NFL

Após eliminação dolorida, Drew Brees planeja voltar para sua 19ª temporada

Drew Brees, quarterback do New Orleans Saints

(Crédito: Instagram/reprodução)

Drew Brees completou 40 anos de idade na última terça-feira, mas ele não recebeu o presente de aniversário que ele realmente gostaria. A eliminação para o Los Angeles Rams, com um erro grotesco da arbitragem, com toda certeza foi um dos momentos mais sofridos da carreira do genial quarterback.

Mas engana-se quem acha que esse deve ser o último capítulo do camisa 9.

Questionado sobre o quanto ele acha que estará atuando em sua 19ª temporada em 2019, o signal caller do New Orleans Saints foi enfático: “eu me sinto muito positivo”.

Ainda mais confiante, Brees continuou: “eu pretendo estar aqui no próximo ano e fazer outra caminhada até ele (Super Bowl)”.

“Minha mente nem está lá agora. Então, tudo está bem fresco”, afirmou Brees, após a derrota por 26 a 23 na prorrogação para os Rams, na final da Conferência Nacional (NFC). “Mas (eu) vou apenas tomar alguns dias para meio que deixar a poeira baixar, conversar com meus companheiros de equipe e meus treinadores. Mas eu pretendo estar aqui no próximo ano e fazer outra caminhada até ele”, frisou.

O ídolo dos Saints então foi perguntado se o fato de ele não saber quantas chances mais ele terá de disputar um Super Bowl torna a derrota ainda mais dura. E ele não escondeu a realidade: “sim, torna. Sim, isso torna”.

Brees, que tem um ano remanescente no contrato de dois anos que ele assinou na offseason do ano passado, teve uma das melhores temporadas de sua carreira profissional.

Ele acertou 74,4% de seus passes e teve um passer rating de 115.7, melhores marcas de sua carreira. Foram 3.992 jardas, 32 touchdowns e apenas cinco interceptações em 15 jogos na temporada regular. E, neste meio tempo, ele ainda ultrapassou Peyton Manning e se tornou o líder de jardas da história da NFL (tem 74.437 neste momento).

Mas a temporada de Brees e do seu NO Saints terminou de maneira melancólica, graças a um erro crasso da arbitragem, que não marcou uma interferência no passe da defesa no final do tempo regular. E também graças a uma interceptação lançada por Brees na prorrogação.

Brees foi pressionado e tomou uma pancada do pass rusher Dante Fowler Jr. e a bola ficou pendurada no ar antes de ser agarrada pelo safety John Johnson III. Cinco jogadas mais tarde, Greg Zuerlein acertou o field goal de 57 jardas que mandou os Rams para o Super Bowl LIII.

“Infelizmente, tomar uma pancada no braço e a bola ficar voando no ar, essa é uma dura maneira de dar a bola a eles na prorrogação”, falou Brees, que foi questionado sobre quão duro é terminar sua temporada com uma jogada como aquela. “Sim, é difícil. É difícil”, refletiu, antes de fazer uma longa pausa.

“Eu achei que tínhamos uma chance de descer e conseguir pontos e um touchdown para vencer o jogo”.

Antes da fatídica interceptação, Brees teve uma boa atuação e fechou a noite com 249 jardas aéreas e dois passes para TD. E ele ainda completou um lindo passe de 43 jardas para Ted Ginn Jr. na campanha que resultou no FG que deixou os Saints em vantagem na reta final do tempo normal.

Tudo isso, entretanto, não foi suficiente para levar os Saints ao segundo Super Bowl da história da franquia. E, na próxima temporada, será o aniversário de 10 anos do título do Super Bowl XLIV, na temporada 2009.

“Ouçam, isso tem que te motivar”, afirmou Brees, referindo-se à maneira como terminaram as duas últimas temporadas dos Saints, contando o Minneapolis Miracle na temporada 2017. “Obviamente, isso machuca agora e, provavelmente, vai machucar por um algum tempo. Mas quando olharmos para trás para o New Orleans Saints de 2018, cara, esse foi um time especial e esse foi um ano especial”, finalizou.

Comments
To Top