NFL

Aaron Rodgers acerta novo contrato histórico com o Green Bay Packers

Aaron Rodgers, quarterback do Green Bay Packers

(Crédito: Twitter/reprodução)

O quarterback Aaron Rodgers fechou um novo contrato recorde com o Green Bay Packers nesta quarta-feira (29) e, agora, é o novo jogador mais bem pago da história da National Football League.

A extensão é de quatro anos de duração, com valor total de US$ 134 milhões, incluindo quase US$ 103 milhões em garantias. Os detalhes do contrato foram apurados pelos jornalistas Ian Rapoport e James Palmer, da ‘NFL Network’, e Adam Schefter, da ‘ESPN’ norte-americana.

Rodgers vai receber um bônus de assinatura recorde de US$ 57,5 milhões e vai faturar mais de US$ 80 milhões até março de 2019, segundo Rapoport.

A renovação foi anunciada pelos Packers de maneira oficial no final da tarde desta quarta.

A média de faturamento dele agora é de US$ 33,5 milhões por temporada e o acordo vai até a temporada 2023 da NFL.

Segundo Schefter, o valor máximo total do contrato gira entre US$ 176 milhões e US$ 180 milhões, baseado em US$ 4 milhões em incentivos relacionados a levar os Packers aos playoffs e em Rodgers terminar no top 3 de quarterback rating.

Anteriormente, Rodgers assinou uma extensão de contrato de cinco anos, com valor de US$ 110 milhões, em 2013 e ele ia entrar na temporada regular com dois anos remanescentes em seu contrato, que pagaria salários-base de US$ 20,9 milhões em 2018 e US$ 21,1 milhões em 2019.

As duas partes vinham trabalhando em uma extensão de contrato desde março e Brian Gutekunst, novo general manager dos Packers, disse que esperava que um contrato fosse selado nesta offseason.

Quando o quarterback Matt Ryan, do Atlanta Falcons, assinou uma extensão de contrato em maio com média de US$ 30 milhões por temporada, isso abriu caminho para os Packers tornarem Rodgers o jogador mais bem pago da NFL mais uma vez.

Tudo isso se deu depois que Jimmy Garoppolo fechou contrato com média de US$ 27,5 milhões por temporada com o San Francisco 49ers, em fevereiro, e Kirk Cousins fechou acordo de US$ 28 milhões por temporada com o Minnesota Vikings, em março.

Na época em que Rodgers assinou seu contrato anterior, em 2013, ele estava no topo do ranking de mais bem pagos da liga, com US$ 22 milhões por ano. Rodgers ultrapassou Joe Flacco, quarterback do Baltimore Ravens, que com um contrato de média de US$ 20,1 milhões era o mais bem pago da NFL.

Contudo, antes deste novo contrato, Rodgers tinha caído para a posição de nono mais bem pago da liga.

Atualmente com 34 anos de idade, Rodgers disse recentemente que gostaria de seguir os passos de Tom Brady, astro do New England Patriots, e jogar até depois dos 40 anos de idade.

Rodgers está entrando em sua 14ª temporada na NFL, mas apenas na 11ª como titular, já que ele foi reserva de Brett Favre nas três primeiras temporadas de sua carreira.

Mais cedo nesta offseason, o camisa 12 dos Packers declarou: “eu disse que amaria terminar minha carreira aqui”.

O signal caller dos Packers sofreu duas lesões mais graves nas últimas cinco temporadas – uma fratura na clavícula esquerda em 2013 e uma fratura na clavícula direita no ano passado.

Após a primeira dessas lesões, ele voltou na temporada seguinte e ganhou seu segundo prêmio de MVP da NFL.

Em 149 jogos de temporadas regulares na carreira até agora, Aaron Rodgers acertou 65,1% de seus passes para 38.502 jardas, 313 touchdowns e apenas 78 interceptações, o que o deixa com um passer rating de 103.8. Ele também correu 525 vezes para 2.670 jardas e 25 touchdowns.

Seu passer rating e proporção de TD-INT o deixa em primeiro na história da NFL (mínimo de 2.000 passes lançados na carreira).

Em sua carreira, Rodgers soma 94 vitórias e 48 derrotas como titular em jogos de temporadas regulares.

Desde que entrou na liga, ao ser selecionado na primeira rodada do draft de 2005 pelos Packers, com a 24ª escolha geral, Rodgers se tornou um dos maiores ídolos da história da organização e ele é considerado por muitos o melhor quarterback da NFL na atualidade.

Ele levou o Green Bay Packers ao título do Super Bowl XLV, decisão da temporada 2010 da NFL, quando o time derrotou o Pittsburgh Steelers pelo placar de 31 a 25. Naquele jogo, disputado no dia 6 de fevereiro de 2011, no Cowboys Stadium, Rodgers acertou 24 passes de 39 para 304 jardas e três touchdowns.

Rodgers também foi nomeado a seis Pro Bowls e é um de apenas oito quarterbacks em atividade a ganhar um Super Bowl.

Ele é o segundo quarterback mais produtivo da história dos Packers, atrás apenas de Favre, que é membro do Hall da Fama do Futebol Americano Profissional (PFHOF).

Desde 2008, os Packers somam 94 vitórias e 46 derrotas e têm média de 27,7 pontos por jogo com Rodgers em campo. Para efeito de comparação, sem Rodgers, o time tem seis vitórias, 13 derrotas e um empate, com média de apenas 20,2 pontos por partida.

Comments
To Top