NFL

Análise das contratações na NFL entregando troféus de mentira

Cameron Wake, defensive end do Miami Dolphins contratações na nfl

(Crédito: Twitter/reprodução)

A free agency da NFL basicamente morreu agora. Ndamukong Suh ainda está esperando seu contrato de mais de um ano e pode ter que esperar sentado. Veteranos como Justin Houston pensam seriamente se vale a pena explodir o joelho em cinco partes diferentes em um time que terminará 5-11. É nessa hora que eu entro com os troféus.

Sim, eu sou o cara dos troféus. Todo dia entrego um com o nome de Brian Scalabrine para o melhor jogador da noite na NBA. E todo dia preciso responder porque escolhi X e não Y.

Então por que não dar uma olhada no nosso lindo listão e criar algumas categorias falsas para me divertir? Vamos nessa então. A última delas foi a melhor contratação, na minha forma de ver, levando em conta o custo-benefício.

Contrato que parece bom agora, mas pode ser péssimo em um ano

Vencedor mais icônico recentemente: Nate Solder

Vencedor em 2019: Nick Foles

Depois de ver Ereck Flowers jogar, os torcedores dos Giants apoiariam que eu ganhasse um contrato de três anos e US$ 30 milhões, mesmo que não consiga sequer dobrar meus joelhos. Hoje é fácil criticar o contrato de Solder, mas no ano passado ele era um left tackle no mercado, campeoníssimo nos Patriots e a ideia era ter Odell, Saquon, uma linha boa e ver o que Eli tinha no tanque. Para ser simpático, vamos dizer que com o que Eli tem no tanque, os Giants precisam andar muito na banguela.

Eu acho que com Nick Foles há a grande possibilidade de quebrar a cara. Claro que o time não podia continuar com Bortles e Foles era o que tinha para hoje. Mas talvez Teddy Bridgewater por um preço menor te daria algo a mais. Foles fora da Filadélfia foi horrível, com sete TDs e 10 interceptações e pouco mais de seis jardas por tentativa no St. Louis Rams, sua única experiência como titular fora dos Eagles.

Sim, os Rams tinham Jeff Fisher. Ok, os Jaguars terão John DeFilippo de coordenador ofensivo, sendo que ele foi o treinador dos quarterbacks na conquista do Super Bowl dos Eagles. Mas é um jogador de 30 anos, recebendo mais de US$ 20 milhões por temporada com uma linha que não é tão boa como aquela dos Eagles e não tem um corpo de recebedores que se compare com o dos campeões da temporada retrasada.

Sim, ele entrou bem em duas temporadas seguidas com os Eagles. Mas temos que considerar também a aura que ele tem com aquele uniforme, o bom Doug Pederson e o fato de o time, possivelmente, não gostar tanto assim de Carson Wentz. Nos Jaguars ele começa do zero. Não sei não.

Contrato bom que aproveita uma lesão recente do jogador

Vencedor mais icônico recentemente: Tyrann Mathieu

Vencedor em 2019: Daryl Williams

Mathieu teve um histórico de lesões, mas o Houston Texans pagaram para ver com um contrato de apenas um ano e tiveram excelentes notícias com o safety. Nesta offseason ele ganhou o caminhão de grana do Kansas City Chiefs.

Williams teve uma excelente temporada em 2017, sendo um destaque dos Panthers jogando como right tackle. Ele foi até escolhido para o segundo time All-Pro. Só que chegou em 2018, ele machucou o joelho no training camp, entrou em campo baleado e acabou sendo descartado logo de cara para terminar na mesa de operação.

Carolina já tem o Matt Kalil para pagar de cag*** feita com contrato de vários anos e não repetiu de novo. Fechou por um ano e US$ 7 milhões com seu RT draftado em 2015. Bom para todos os lados.

Contrato inexplicável dado para um bom jogador

Vencedor mais icônico recentemente: Sammie Watkins

Vencedor em 2019: Golden Tate

Dois recebedores em anos seguidos. Sammy Watkins é um bom jogador. Mas ele chegou em um elenco com Tyreek Hill, à época Kareem Hunt e também Travis Kelce. Ou seja, ele seria a quarta opção e mesmo assim ganhou US$ 21 milhões garantidos. Óbvio que sua temporada mostrou o erro: ele jogou em 10 partidas, não chegou a 600 jardas e teve três TDs. Ele não é ruim, mas foi pago demais para uma situação que não fazia sentido.

Já os Giants fizeram ainda pior. São US$ 23 milhões garantidos para o veterano Golden Tate, que ainda pode ser muito bom, mesmo que não tenha mostrado tanto nos Eagles. Só que em NY ele vai jogar em um time sem quarterback, sem estrutura e que estaria melhor se partisse para a reconstrução. Tate começará a temporada com 31 anos.

Contrato inexplicável. Ponto.

Vencedor mais icônico recentemente: Sam Bradford

Vencedor em 2019: Latavius Murray

Pelo menos não foi tão caro e inexplicável como o contrato de Bradford com os Cardinals, de um ano e US$ 15 milhões. Mas eu não consigo explicar Murray aqui. Tudo bem, você quer seguir em frente e não pagar muito para o Mark Ingram, que fez excelente duo com Alvin Kamara.

Mas Murray tem 29 anos. Running backs envelhecem rápido. Quantas vezes falamos que pagar para running backs em um segundo ou terceiro contratos é dispensável?

E a análise do Sports Illustrated é brilhante para mim: Ingram tem 215 libras (98 kg), mas ele é forte e impõe com sua forma de correr. Murray tem 230 libras (104 kg), mas como ele é alto não parece ter toda essa força. E também parece que sempre é comido por tackles. Os Saints já tem o RB “habilidoso” e agora pagaram mais de US$ 4 milhões por ano para piorar na posição. Alguém me explica porque eu não entendi.

Contrato dado para veterano que pode ser interessante

Vencedor mais icônico recentemente: Julius Peppers nos Packers

Vencedor em 2019: Cameron Wake

É arriscado? É. Mas Wake ainda foi importante para os Dolphins em 2018, mesmo que os Dolphins não queiram ser importantes para a liga. E ele pode ser o professor de um jogador como Harold Landry, que terminou bem a temporada e pode aprender muito com um veterano de 37 anos que foi chutado da liga, jogou na CFL, voltou e foi a cinco Pro Bowls.

Thomas Davis nos Chargers pode ter o mesmo efeito e ainda ter impacto no campo.

A esfiha do Habib’s a 0,39/bala de hortelã da Garoto versão contratação da NFL

Não vou dar um migué e colocar a contratação do Odell Beckham Jr. aqui. Quer saber? Vou sim. Minhas opções aqui eram a contratação de Jason Verrett pelos Niners, um cornerback que foi excelente quando saudável, mas é o mais zicado da liga com lesões e também Ronald Darby, que saiu barato por US$ 8,5 milhões para os Eagles.

Mas a possibilidade de ter um dos melhores wide receivers da liga, ele ter um contrato longo com um bônus grande pago pelo time burro que o trocou e tendo que abrir mão “apenas” de um safety promissor, uma escolha de primeira e uma de terceira é bom demais. Especialmente porque Odell vai encaixar como uma luva com Baker Mayfield e Jarvis Landry.

Desculpa ter saído um pouco da free agency, mas esta troca tem um valor imenso para os Browns.

 

Comments
To Top