.

Confira mais rumores e movimentações ao redor da NFL nesta terça (18):

Greg Olsen não ficou muito tempo na fila de desempregados. O tight end, ex-Carolina Panthers, está chegando ao Seattle Seahawks sob contrato de um ano, com valor de US$ 7 milhões. O acordo contém US$ 5,5 milhões de dinheiro garantido.

A notícia foi apurada em primeira mão pelo jornalista Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana.

Olsen chegou também a visitar o Buffalo Bills e o Washington Redskins, mas se sentiu mais confortável nos Seahawks, de acordo com uma fonte.

A posição de tight end era uma carência do elenco dos Seahawks, já que Will Dissly está voltando de uma ruptura no tendão de Aquiles, sendo esta a segunda lesão significativa do atleta nas últimas duas temporadas. O veterano Ed Dickson é um candidato a ser cortado, depois de também perder a maior parte das últimas duas temporadas com problemas físicos. E Luke Willson, recontratado pelos Seahawks no ano passado, é um free agent irrestrito, enquanto que Jacob Hollister é um free agent restrito.

Olsen se tornou um free agent depois que ele e os Panthers acertaram um ‘divórcio’ mútuo depois de nove temporadas.

Três vezes selecionado ao Pro Bowl e com 13 temporadas de experiência na NFL em seu currículo, Olsen ainda estava interessado em continuar a jogar profissionalmente.

– A offseason da NFL está pegando fogo e muitos jogadores devem chegar ao mercado. Entre eles alguns nomes chamativos devem ser envolvidos em conversas de troca.

A ‘NFL Network’ fez um compilado de alguns atletas que podem ser negociados nas próximas semanas:

  • Le’Veon Bell: o running back do New York Jets tem um contrato gigantesco, mas o jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, noticiou no programa NFL Total Access que a franquia nova-iorquina nunca descartou completamente a ideia de negociar o RB, contratado por Mike Maccagnan, general manager anterior da organização. Bell não parece ser encaixar no esquema, mas o grande contrato que renderá US$ 13 milhões ao jogador em 2020 pode ser um impeditivo para tirá-lo dos Jets.
  • Cam Newton: o Carolina Panthers parece cada vez mais propenso a trocar o quarterback conforme as semanas passam. Segundo Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, a reconstrução pela qual a franquia da Carolina do Norte deve passar parece ser maior do que se imaginava quando o novo técnico Matt Rhule foi contratado. Mas Newton precisa estar saudável para ser trocado. E, como observa Rapoport, os Panthers acreditam que o signal caller será capaz de fazer algumas atividades relacionadas ao futebol americano a partir de março. Caso o QB esteja saudável, times como Los Angeles Chargers, Indianapolis Colts e Tampa Bay Buccaneers podem ir atrás do MVP da temporada 2015 da NFL.
  • Andy Dalton: o Cincinnati Bengals deve selecionar um quarterback na primeira rodada do draft de 2020 e isso significa que Dalton está com os dias contados. O jornalista Ian Rapoport, da ‘NFL Network’, noticiou anteriormente que a franquia de Ohio pretende trabalhar em conjunto com o QB para encontrar um parceiro de troca ideal no momento certo. Algumas fontes do jornalista identificam o New England Patriots como um destino ideal, mas apenas se Tom Brady decidir mudar de ares em 2020.
  • Darius Slay: como noticiamos através de Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana, nesta última segunda, o cornerback pode ser negociado pelo Detroit Lions. A franquia de Michigan vem conversando com times interessados no defensive back, mas os Lions devem pedir uma grande compensação. Isso além do fato de que Slay terá que receber um novo contrato.

Em meio a esses rumores, não se esqueça que fizemos um texto com destinos (alguns bastante improváveis) para sete quarterbacks da liga em 2020.

– O Philadelphia Eagles está dispensando o linebacker veterano Nigel Bradham, como apuraram os jornalistas Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana, e Mike Garafolo, da ‘NFL Network’.

Os Eagles declinaram a opção no contrato do defensor para 2020, o que significa que Bradham se tornará um free agent a partir do dia 18 de março, quando começa o ano novo da liga.

A decisão abre US$ 4,5 milhões no teto salarial dos Eagles, deixando o total projetado do time em torno de US$ 45 milhões antes da free agency.

Atualmente com 30 anos de idade, Bradham foi selecionado na quarta rodada do draft de 2012 pelo Buffalo Bills. Ele assinou com os Eagles em 2016 e se tornou uma peça importante da defesa comandada pelo coordenador defensivo Jim Schwartz. O linebacker teve média de 96 tackles em suas três primeiras temporadas na Filadélfia.

Ele faturou um título de Super Bowl com os Eagles na temporada 2017.

Nesta última temporada 2019, contudo, ele sofreu com uma lesão no tornozelo e somou 61 tackles e uma interceptação em 12 jogos.

Em 115 jogos na carreira, ele soma 619 tackles, 8,5 sacks, três interceptações e cinco fumbles forçados.

– O Atlanta Falcons resolveu recompensar seus chutadores nesta terça e anunciou renovações de contrato de um ano de duração com o kicker Younghoe Koo e com o punter Ryan Allen. Os detalhes financeiros do acordo não foram divulgados.

Ambos foram contratados pela franquia da Geórgia no meio da temporada passada e participaram de oito partidas.

Koo acertou 23 de seus 26 field goals (85,5%), sendo o mais longo de 50 jardas, na temporada passada. Ele também converteu 15 de 16 extra points. Ele foi nomeado o NFC Special Teams Player of the Week duas vezes no ano passado, ambas as honrarias depois de jogos em que ele converteu quatro FGs.

Já Allen, ex-New England Patriots, se firmou na posição após uma boa rotação de punters nos Falcons em 2019. Ele, que tem 29 anos de idade, foi o quarto jogador a ‘puntear’ pelo time em 2019 e teve média de 42 jardas em 28 punts, com 14 sendo colocados dentro da linha de 20 jardas e apenas três sendo touchbacks.

Vale lembrar que, recentemente, Atlanta também chegou a um acordo com o punter Sam Irwin-Hill, nascido na Austrália.

– O Pittsburgh Steelers nomeou Ike Hilliard, veterano com nove anos de experiência como treinador na NFL, como novo treinador de wide receivers da franquia.

Ele chega para substituir o treinador interino de wide receivers Ray Sherman, que saiu da aposentadoria para substituir Darryl Drake, após o falecimento de Drake durante o training camp de 2019.

Hilliard trabalhou anteriormente como treinador de WRs do Washington Redskins entre 2014 e 2019, sendo sua segunda passagem no cargo após também exercer a função em 2012.

Sob sua tutela, o wide receiver calouro Terry McLaurin liderou os Redskins em todos os três quesitos de recepções, com 58 bolas agarradas para 919 jardas e sete touchdowns em 2019.

Hilliard também foi treinador de wide receivers do Buffalo Bills em 2013 e treinador assistente de WRs do Miami Dolphins em 2011. Antes de ser treinador, ele foi wide receiver na Universidade da Flórida e foi selecionado pelo New York Giants na primeira rodada do draft de 1997. Ele passou oito temporadas nos Giants e finalizou sua carreira com quatro temporadas no Tampa Bay Buccaneers.

Comments
To Top