NFL

Daniel joga bem, defesa força turnovers e Bears batem Lions no dia de Ação de Graças

kyle-fuller-chicago-bears

Crédito: Instagram/reprodução

A tradição do jogo de Ação de Graças ser em Detroit remonta a 1934, quando os Lions receberam o Chicago Bears e perderam por 19 a 16. Nesta quinta-feira especial para os americanos, as duas equipes da NFC North voltaram a se enfrentar e os visitantes venceram novamente, por 23 a 16, no Ford Field.

A vitória tem um gosto muito especial para o Chicago Bears porque o time jogou com Chase Daniel, veterano quarterback que substituiu Mitchell Trubisky, lesionado. E Daniel não fez feio, com 230 jardas, dois passes para touchdown e a vitória na conta.

Pode colocar também o mérito da defesa dos Bears, que limitou o ataque dos Lions a todo momento e forçou duas interceptações, a última delas na end zone para sacramentar o resultado.

Com 8-3, o Chicago Bears solidificou sua liderança da NFC North, ficando três vitórias à frente do Minnesota Vikings neste momento, o segundo colocado. Já o Detroit Lions, com 3-7, ainda não está eliminado, mas nem é prudente pensar em playoffs na primeira temporada de Matt Patricia como head coach.

O jogo

O primeiro quarto foi uma troca de punts, ataques com o freio de mão puxado e nada de pontos. A primeira jogada que objetivamente colocou sal no peru e acompanhamentos foi um fumble forçado pela defesa dos Lions depois do tight end Trey Burton ter feito a recepção. O time da casa logo conseguiu avançar e LeGarrette Blount, em corrida típica, atropelando um defensor, achou a end zone.

Mas Chase Daniel, que até estava acertando seus passes, mas sem tanta agressividade, começou a soltar mais o braço, especialmente em passe que rendeu 29 jardas para Allen Robinson. Cody Parkey entrou em campo para o field goal.

A recompensa seria maior na campanha seguinte, com mais passes certeiros e achando Taquan Mizzell na end zone para o touchdown em jogada que teve muita reclamação, porque Robinson fez um bloqueio que foi entendido como involuntário, mas teve certa malícia: o jogador de ataque só pode fazer isso na linha de scrimmage ou uma jarda depois. Robinson, para disfarçar, se posicionou como recebedor e atrapalhou a marcação, levantando as mãos para receber mesmo que a bola não fosse para ele.

No segundo tempo os dois times trocaram touchdowns. Os Lions com Blount novamente depois de uma big play de Stafford para Kenny Golladay. Os Bears logo depois em passe de Daniel para Tarik Cohen. Um field goal dos Lions deixou o jogo empatado em 16, mas depois de ter a bola de volta após péssima campanha, Stafford foi interceptado por Eddie Jackson, que pelo segundo jogo seguido teve uma pick six.

Com seis minutos faltando, ainda dava para os mandantes sonharam e uma campanha equilibrada levaram eles ao campo de ataque, na linha de 11. Mas outro passe de Stafford – 28/38, 236 jardas, duas interceptações – encontrou as mãos de um jogador rival, dessa vez Jyle Fuller na end zone. Fim de jogo, vitória dos Bears.

Popular

Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright QuintoQuartoBR

To Top