NFL

49ers já tiveram uma “experiência Chiefs” na temporada: o que deu certo e o que deu errado?

george kittle san francisco 49ers

As finais de conferência foram a repetição de dois jogos que aconteceram na temporada regular de 2019. E 49ers x Packers teve basicamente o mesmo roteiro do primeiro duelo entre as franquias.

Para começar a análise do Super Bowl LIV, que acontecerá em 12 dias, fomos atrás dos jogos do San Francisco 49ers e do Kansas City Chiefs para saber se há paralelos entre algumas das partidas que as equipe fizeram e a que será disputada no dia 2 de fevereiro.

Não encontramos algo similar aos Niners no calendário dos Chiefs. Mas encontramos algo comparável aos Chiefs na semana 14 para o time californiano.

Ataque potente e moderno, QB amedrontador, defesa boa contra a corrida (?)

Não dá para chamar o New Orleans Saints de Kansas City Chiefs da NFC. Mas dá para traçar diversas similaridades, inclusive podendo aparecer o mesmo cenário da partida do Superdome: um tiroteio maluco.

Saints e Chiefs têm ataques potentes e modernos. Ambos saem da cabeça de treinadores de mentalidades ultra-ofensivas, sempre inovando e pensando fora da caixa. Os Saints conseguem variar screens e passes curtos, explorar Michael Thomas em todos os posicionamentos e ainda trazer Taysom Hill para fazer literalmente de tudo, até cavar buracos no gramado se precisar.

Já os Chiefs não tem um QB que sai do banco para causar porque seu camisa 15 já causa o suficiente. Não só ele pode fazer todo tipo de arremesso, inclusive com a outra mão, como ainda tem uma excelente capacidade de improvisação, que pode quebrar qualquer defesa. Falando mais em esquema, os movimentos pré-snap dos Chiefs são constantes, usados para confundir e descobrir qual será a marcação.

Passando para o jogo corrido, a defesa para impedir sua “implantação” é um aspecto subestimado dos Saints, sendo a quarta melhor em jardas por jogo.

Como vou dar uma pirueta em relação a isso, já que os Chiefs foram uma das piores da temporada da NFL nesse sentido?

Os Chiefs tornaram-se uma boa defesa contra a corrida nos playoffs! Pronto.

Contra os Titans o time conseguiu limitar Derrick Henry a 69 jardas apenas, depois dele ter conseguido dar uma volta ao mundo nos três jogos anteriores.  Não só esse número total é importante como as paradas que a equipe conseguiu em jogadas vitais, jogando corpos em Henry na linha de scrimmage ou perto disso.

Contra os Texans, Carlos Hyde teve apenas 44 jardas e o time texano não conseguiu proteger sua grande liderança simplesmente correndo com a bola.

Não é novidade que a defesa dos Chiefs melhorou. O suficiente para parar o que Kyle Shanahan trará na bagagem para a Flórida junto com a sunga? Veremos.

drew brees saints 49ers

E como os Niners foram contra os Saints?

Muito bem e mal ao mesmo tempo, mas bem no geral. A equipe venceu no Superdome, algo que nunca é fácil. Mas a defesa não chegou nem perto de parar Drew Brees, que teve 349 jardas e 5 TDs. Michael Thomas, então, foi incrível, com 134 jardas.

É possível que Patrick Mahomes e Tyreek Hill, por exemplo, consigam fazer algo igual? Sim, se a pressão que é tão característica dos Niners não chegar, algo que aconteceu em Nova Orleans. E não tem a desculpa de desfalques, já que a turma toda – Nick Bosa, Buckner, Armstead, Fred Warner, Sherman atrás – estava presente, faltando “apenas” Kwon Alexander.

Como foi um jogo de ataques aéreos a defesa não teve que encarar uma fúria de jogo corrido, apesar de Latavius Murray ter sido competente: 7 carregadas, 69 jardas. O que foi realmente impressionante da defesa dos Niners foi ter conseguido parar Alvin Kamara, que teve míseras 25 jardas em 13 carregadas.

Pensou em uma tendência? Dalvin Cook, Aaron Jones e Alvin Kamara não se criaram nessa defesa. Damien Williams sofre ao pensar nisso já nesta terça.

Indo para o ataque, sem dúvidas foi o jogo mais importante de Jimmy Garoppolo na temporada, com 349 jardas, 4 TDs e uma interceptação. A sua quarta descida para 2 completa para George Kittle foi a diferença entre perder e ganhar. E sua conexão com Emmanuel Sanders foi incrível, conseguindo 157 jardas e 1 TD. Sanders aliás teve passe para TD também em uma trick play.

O ataque terrestre dos Niners já tinha Raheem Mostert como protagonista e somou 169 jardas no total.

Depois de duas partidas, especialmente contra Green Bay, em que Jimmy G foi um detalhe basicamente, é normal pensar se ele tem na manga uma partida como dessas, onde ele bateu cabeça a cabeça contra Drew Brees em Nova Orleans e venceu.

As mesmas armas estão ali, com Kittle e até Deebo Samuel crescendo de produção. A linha ofensiva segue sendo sólida.

O que é mesmo difícil é abrir mão do jogo terrestre, que está entrando de forma maravilhosa, com Kittle e Kyle Juszczyk agindo como um sexto e sétimo membros da linha ofensiva. E ter Mostert correndo e conseguindo first downs significa ver Patrick Mahomes no banco olhando para o nada.

A desabrochada de Mostert pode ser o melhor antídoto para evitar que aconteça o que aconteceu no Superdome: o jogo sair das mãos da defesa e Jimmy Garoppolo precisar de uma quarta para 2 monstruosa para vencer. Até porque, por mais que Drew Brees seja Drew Brees, Patrick Mahomes é o melhor QB da NFL e tem um arsenal de armas até superior ao veterano de New Orleans.

Comments
To Top