NBA

Venha conosco para o Esquenta da temporada 2017/18 da NBA

NBA LOGO temporada 2017/18 da NBA

Nós sempre falamos a mesma coisa, mas vale a pena ressaltar toda vez: aqui no Quinto Quarto o que você mais vai ver é listão e esquenta. Antes da temporada da NBA, NFL e MLB começarem, gostamos de reunir as prévias, colunas e notícias importantes no mesmo lugar para você não ter que andar de bússola pelo site e assim fazer um esquenta para o início das ações.

Pois bem, a temporada 2017/18 da NBA já está aí e chegou a hora de nós mostrarmos o que vamos fazer.

Começando no dia 4 de outubro, vamos publicar nossa primeira prévia, reunindo cinco times em uma categoria que vamos explicar mais embaixo. No dia 5, mais uma categoria. E assim vai até o dia 9 de outubro.

Quando os jogos começarem, teremos o nosso tradicional Troféu Brian Scalabrine sendo entregue para o monstro da noite de jogos. Já é a terceira edição de nosso prêmio, que ganha contornos épicos e gera verdadeiras brigas nos vestiários da NBA, fomos informados. Stephen Curry em 2015/16 e Russell Westbrook em 2016/17 já tem o seu Scalabrinão de Ouro, dado ao jogador que mais troféus soma ao longo da temporada. Além de, é claro, os resultados, destaques de cada jogo, estatísticas e vídeos.

Também vamos abordar essa liga que tanto amamos em nossos podcasts. Você nunca ouviu? Então venha ler o post que explicamos nossa reformulação nos podcasts e ajude na nossa produção diária. Vamos, não fique aí parado.

Ou seja, você pode esperar muita informação e conteúdo original nos próximos meses daqui até quando o Golden State Warriors ganhar as finais  até o fim da temporada, com a coroação de um novo campeão. E para ajudar nossa bela iniciativa, indique o Quinto Quarto para um amigo basqueteiro.

Dito tudo isso, vamos para as categorias. Vou explicar bem explicadinho para os emails e comentários de ódio serem mais fofinhos.

Categoria #1: NBA do futuro

Times: Golden State Warriors, Philadelphia 76ers, Milwaukee Bucks, Houston Rockets e Boston Celtics

Esta categoria, assim como as outras, inclui times em diferentes estágios. Os Warriors entram neste grupo porque tem um núcleo magnífico que garante a disputa pelo título hoje e amanhã. Os 76ers ainda não disputam título, mas fizeram todas as movimentações para estar nas cabeças em pouco tempo. Joel Embiid, Ben Simmons e Markelle Fultz tem um “teto” (pode ser entendido como “potencial”) absurdo.

Rockets e Celtics têm bons times agora, mas também tem um basquete que é moderno, com Mike D'Antoni e Brad Stevens sendo os treinadores mais inovadores quando se trata em uso de atletas e o aspecto tático. E o Milwaukee Bucks entra por causa de Giannis Antetokounmpo e também sua montagem de elenco, escolhendo, especialmente no Draft, jogadores ágeis, com longos braços e que podem marcar e atuar em diversas posições. Além do grego, Malcolm Brogdon, Thon Maker, Khris Middleton e Jabari Parker são exemplos nesse time coringa.

Atenção: isso não quer dizer que os outros times são do passado ou que jogam um basquete da Idade das Pedras.

Categoria #2: Times divertidos de se ver

Times: Denver Nuggets, New Orleans Pelicans, Washington Wizards, Oklahoma City Thunder e Minnesota Timberwolves

Novamente, aqui há diferentes estilos de diversão e apelo. Os Nuggets apelam por causa de um núcleo jovem encabeçado por um pivô que saiu do nada na temporada passada para conquistar as mentes e corações dos fãs da NBA que assistem times “alternativos”. Onde Nikola Jokic pode chegar não sabemos, mas com Paul Millsap, espaço para crescer ele terá.

Já os Pelicans serão algo que desperta mais curiosidade que diversão com sua versão de Torres Gêmeas, algo que hoje é démodé mas pode voltar a ser “in”, com DeMarcus Cousins e Anthony Davis.  Os Wizards provaram que podem vencer com a dupla infernal John Wall e Bradley Beal, apesar deles terem afirmado que não são lá grandes amigos.  Já no Thunder, Russell Westbrook, Paul George e Carmelo Anthony são muito amigos e seu time foi absurdamente agressivo na offseason. Dará certo? Sei lá, só sei que quero ver.

Outro time que foi agressivo foi o Minnesota Timberwolves. A temporada passada era para ter sido a da virada na franquia, mas os jovens Karl-Anthony Towns e Andrew Wiggins não explodiram. Agora com Jimmy Butler e Tom Thibodeau no segundo ano, tem tudo para Minnesota ser um dos lugares mais quentes do mundo do basquete.

Categoria #3: As equipes das mudanças

Times: Los Angeles Lakers, Los Angeles Clippers, Dallas Mavericks, Cleveland Cavaliers, Memphis Grizzlies

Há mudanças e mudanças. Os Lakers não mudaram tanto assim e ao mesmo tempo fizeram uma verdadeira revolução. Magic Johnson e Rob Pelinka despacharam D'Angelo Russell para Brooklyn e trouxeram um dos jogadores com mais hype vindo da universidade, culpa de seu jogo e de seu pai. Lonzo Ball é uma gigantesca mudança para os Lakers, que voltam a ter os holofotes sobre o time depois de um ano apagado.

Já os Clippers mudaram bastante mesmo com só uma saída de impacto. Chris Paul não será mais o maestro, mas o time trouxe várias peças e a equipe tem tudo para ser diferente dentro de quadra: mais rápida e com peças interessantes. Só tem um problema: colocar Danilo Gallinari e Blake Griffin em quadra de forma constante.

Já os Mavericks e Grizzlies tem mudanças diferentes. Os Mavs estão tentando aproveitar os últimos anos de Dirk Nowitzki e ao mesmo tempo fazer a transição. Harrison Barnes pode ocupar a posição 4 e Dirk ser colocado como um “stretcht 5”. Dennis Smith Jr. recebeu mais críticas positivas que um disco do Radiohead na imprensa britânica e pode assumir como franchise player rapidamente. Já os Grizzlies se despediram da era Grit N' Grind abrindo mão de dois fieis lutadores: Zach Randolph e Tony Allen. Espere um jogo mais solto em Memphis.

Já os Cavaliers estão mudados e podem mudar ainda mais em breve. Kyrie Irving faz parte do passado e agora Isaiah Thomas e Dwyane Wade vão ajudar LeBron James na eterna batalha para duelar e bater os Warriors. Será que é a última batalha de LeBron no Ohio? Essa mudança ainda vai gerar mais suspense.

Categoria #4: Bons, mas não ótimos

Times: San Antonio Spurs, Toronto Raptors, Detroit Pistons, Utah Jazz e Portland Trail Blazers

Aqui você deve achar que sou um idiota mesmo, mas me escuta (ou leia, no caso). Os Spurs ganharam 61 jogos e até Kawhi Leonard ser vítima do 2ª maior assassino Geórgio da história, Zaza Pachulia (o primeiro é Stalin), o time estava dando um sufoco nos Warriors. Mas quem viu os Spurs com mais atenção enxergou um time onde Leonard foi basicamente Deus e Gregg Popovich um alquimista. LaMarcus Aldridge provou que não pode ser o segundo melhor jogador de um grande time e o núcleo de contribuidores continua envelhecendo. Será que a temporada 2016/17 não foi o teto desse elenco pós-Duncan? Analisaremos na prévia.

Já os Raptors encaram a mesma pergunta, mas decidiram voltar com Kyle Lowry e Serge Ibaka e tentar mais uma vez. DeMar DeRozan precisa evoluir muito e se tornar candidato a MVP para esse time brigar pelo Leste nos playoffs e não só na temporada regular. Mesma coisa em Portland: Lillard e McCollum são ótimos, mas a companhia exige que eles elevem ainda mais o jogo para brigar com os Warriors pau a pau. Mas Jusuf Nurkic ajuda, pode ter certeza.

Jazz e Pistons estão em outro nível de “bom”. O time de Utah perdeu seu melhor jogador, mas ainda tem um bom elenco. Mas só isso não deve ser suficiente em um Oeste brutal. Já os Pistons têm boas peças, como Andre Drummond, Avery Bradley e Tobias Harris, mas ter boas peças não significa ter um bom time. Caso Stan Van Gundy acerte a mão, o Leste permite que esse possível time bom pegue playoffs tranquilamente.

Atenção número 2: não acho que Pistons e Spurs estão no mesmo nível. O “bom” que uso aqui é para as diferentes expectativas, obviamente com a dos Spurs sendo muito maiores.

Categoria #5: Sei lá o que estão fazendo

Times: Indiana Pacers, Phoenix Suns, New York Knicks, Miami Heat e Charlotte Hornets

Essas cinco equipes desafiam o credo “se você não está disputando o título, então ‘dispute' a primeira posição do Draft. É muito óbvio que todas elas não vão brigar pelo troféu com seus atuais elencos, mas mesmo assim eles não apertam o botão de reset com força e vontade.

Os Knicks poderiam fazer isso sabendo que se livrariam de Carmelo Anthony. Só que mesmo assim eles deram um contrato de US$ 71 milhões para Tim Hardaway Jr. Com Kristaps Porzingis na liderança, esse era um time que vai ganhar alguns jogos inúteis que só vão piorar sua situação no Draft. Mesma coisa do Indiana Pacers: Larry Bird dizia que na sua terra não tinha tank e mesmo com ele deixando a equipe, a ideia continua. O time não tem menos de 35 vitórias em uma temporada há duas décadas e isso é bom, mas também ruim, já que o time não consegue os maiores talentos no Draft e ninguém irá para Indiana como free agent.

Já os Suns são a franquia mais curiosa da NBA. Desde seu experimento ridículo com Goran Dragic, Isaiah Thomas e Eric Bledsoe tendo que dividir minutos, a bola e pontuação, esse time faz escolhas estranhíssimas, como dar US$ 72 milhões para Tyson Chandler sendo que estava montando um elenco jovem. Devin Booker já é muito bom, mas ele não será suficiente para fazer esse time ganhar muito e será o principal impedimento para esse time ganhar pouco.

Heat e Hornets estão em melhor situação, mas na terra de ninguém do mesmo jeito. Ir para os playoffs é bom, mas ser derrotado em quatro ou cinco jogos na primeira ou segunda fase e ter a 16ª escolha do Draft é a pior situação para se estar na NBA. Desculpa: a pior situação para se estar na NBA é ser o pior time da liga e não ter a primeira escolha do Draft porque você fez uma troca ridícula que te rendeu um ano de All-Stars que passaram do auge e essa escolha ir para o melhor time de sua conferência.

Categoria #6: não te culpo se esta prévia tiver 10 visualizações

Times: Brooklyn Nets, Chicago Bulls, Orlando Magic, Sacramento Kings e Atlanta Hawks

Quando separei estes times, meu colega de Quinto Quarto, Bruno Bataglin apontou que os Bulls eram um time de tradição e grande torcida e que não devia estar aqui. Mas até o torcedor que tatuou a cara de Michael Jordan em seu peito sabe que os Bulls este ano serão horríveis e perdeu o interesse. Todos esses times estão em uma clara reconstrução, que a longo prazo é muito melhor do que estar na categoria 5, caso ela seja bem-pensada.

Não acho que no Magic ela esteja sendo tão bem-pensada, mas enfim.

1 Comment

1 Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

NFL, NBA MMA e MLB. Notícias, relatos e colunas. E uma pitada de humor de tiozão. Contato: contact@quintoquartobr.com
Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright © 2015 The Mag Theme. Theme by MVP Themes, powered by Wordpress.

To Top