NFL

Andre Rison refere-se a problemas legais como “grande obstáculo”; veja manchetes

No Huddle – O boletim de notícias de NFL do Quinto Quarto

– Andre Rison refere-se a problemas legais como “grande obstáculo”: acusado de violar sua condicional em caso de abuso infantil, o ex-jogador da NFL decidiu se entregar ao ter um mandado de prisão assinado por um juiz. “Estou só cansado. Aqui estou eu, sendo visto como um criminoso”, lamentou Rison, que jogou na NFL por 12 temporadas, antes de se aposentar em 2000. “Meu erro foi anos atrás e eu ainda estou no microscópio. É frustrante”, acrescentou o ex-atleta.

– Lesão de Jordy Nelson limitou playbook dos Packers em 2015: no ano passado, o wide receiver perdeu toda a temporada em decorrência de uma lesão no ligamento cruzado anterior e, por motivos óbvios, acabou prejudicando o ataque da franquia. Nesta semana, inclusive, o quarterback Aaron Rodgers disse que a lesão de Nelson limitou as jogadas que o time de Green Bay conseguiu realizar. “É uma desculpa, mas é verdade”, lamentou o astro da franquia para a ‘ESPN’ americana.

– Philadelphia Eagles faz planos para a suspensão de Lane Johnson: após violar o código de substâncias permitidas pela NFL, o offensive tackle pode ser banido por dez jogos da próxima temporada, o que deixaria uma lacuna no elenco dos Eagles. Então, o técnico Doug Pederson já está começando a pensar em um plano B. “Eu tenho que antecipar que há uma chance [de eu precisar]”, disse o treinador.

– Chandler Jones agradece por ter sido trocado para o Arizona Cardinals: draftado pelo time de New England em 2012, o defensor foi trocado nesta offseason, é ficou satisfeito com a transação. Agora nos Cardinals, Jones se mostrou extremamente aliviado pela franquia escolhida pelos Pats para ser sua nova casa. “Eu liguei para ele [Bill Belichick, técnico do New England Patriots] e disse ‘você poderia ter me trocado com qualquer time, então obrigado por não ter me colocado em um time ‘bo*ta’”, contou o atleta.

– Agente de Desmond Bryant e Cleveland Browns renegociam salário do jogador: com o músculo peitoral rompido, o defensive end do Cleveland Browns pode ter problemas em receber os US$ 6 milhões de seu salário pela temporada, mas não no que depender de seu agente. Segundo fontes da ‘ESPN’ americana, a franquia não tem obrigação de pagar o defensive end, mas Drew Rosenhaus, agente de Bryant, encontrou com os Browns nesta terça-feira para negociar algo favorável para o atleta.

– Prioridade de Jimmy Graham é conectar com Russell Wilson: após meses afastado do Seattle Seahawks, enquanto se recuperava de uma lesão sofrida na última temporada, o ex-tight end do New Orleans Saints já tem um foco para treinar no Seattle Seahawks. “Meu maior foco era voltar no campo e iniciar a conexão com Russ [Russell Wilson] novamente”, disse Graham. “Esse foi o maior objetivo para mim nos últimos três meses”.

– Indianapolis Colts dispensa Amarlo Herrera: selecionado na sexta rodada do draft de 2015, o linebacker foi cortado nesta quarta-feira, segundo anúncio oficial da franquia. No ano passado, o atleta chegou a participar de apenas três jogos da temporada regular.

– Rashad Johnson, defensive back do Tennessee Titans, acha improvável que o time seja campeão da AFC South: rumo à sua primeira temporada na franquia, Johson não confia muito no taco dos Titans, onde foi contratado nesta offseason. Afinal, o time venceu nas duas últimas temporadas juntas apenas cinco jogos. “Não vamos prometer a essas pessoas um Super Bowl, mas um time que vá lá todos os dias, melhores todos os dias”, disse o defensive back para o ‘Good Morning Football’.

– Carlos Hyde diz que 2016 é o ano do ‘ou vai ou racha’: running back draftado em 2014 pelo San Francisco 49ers, Carlos Hyde não sente que teve um bom desempenho em seus dois anos de NFL (de fato, na última temporada ele participou de sete jogos) e quer melhorar. “Estou abordando este ano como um ‘ou vai ou racha’ “, disse Hyde na quarta-feira. “Eu vou fazer dar certo ou não vai dar certo. Eu estou realmente tentando me concentrar neste ano. Para mim, este é um grande ano”.

– Marquise Goodwin consegue vantagem na disputa por papel de titular: no Buffalo Bills desde 2013, o wide receiver está fazendo o que pode para conquistar o posto de jogador titular para a temporada de 2016 e está bem no páreo. “Que a arma que ele é, hein”, disse o coordenador ofensivo Greg Roman, para o site oficial da equipe. “Velocidade de classe mundial. O cara tem uma atitude diferente e um olhar diferente neste ano e eu gosto. Ele está aparecendo a cada dia”.

– Coordenador ofensivo dos Jets está tendo trabalho com os quarterbacks da franquia: treinando quatro sinal callers, Chan Gailey está ralando no training camp do New York Jets, tentando decidir que irá de fato entrar em campo no começo da temporada regular. “Você está tentando obter caras prontos para jogar a temporada, e avaliar outros caras, e é muito difícil”, comentou o treinador nesta terça-feira.

– Semanas após ser expulso de treino, Austin Seferian-Jenkins é outro jogador: no último mês de junho, o tight end do Tampa Bay Buccaneers foi convidado a se retirar do campo pelo técnico Dirk Coetter e, apesar de radical, a abordagem surtiu o efeito desejado. “Se eu quiser ser um grande jogador que eu sou capaz de ser, e eu acho que posso ser um jogador muito especial, eu tenho que ser detalhista”, comentou o atleta. “Agradeço a Deus todos os dias ele me expulsou do treino. Isso foi um chamado de alerta”.

Comments
To Top