NBA

Warriors superam Rockets e enfrentam Cavaliers pela quarta vez seguida

stephen curry warriors

Crédito: Instagram/reprodução

Até a temporada passada nunca duas equipes tinham feito três duelos seguidos nas finais da NBA. Agora são quatro. O Golden State Warriors bateu o Houston Rockets por 101 a 92, no Toyota Center, e vai enfrentar o Cleveland Cavaliers, que também passou por uma batalha de sete jogos nas finais do Leste. O primeiro jogo será na quinta-feira, na Oracle Arena.

Vencedor de dois dos três confrontos contra a franquia do Ohio, os Warriors vão tentar seu terceiro título em quatro anos e o quinto título da história da franquia, considerando os anos de Philadelphia Warriors e a conquista de 1955/56 contra o Fort Wayne Pistons.

A equipe chega para as finais inteira, com seus quatro All-Stars disponíveis e Andre Iguodala provavelmente de volta, após o veterano perder os jogos 4, 5, 6 e 7 por uma pancada em colisão com James Harden. O time terá a vantagem do mando de quadra, coisa que não teve nas finais do Oeste. Em todos os confrontos contra os Cavs, os Warriors tiveram o direito de disputar um possível jogo 7 em casa e iniciar o confronto em seus domínios.

O jogo

Sem Chris Paul, descartado nesta segunda-feira por lesão, os Rockets poderiam sentir uma falta imensa de seu armador no começo da partida. Até sentiram, mas Eric Gordon fez seu papel de forma muito competente, mostrando a agressividade habitual.

O mesmo pode ser dito de P.J. Tucker, um verdadeiro leão nos rebotes ofensivos – ele somou oito na partida, mais quatro defensivos – e Clint Capela, bem no lado defensivo e se impondo contra jogadores mais baixos no garrafão.

Porém, algo não clicou para os Rockets e que é fundamental para a equipe: a bola de três. Seja com James Harden, Trevor Ariza e Eric Gordon, o arremesso longo foi lamentável, especialmente no segundo tempo. Mas isso não impediu que o time abrisse vantagem na metade inicial (chegou a 15), já que os Warriors abusavam dos turnovers, 16 na partida, a maioria deles nos dois primeiros quartos.

Outro excelente sinal para os Rockets foi a terceira falta de Klay Thompson logo no começo do primeiro quarto, forçando o camisa 11 a ficar no banco e os Warriors a terem menos um marcador de perímetro, sendo que sem Iguodala o time já estava desfalcado dessa commodity, tão importante na NBA atual.

Porém com os Warriors você nunca pode deixar eles reagirem. No terceiro quarto os texanos voltaram com fome de três e só encontraram o aro, enquanto Stephen Curry, mal na partida até aquele momento, simplesmente pegou fogo.

E nesta sequência os visitantes venceram a partida: faltando 8:42 para terminar o terceiro quarto, Durant fez uma bola de três com uma assistência de Curry. Nick Young fez outra para cortar a diferença para cinco, Draymond Green fez uma bandeja com assistência de Curry, o camisa 30 meteu uma bola de 3, Durant idem e o duas vezes MVP da NBA fez outra.

Ainda tinha mais: na sequência, Stephen Curry fez duas cestas de dois, uma delas beirando o arco e meteu mais uma bola de três faltando 2:11 para o quarto acabar. Ou seja, em pouco mais de seis minutos, a desvantagem de 11 passou para uma vantagem de 9 com 13 pontos e duas assistências do armador dos Warriors.

Os Rockets têm muito a reclamar: a arbitragem deixou contato a noite inteira, mas em certas bolas ficaram claras as faltas dos jogadores dos atuais campeões, com um arremesso de três de Harden, que entrou mesmo com uma falta, se tornando uma falta comum apesar de ter sido no ato do tiro.

Porém, o principal a se lamentar, além da falta que Chris Paul fez para limitar Curry e controlar o ataque nesse período de bombardeio dos californianos, foi a pontaria péssima. James Harden, Ariza e Gordon combinaram para 30 erros em 34 tentativas de 3. E pior, mesmo dando errado no terceiro quarto, a equipe continuou atirando. Resultado: 27 erros seguidos.

Assim como deve ser lamentado o erro de Mike D’Antoni, que colocou Ryan Anderson em quadra para ter mais um arremessador de longa distância, mas no fim ele só foi torturado de forma brilhante por Curry. Este sabia que Anderson é um marcador ruim de seus pares, quanto mais de um armador infernal, e forçou a troca para sempre tê-lo como marcador.

Dali até o final os Warriors mantiveram a vantagem confortável enquanto os texanos batalhavam contra o péssimo aproveitamento na bola de 3.

Kevin Durant, que teve sequências ruins no jogo, assumiu mais a pontuação no fim com cestas importantes e terminou com 34 pontos; Curry beirou o triplo-duplo com 27 pontos, 9 rebotes e 10 assistências, mais 4 roubos de bola.  Klay Thompson fez apenas mais uma falta depois das três iniciais e conseguiu 19 pontos.

Do lado dos Rockets, James Harden teve 32 pontos, mas quem viu o jogo sabe que esse número engana, já que ele foi bem marcado e não conseguiu ter a criatividade e inteligência para achar espaços. Seu aproveitamento de três e de quadra foi horrível e os números mostram isso: 12 de 29 e 2 de 13 respectivamente.

Assim os Rockets, que montaram o time pensando em bater os Warriors, vão pensar em vários “e se”, com o de Chris Paul sendo o mais dolorido. E os Warriors vão em busca de seu terceiro título em quatro anos contra o Cleveland Cavaliers. Mais uma vez.

Comments
To Top