NBA

Philadelphia 76ers não surpreende e seleciona Markelle Fultz com 1ª escolha

Markelle Fultz, armador do Philadelphia 76ers

(Crédito: Instagram/reprodução)

Depois de ter subido até a primeira posição do Draft de 2017, o Philadelphia 76ers confirmou a expectativa e selecionou o armador Markelle Fultz, que jogou por Washington State em sua única temporada universitária. Esta foi a segunda escolha seguida dos Sixers na primeira posição do Draft, tendo selecionado Ben Simmons em 2016.

Os 76ers tinham originalmente a terceira escolha neste Draft, mas uma troca com o Boston Celtics fez o time subir até o topo, em troca de uma escolha de primeira rodada em 2018 que pertencia originalmente aos Lakers. Caso essa escolha não fique entre a 2ª e 5ª posição, o time cede a escolha do Sacramento Kings na 1ª rodada de 2019.

Essa troca se deve ao fato que Fultz era considerado quase de forma unânime o melhor talento neste Draft, apesar dele ser um dos mais talentosos e diversos dos últimos anos. E na terceira posição, os Sixers não teriam chance de escolher o atleta, já que tanto os Celtics como o Los Angeles Lakers, que tem a segunda seleção, tinham grande interesse no armador.

Logo após boatos da troca se intensificarem, o time chamou a promessa para seu centro de treinamentos para um treino que a imprensa pode conferir. Fultz agora pode ser visto como a última peça jovem que os Sixers precisavam para completar um quinteto bastante interessante, com o já citado Simmons, que ainda não estreou na NBA, Robert Covington, Dario Saric e Joel Embiid.

A razão para Markelle Fultz ter sido tão alardeado, apesar de Washington State ter tido um desempenho muito ruim e nem chagar a participar do March Madness, é sua polivalência. O armador pode tanto ser uma arma no pick n roll como jogar sem a bola. Ele tem boa habilidade para infiltrações e excelente arremesso de média e longa distância, acertando 41% de suas bolas de três na universidade.

E todos esses fatores são simplesmente perfeitos para os Sixers, que tem um pivô dominante e que também consegue arremessar de longa distância em Joel Embiid e um ala em Simmons que gosta de ter a bola na mão e tem uma visão de jogo muito acima da média.

O Processo, como foi chamado o plano de Sam Hinkie, ex-homem forte dos Sixers, está chegando ao fim assim. Depois de anos e anos de desempenhos pífios, elencos ridículos e muitas trocas e acumulação de escolhas no Draft, o time começa a se desenhar. Sem Hinkie, que saiu da franquia e deu lugar a Bryan Colangelo.

Comments
To Top