NBA

Prévia Playoffs 2014/15 da NBA – Conferência Oeste

Golden State Warriors (67-15) x New Orleans Pelicans (45-37)

Confrontos na temporada regular:
Dez 4, 2014 Golden State 112 x 85 New Orleans
Dez 14, 2014 New Orleans 122 x 128 Golden State
Mar 20, 2015 Golden State 112 x 96 New Orleans
Abr 7, 2015 New Orleans 103 x 100 Golden State

É difícil imaginar os Warriors perdendo na primeira rodada dos playoffs. Mas é basquete e tudo é possível, vide Spurs e Grizzlies há alguns anos. O ponto forte da equipe dos Warriors, como não poderia deixar de ser, é a qualidade nos arremessos de longa distância de Stephen Curry e Klay Thompson. Começando com o físico e onipresente Draymond Green de ala-pivô, a equipe californiana buscará “esticar” a quadra para achar bons espaços para os tiros da dupla. A esperança dos Pelicans é que em algumas noites as quatro mãos não estejam pegando fogo, algo que na temporada regular se viu poucas vezes.

Já nos Pelicans, a grande esperança é Anthony Davis. O ala-pivô disputará sua primeira pós-temporada no seu terceiro ano de liga e poderá mostrar em horário nobre que além de dominante no garrafão, distribuindo tocos e pegando rebotes, seu arremesso de meia distância e arsenal ofensivo de ganchos, jumpers e dribles são um verdadeiro pesadelo para marcar. O armador Tyreke Evans não irá deixar a estrela da equipe sem a bola por muito tempo. Os Warriors terão que se preocupar com a marcação de Davis: Andrew Bogut pode ser uma sombra, mas precisará de ajuda já que o rival é mais habilidoso e rápido. Green tem a velocidade e a disposição, mas pode faltar tamanho. No fim, será um mix sem ter alguém fixo vigiando o astro.

Outro ponto positivo para Golden State é que na hora que os reservas entrarem, ficará evidente a diferença nos elencos. Dois All-Stars recentes, David Lee (ainda dúvida para sábado) e Andre Iguodala, mais o brasileiro Leandrinho e Shaun Livingston dão pontuação, marcação e experiência, ou seja, pacote completo, quando os titulares precisarem de descanso.

Em resumo: não será nada fácil para os Pelicans ganhar apenas uma partida, quanto mais a série. Mas se é para começar de algum lugar, que tudo gire ofensivamente por Anthony Davis e que na defesa Davis mais Omer Asik fechem a porta e rezem para os Splash Brothers castigarem o aro.

Calendário (horários de Brasília):
Jogo 1 – Sáb. 18 de abril, Golden State x New Orleans, 16:30
Jogo 2 – Seg. 20 de abril, Golden State x New Orleans, 23:30
Jogo 3 – Qui. 23 de abril, New Orleans x Golden State, 22:30
Jogo 4 – Sáb. 25 de abril, New Orleans x Golden State, 21:00
Jogo 5 * – Ter. 28 de abril, Golden State x New Orleans
Jogo 6 * – Sex. 1º de maio, New Orleans x Golden State
Jogo 7 * – Dom. 3 de maio, Golden State x New Orleans
* se necessário

 

Houston Rockets (56-26) x Dallas Mavericks (50-32)

Confrontos na temporada regular:
Nov 22, 2014 Houston 95 x 92 Dallas
Jan 28, 2015 Houston 99 x 94 Dallas
Fev 20, 2015 Dallas 111 x 100 Houston
Abr 2, 2015 Dallas 101 x 108 Houston

Além de serem do mesmo estado (Texas), Rockets e Mavericks vem semeando uma rivalidade que explodiu com a saída de Chandler Parsons de Houston para Dallas e troca de palavras não muito amistosas entre o dono dos Mavs, Mark Cuban e o GM dos Rockets, Daryl Morey. Portanto, uma vitória nos playoffs e consequente eliminação do rival terá um sabor a mais para o lado triunfante.

Não é segredo para ninguém que a equipe vermelha tem um dono e ele atende pelo nome de James Harden. Possível MVP em algumas semanas, o ala-armador destruiu na temporada regular, empilhando atuações impressionantes carregando o ataque e até jogos de 50 pontos. O ataque da equipe passa por ele sempre e Dallas terá que ficar com todos os olhos voltados para ele, principalmente Rajon Rondo e Monta Ellis. Rondo é reconhecido por ser um bom marcador aliás. Dwight Howard aproveitou o fim da temporada regular para entrar em forma mas ainda não parece 100%. Mesmo assim, sua presença em quadra, principalmente na defesa, já é imponente e produtiva. Só não espere qualidade nos lances livres.

Houston vai precisar de Howard para impedir ou dificultar penetrações de Ellis – que pode entrar no modo “pontuação extrema” a qualquer momento – e Rondo e fazer os dois mais Nowitzki usar e abusar do jumper. O problema é que o alemão é tão bom no arremesso de média distância que até tem a marca registrada de puxar a perna para ganhar espaço. Na ala, Trevor Ariza e Parsons vão travar um duelo de ataque e defesa por toda a série. O banco dos Rockets, com um Josh Smith não tão tijoleiro como em Detroit e Corey Brewer, tem bom poder de fogo para fazer a produção no ataque continuar boa.

Se Harden fosse “apenas” um jogador muito bom, acima da média, esta seria uma série equilibrada. Como o camisa 13 anda encapetado, ele pode fazer a diferença, como fez durante toda a temporada, fazendo uma equipe que perdeu diversos jogadores por lesão ainda chegar em segundo em um Oeste hiper competitivo.

Calendário:
Jogo 1 – Sáb. 18 de abril, Houston x Dallas, 21:30
Jogo 2 – Ter. 21 de abril, Houston x Dallas, 22:30
Jogo 3 – Sex. 24 de abril, Dallas x Houston, 20:00
Jogo 4 – Dom. 26 de abril, Dallas x Houston, 22:30
Jogo 5 * – Ter. 28 de abril, Houston x Dallas
Jogo 6 * – Qui. 30 de abril, Dallas x Houston
Jogo 7 * – Sáb. 2 de maio, Houston x Dallas

Calendário:

Los Angeles Clippers (56-26) x San Antonio Spurs (55-27)

Confrontos na temporada regular:
Nov 10, 2014 Clippers 85 x 89 Spurs
Dez 22, 2014 Spurs 125 x 118 Clippers
Jan 31, 2015 Spurs 85 x 105 Clippers
Fev 19, 2015 Clippers 119 x 115 Spurs

A série na temporada está empatada, com os Clippers vencendo os dois últimos jogos como já dito acima. Isso cria uma falsa ilusão de que o time já pegou o jeito dos Spurs e o confronto está determinadamente decidido. Porém, há todo um contexto que precisa ser analisado.

O San Antonio Spurs estão em alta. Isso é nítido, o time conseguiu uma torrente de vitórias após o All Star, chegando até em 11 vitórias seguidas. Isso só ocorreu porque a franquia enfim conseguiu manter o time inteiro saudável o que os transformaram em imbatíveis, afinal,  já tinham o entrosamento de um time campeão. Aplacaram vitórias nos Rockets, Thunders, Golden State, Mavericks, Memphis… Mostrando que é um time que tem condições de voltar à final da liga.

Não é algo que seja definitivamente correto, mas os Clippers vem diferente esse ano. Chris Paul precisa correr com o seu sucesso, o jogador precisa mostrar serviço e que não é um jogador apenas de temporada regular, precisa alavancar esse time se quiser ser campeão da NBA. Tem time para isso, para ajuda-lo e ser muito mais eficaz, é um dos poucos que podem trocar os titulares e manterem o mesmo estilo de jogo. Com Blake Griffin melhorando o seu estilo de jogo (passou de um excelente ‘posteirizador' e aperfeiçou o seu jump shot) a situação fica propícia para o sucesso, mas o time precisa elevar ao nível Spurs de playoffs. 

E é por esse motivo que essa série é interessante. Ambos os times possuem um entrosamento excelente. Um em ascensão, o outro já de campeão.  Os momentos são diferentes: Um time quer enfim chegar ao sonho do campeonato, executar um projeto de anos de inspiração e muito trabalho e o outro quer celar enfim uma era, com chave de ouro. Veremos se enfim Chris Paul será um jogador que a mídia enxerga, criticam tanto Deron Williams (pois ambos foram recrutados no mesmo Draft de 2005, sempre houve uma série de comparações entre os jogadores) mas Paul ainda não demonstrou tamanha maestria nos playoffs.

O único motivo para preocupação, é em LA. O Los Angeles Clippers tem um bom time, mas sofre com a contusão de Jamaal Crawford. O jogador é peça chave para este time, tal como Manu Ginobili no San Antonio, Crawford tem uma importante missão que é dinamizar o jogo, as vezes entrando como elemento surpresa, e sustentando o Clippers em momentos de queda de rendimento.

Calendário:
Jogo 1 – Dom. 19 de abril, L.A. Clippers x San Antonio, 23:30
Jogo 2 – Qua. 22 de abril, L.A. Clippers x San Antonio, 23:30
Jogo 3 – Sex. 24 de abril, San Antonio x L.A. Clippers, 22:30
Jogo 4 – Dom. 26 de abril, San Antonio x L.A. Clippers, 16:30
Jogo 5 – * Ter. 28 de abril, L.A. Clippers x San Antonio
Jogo 6 – * Qui. 30 de abril, San Antonio x L.A. Clippers
Jogo 7 – * Sáb. 2 de maio, L.A. Clippers x San Antonio

Memphis Grizzlies (55-27) x Portland Trail Blazers (51-31)

Confrontos na temporada regular:
Nov 28, 2014 Blazers 99 x 112 Grizzlies
Jan 17, 2015 Grizzlies 102 x 98 Blazers
Fev 22, 2015 Blazers 92 X 98 Grizzlies
Mar 21, 2015 Grizzlies 97 x 86 Blazers

Essa série não precisa ser necessariamente anunciada como Memphis x Portland, mas como Defesa x Ataque. Será uma série truncada, bem equilibrada e veremos se novamente a defesa sempre a melhor estratégia, ou se a melhor defesa é o ataque.

Portland é um time completamente ofensivo, ainda mais nos playoffs. Vimos ano passado que essa é a hora em que Damian Lillard se torna um gigente e junto com LaMarcus Aldridge, a produção do time se torna muito mais eficiente que o normal. O volume de jogo dos dois aumenta e com isso o espetáculo.

E essa é a chave para o confronto, o ataque de ambos e potenciado com o resto do time, precisa disso. O time de Memphis tem o estranho costume de não pontuar durante o jogo, o time tem um jogo consistente na defesa, apenas nela, há horas em que seu ataque é inexistente. O jogo se torna exaustivo, não para quem assiste, mas para os jogadores em si. Um time que não se renova, seja com bons ataques, boas defesas e tem o costume unilateral de jogo, tende a sofrer baitas consequências. Não a toa, desde o All Star, os Grizzlies tiveram um recorde de 16 vitórias e 13 derrotas. Sendo dessas 13, derrotas gigantescas contra Golden State Warriors, Cleveland e San Antonio.

Ambos os times veem de várias contusões. Memphis sofre com a saúde precária de Mike Conley (pé) e Tony Allen (coxa), enquanto Portland tem 4 jogadores em processo de recuperação ainda: LaMarcus Aldridge (bacia), C.J. McCollum, Nicolas Batum e Aaron Afflalo.

Pelo visto, as condições de um jogo eficaz estarão nas mãos dos principais jogadores: Marc Gasol e Damian Lillard. Os times dependem muito do jogador e os playoffs serão chave para isso. Mostrar o que um jogador pode ser capaz de fazer acontecer. Lillard ainda não tem alguém para enfrentar de tamanho gabarito quanto ele, Mike Conley não é um jogador excelente na defesa para marcar bem Lillard e Tony Allen retorna ainda de contusão, seu jogo ainda é limitado. Com Gasol, a situação será diferente. O jogador terá o trabalho de anular LaMarcus Aldridge, este ‘um contra um' será chave para o confronto, aquele que se sair bem nessa disputa, vai levar o time à proxima rodada.

Calendário:

Jogo 1 – Dom. 19 de abril, Memphis x Portland, 21:00
Jogo 2 – Qua. 22 de abril, Memphis x Portland, 21:00
Jogo 3 – Sáb. 25 de abril, Portland x Memphis, 23:30
Jogo 4 – Seg. 27 de abril, Portland x Memphis, 23:30
Jogo 5 *- Qua. 29 de abril, Memphis x Portland
Jogo 6 * – Sex. 1º de maio, Portland x Memphis
Jogo 7 *- Dom. 3 de maio, Memphis x Portland

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

To Top