NBA

Os Pelicans terem conseguido a primeira escolha é quase uma comédia

loteria draft new orleans pelicans

Com 6% de chances de ter a primeira escolha, o New Orleans Pelicans era um dos times menos falados chegando nesta terça-feira da loteria do Draft. Até o Los Angeles Lakers e a possibilidade de ter Zion Williamson e LeBron James juntos era mais comentado. E o segundo maior vencedor da NBA tinha menos chances ainda: só 2%.

Pois bem, aqui estamos. E a loteria foi quase uma comédia. Por 8 razões diferentes.

1 – O Cleveland Cavaliers e o Phoenix Suns foram premiados por sua incompetência diversas vezes. Os Cavs então, nem se fala. Os dois tinham 14% de chances junto com os Knicks. Ambos nem no top 4 entraram.

2 – Lakers e Knicks chegaram na parte final. Se o time de Los Angeles conseguisse a pick, os torcedores de Celtics, Spurs, Clippers e basicamente quase toda a liga iriam se matar. Não é possível que toda a disfunção e a pavorosa direção pós-Jerry Buss fosse premiada com Zion.

3 – O escritório da liga estava à beira de um orgasmo com a ideia de Zion ir para Nova York ou Los Angeles. Ai os dois caem logo de cara e sobra Memphis e New Orleans, justamente dois dos menores mercados.

4 – New Orleans é uma cidade totalmente dedicada aos Saints. É tão assim que o dono/dona são os mesmos da franquia da NFL, o time ficou anos sem proprietário porque ninguém estava interessado e Mickey Loomis, manda-chuva da diretoria dos Saints, mandava mais nos Pelicans que o próprio GM antigo dos Pelicans.

5 – Os Pelicans são a franquia mais exposta a uma relocação. O ginásio tem 20 anos, a média de público sempre fica na metade para baixo da tabela e com a morte de Tom Benson, quem assumiu a franquia foi a viúva Gayle Benson, que não é muito ligada aos times, para dizer o mínimo. E na lista da Forbes de valores das franquias da NBA, os Pelicans estão na 29ª posição de 30.

6 – O time da Louisiana estava em completo alerta vermelho com a vergonhosa situação de Anthony Davis, primeira escolha do Draft de 2012. Ai cai no colo Zion Williamson, futura primeira escolha do Draft de 2019. Se antes Davis era quem pedia para sair, agora os Pelicans vão mandar ele com um laço na monocelha para montar um time que explore o potencial do atleta de Duke. E o bom é que ele já chega em um time com um ótimo jogador em Jrue Holiday.

7 – O problema é que por sete anos, o time fracassou em montar um time para Davis. Quando chegou mais perto disso, só foi até as semifinais de conferência. E dois meses depois, a estrela trocou para o agente de LeBron James. Cinco meses depois, ele era mais odiado na cidade que o árbitro que não marcou a falta dos Rams.

8 – Depois de toda a vergonha que foi a novela Anthony Davis para os Lakers, o GM que não tinha poder (Dell Demps) foi demitido. E David Griffin foi contratado. Griffin foi contratado como vice-presidente de operações dos Cavs em 2010 e em 2014 assumiu também o cargo de general manager, posição que ocupou até 2017.

Nesse período ele pode escolher Kyrie Irving em primeiro, Anthony Bennett em primeiro (calma ai, deixa eu ir vomitar no banheiro) e Andrew Wiggins em primeiro, trocando ele por Kevin Love de cara.

Ah, e LeBron James, também primeira escolha do Draft, decidiu que queria voltar para Cleveland. Agora, 28 dias depois de assumir os Pelicans, ele transforma uma chance de 6 em 100 e consegue a primeira escolha do Draft de novo.

Conclusão

Não parece uma comédia?

Eu se fosse Zion Williamson não sei se ficaria puto ou muito feliz.

A pressão vai ser menor que em Los Angeles ou Nova York. Mas falando na NBA, New Orleans é mercado pequeno e o time fracassou ao tentar criar uma situação boa para Anthony Davis.

Em New Orleans ele vai ter uma cidade incrível e ele está a duas ligações de Drew Brees, por exemplo. Mas chega em uma Conferência infernal em um time que além de Holiday, não tem muita coisa.

Depois do milagre, Griffin vai ter uma tarefa mais fácil: escolher o melhor pacote por Anthony Davis. Boston pode ligar com um bom.

Comments
To Top