NBA

Quinta Descida: O monstro alemão, Dirk

(Foto: Reprodução/Facebook)

(Foto: Reprodução/Facebook)

No último dia 1, Oklahoma City Thunder e Dallas Mavericks se enfrentaram na Chesapeake Arena. Era mais um jogo da temporada regular, com dois ótimos times se enfrentando. De um lado Russell Westbrook, do outro o incansável alemão de Dallas, Dirk Nowitzki.

No terceiro quarto da partida, o camisa 41 dos Mavericks acertou uma cesta de três pontos. Fato normal para sua carreira, só que não. Aquela bola marcou sua seu ponto de número 28.000 na carreira. Nowitzki se tornou apenas o sétimo jogador da história a chegar a essa marca. E mais importante, o primeiro não-americano a alcançá-la.

Dirk coloca seu nome no panteão do maiores jogadores de todos os tempos, ao lado de Shaquille O'Neal, Kobe Bryant, Wilt Chamberlain e muitos outros. No mundo dos jogadores estrangeiros, Nowitzki deixa para trás o canadense Steve Nash, o francês Tony Parker, e o espanhol Pau Gasol. O único não-americano que está no nível do alemão é o nigeriano Hakeem Olajuwon, o único que conseguiu ser o protagonista de sua equipe, e carregá-la nas costas a um título da NBA, e isso não é pouca coisa.

O que Nowitzki jogou durante os playoffs de 2011 é algo para ser estudado. O jogador teve médias de quase trinta pontos por partida e foi decisivo. Seu jogo 1 na final do Oeste, contra o Thunder, foi para entrar na história. O jogador anotou 48 pontos acertando TODOS os seus 24 arremessos de quadra. Nas outras quatro partidas da série, vencida por Dallas por 4 a 1, Dirk foi cestinha de todas elas.

A final contra o Heat seria a redenção para Nowitzki. O time de Miami derrotou os Mavericks de Dirk em 2006 em uma série incrível que Dallas viu escapar por entre seus dedos após abrir vantagem de 2 a 0. Até 2011, o jogo 5 daquela final assombrava os torcedores, com sua controversa falta marcada em Dwyane Wade no prorrogação.

Para piorar a situação dos Mavs, o Heat agora contava com o “Big Three”, com LeBron James, Wade e Chris Bosh. Era o time que ia ganhar não um, não dois, não três, não quatro… bem, um time que iria ganhar muitos títulos.

Nowitzki tinha o time entalado na garganta, e fez naquela série, memoráveis partidas. No jogo dois, em Miami, o Heat tinha a chance de abrir 2 a 0 nas finais, porém uma virada de 15 pontos no quarto quarto impediu a vantagem da equipe da Florida. Dirk orquestrou a virada, com direito a uma cesta com menos de três segundos para deixar Dallas a frente do placar. Detalhe: nos últimos minutos da partida, o alemão jogou com um dedo luxado, que mal conseguia ser encostado.

Ao final da série, o Heat perdeu não um, não dois, não três, mas sim quatro jogos. Os quatro jogos necessários para que os Mavericks se sagrassem campeões, com direito a Dirk MVP da finais após ter sido o cestinha de 5 dos seis jogos das finais.

Dirk Nowitzki é um monstro, um ídolo para qualquer um que acompanhe a NBA a alguns anos. Suas cestas “caindo para trás” são sua marca registrada. Sua liderança e importância para a franquia dos Mavericks é inigualável. E além de tudo isso, é extremamente simpático, e como dito no vídeo “um verdadeiro texano.”

 

Comments
NFL, NBA e MLB. Notícias, relatos e colunas. E uma pitada de humor de tiozão. Contato: [email protected]uartobr.com
Copyright © 2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18


Jogue com responsabilidade


To Top