NFL

Arizona Cardinals surpreende um total de 0 pessoas e seleciona quarterback Kyler Murray

Kyler Murray, quarterback da Universidade de Oklahoma

(Crédito: Twitter/reprodução)

Mais óbvio do que isso, só o Roger Goodell sendo vaiado a cada aparição pública. Com a escolha número 1 do draft de 2019 da National Football League, o Arizona Cardinals selecionou o quarterback Kyler Murray, da Universidade de Oklahoma.

O signal caller era o mais cotado para ser selecionado pelos Cards e a lógica se confirmou na noite desta quinta-feira (25).

Nos Cards, Murray reencontra o Kliff Kingsbury, novo head coach de Arizona, que recrutou o QB para Texas Tech quando Kingsbury era coordenador ofensivo por lá.

Agora, depois desta seleção, o grande questionamento fica acerca do futuro do quarterback Josh Rosen na franquia de Glendale. Selecionado com a décima escolha geral do draft do ano passado, Rosen agora está com o futuro mais incerto do que tudo.

Segundo Michael Silver, da ‘NFL Network’, fontes ligadas aos Cardinals disseram que o time não vai “dar” Josh Rosen e que está preparado para mantê-lo, caso seja preciso. Para ceder o QB, a organização de Michael Bidwill deseja uma escolha de primeira metade da rodada inicial do draft.

Mas, voltando a Murray, os Cards conseguem um quarterback que é a cara da NFL moderna. Apesar de não ter uma grande estatura, ele é um atleta de primeira, com ótimo braço (sendo também muito preciso nos passes) e capacidade de correr como poucos. É uma espécie de Russell Wilson e pode se tornar um Wilson 2.0.

Vencedor do Heisman Trophy 2018 (dado ao melhor jogador do futebol americano universitário), Murray teve média de 11,6 jardas por tentativa de passe em 2018, maior média para um QB da FBS com 200 ou mais tentativas de passe em uma única temporada nos últimos cinco anos.

Isso mostra muito que Murray é um líder de ataque que está longe de pensar primeiro em correr. Ele tem essa habilidade monstruosa, mas é um talento nato com o braço.

Prova disso é que ele jogou beisebol por toda a sua vida e, agora, é o primeiro atleta da história a ter sido selecionado na primeira rodada tanto do draft da National Football League quanto da Major League Baseball (MLB), já que também foi selecionado com a nona escolha geral pelo Oakland Athletics.

Um dado que preocupa é que Murray só teve uma temporada completa como titular em Oklahoma. E isso, até certo ponto, pode dificultar a transição para o nível profissional. Mas os números do camisa 1 em 2018 são de encher os olhos.

Murray completou 69% de seus passes para 4.361 jardas e 42 touchdowns, tendo sofrido apenas sete interceptações. Ele acrescentou 1.001 jardas corridas e 12 TDs pelo solo, totalizando 5.362 jardas de scrimmage. Wow.

Contudo, com Murray, os Cardinals estão posicionados para o futuro. E com um quarterback de primeira linha, dotado de muito talento. É um jovem com uma perspectiva brilhante no futebol americano profissional.

Qualquer coisa abaixo disso deixaria os Cardinals (e todos nós) mais do que decepcionados.

Agora, a incumbência do primeiro escolhido no draft de 2019 será comandar a versão do ataque Air Raid que Kingsbury vai implementar em Arizona. E a vantagem é que Murray ganhou muita experiência liderando um ataque dinâmico assim em Oklahoma.

Durante o NFL Scouting Combine, Murray disse que ele ficaria “muito confortável” comandando o ataque de Kingsbury devido à história e relacionamento dele com o seu agora head coach na NFL.

Comments
To Top