NFL

Anquan Boldin quer disputar sua 15ª temporada na NFL em 2017

Anquan Boldin, wide receiver do Detroit Lions

(Crédito: Twitter/reprodução)

O wide receiver Anquan Boldin, que defendeu o Detroit Lions em 2016 e atualmente está disponível no mercado, quer disputar sua 15ª temporada na National Football League em 2017, como afirmou Angela LaChica, assessora do atleta, nesta segunda-feira (13).

Atualmente com 36 anos de idade, Boldin é um dos melhores recebedores da história da NFL e deve entrar no Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF) no futuro.

Em 2016, nos 16 jogos de temporada regular dos Lions em que esteve em campo, ele fez 67 recepções para 584 jardas e oito touchdowns, sendo o vice-líder entre recebedores da equipe em recepções e jardas, e o líder em recepções para TD. Contudo, o camisa 80 teve dificuldades para se desmarcar dos defensores.

Selecionado na segunda rodada do draft de 2003 pelo Arizona Cardinals, com a 54ª escolha geral, ele atuou na franquia de Glendale em suas sete primeiras temporadas na liga. Posteriormente, ele ainda vestiu as camisas do Baltimore Ravens (2010 a 2012), San Francisco 49ers (2013 a 2015) e Lions (2016).

Anquan Boldin é o 14º na história da NFL em jardas recebidas, com 13.779 na carreira, e ele precisa de apenas mais 120 jardas recebidas para superar Cris Carter e assumir a 13ª colocação. Entre jogadores ativos, ele é o segundo, atrás apenas de Larry Fitzgerald (14.389). Boldin também é o nono na história da liga em recepções, com 1.076, e o terceiro no quesito entre jogadores ativos, atrás de Fitzgerald (1.125) e Jason Witten (1.089). Ele está duas recepções atrás de Terrell Owens, oitavo da história.

Boldin também é muito conhecido por seu trabalho social fora dos campos. Depois da temporada 2015, ele foi nomeado o Walter Payton Man of the Year da NFL, prêmio dado pela liga a atletas que se destacam em trabalhos comunitários, e foi um entre cinco jogadores da NFL a se reunir com legisladores em Washington, em novembro do ano passado, para debater relações raciais e brutalidade policial nos Estados Unidos.

Comments
To Top