NBA

Vamos superestimar essa vitória dos Blazers contra os Lakers? Sete pontos a destacar

lillard lebron lakers blazers

OS LAKERS JÁ ERAM.

O torcedor do Los Angeles Lakers já me odeia, assim como o do Boston Celtics, San Antonio Spurs, Chicago Bulls, Miami Heat e outros times. Brincadeira, não temos tantos seguidores para sermos odiados assim.

Voltando ao ponto inicial, o torcedor do Los Angeles Lakers já leu um texto similar a este quando eu fiz um texto apressado com críticas ao time depois do PRIMEIRO JOGO DA TEMPORADA. Mas juro que não tem nada a ver com antismo, torcer contra ou nada do tipo. Só que é divertido e interessante comentar sobre a maior franquia da NBA – ou segunda maior, na pior das hipóteses – e que conta com o terceiro melhor jogador da história da liga – ou quarto, também na pior das hipóteses.

O time perdeu para os Blazers de forma bem orquestrada com as análises feitas antes. Então deixem que eu destaque sete coisas nesta derrota de L.A. e vitória de Portland. Encarando de forma objetiva, os Lakers ainda são favoritos na série e, sem um Moda Center para encarar, podem perfeitamente fechar em seis, por exemplo.

1 – A marcação do backcourt rival foi complicada para os Lakers, como esperado. Damian Lillard e CJ McCollum não foram deuses do aproveitamento, mas combinaram para 55 pontos mesmo assim. A falta de Rajon Rondo e Avery Bradley neste confronto em específico pesa demais, muito mais que em um hipotético duelo contra os Clippers, por exemplo.

2 – LeBron James, Anthony Davis e… Os Lakers precisam que outras peças participem do jogo, assim como Mike Miller, Shane Battier, Chris Andersen e até o eterno Super Mario Chalmers apareciam de vez em quando para ajudar o Big Three em Miami. Kuzma acertou apenas cinco de 14 arremessos.

Kentavious Caldwell-Pope foi Kentavious Caldwell-Pope, algo muito reconfortante por que agora sabemos que algo pode ser normal em 2020. Ele arremessou nove vezes e teve o mesmo aproveitamento que eu, daqui de casa: 0%. Danny Green teve 25% de aproveitamento nas bolas de 3. Assim não dá.

3 – Hassan Whiteside foi bem. Ele que é um peladeiro de marca maior e prefere ter dez tocos a ter dez pontos, teve impacto na partida com seu meio-triplo-duplo: sete pontos, oito rebotes e cinco tocos. Eu sei que você amou “meio-triplo-duplo”. Mais importante que isso: quando Nurkic parecia estar saindo do jogo mentalmente, com cinco faltas na conta, Whiteside entrou e manteve o nível. É tudo que você pode querer dele.

4 – LeBron James tem um problema com lances livres em últimos quartos. Isso só ficou pior com Anthony Davis tendo o mesmo problema logo antes, com ambos combinando um enorme 0 de 4 na linha com menos de cinco minutos faltando. Para você ter uma noção de quão importantes foram esses erros, os Lakers perdiam por 2 quando Davis sofreu sua falta. Ele errou os dois. Não tivemos pontuação, LeBron sofreu a falta e errou seus dois. Os Blazers não pontuaram por dois minutos seguidos. Ter “virado” naquele momento seria importante. Não aconteceu. O que aconteceu…

5 – Foi Damian Lillard mostrando que tem aquilo roxo, dando um passo além da meia-quadra para uma bola de três com Anthony Davis na marcação. Como disse na live curta no Instagram, onde eu fiquei com uma babinha no lábio por cinco minutos seguidos, é difícil escolher cinco jogadores melhores que ele neste momento.

6 – Os Blazers tiveram como enorme mérito não sucumbir à pressão depois de ter 16 pontos de vantagem e perder essa liderança. Gary Trent Jr. teve uma bola clutch, Whiteside já falamos e o time se segurou mesmo com quatro jogadores com cinco faltas.

7 – Já os Lakers tiveram uma noite ruim, com Anthony Davis tendo 28 pontos que não significam muito. Seu +/- foi -20, ele errou todas suas cinco bolas de três e como dissemos, perdeu dois lances livres quando não podia. O resto do time precisa aparecer: KCP não pode jogar 29 minutos, Alex Caruso precisa entregar mais do que dois pontos em 29 minutos. Danny Green precisa colocar sua mão na forma.

PONTO EXTRA: CARMELO ANTHONY ACERTOU APENAS TRÊS DE SEUS 11 ARREMESSOS E TEVE 11 PONTOS E 10 REBOTES EM 38 MINUTOS, SENDO UM IMÃ DE FALTAS (CINCO). NÃO É PORQUE ELE ACERTOU UMA BOLA NO FIM QUE É PARA DAR UMA VOLTA OLÍMPICA. VOCÊS PARECEM O VANDERLEI LUXEMBURGO CONFRONTANDO A IMPRENSA E DEFENDENDO OS TÉCNICOS BRASILEIROS DEPOIS DE VENCER O PAULISTA.

Vamos continuar nessa série maravilhosa!

Comments
To Top