NBA

O que está acontecendo com o Milwaukee Bucks? Uma investigação

giannis bucks heat

O Milwaukee Bucks fez uma temporada regular espetacular, nós destacamos isso. Giannis Antetokoumpo será o MVP pelo segundo ano consecutivo de forma merecida. Ele já foi eleito o Defensive Player of the Year. Aí chega nos playoffs, o time perde o jogo 1 para Orlando e agora está 2 a 0 atrás do Miami Heat nas semifinais do Leste. Que po%¨¨% está acontecendo?

Vamos à investigação.

É uma tristeza completa

Equipes que têm um pivô como protagonista na NBA de 2020 possuem um problema em alguns casos, não uma solução. Nikola Jokic é espetacular, mas o time precisa muito de Jamal Murray incendiando para ser competitivo no mais alto nível. Os Sixers ainda não descobriram como usar Joel Embiid e serem uma força no Leste, até porque o condicionamento dele é duvidoso e Brett Brown usava ele como um Brook Lopez 2.0.

Giannis não é um pivô, mas seu jogo é perto da cesta. Ele tentou apenas uma bola de três no Jogo 2. Quando chegou no fim da partida, seu lance livre mal chegou a bater no aro. O outro ele tijolou. Giannis sofre do mesmo problema que, basicamente, dizimou os pivôs da liga. É muito mais fácil criar uma estratégia para parar jogadores que não tem o arremesso de longa distância do que fazer o mesmo com um ala-armador habilidoso ou um armador com a mão pegando fogo. Quem faz chover de três terá vantagem em 2020 sempre.

O time do Heat é muito físico. Bam Adebayo é uma montanha de músculos e até jogadores como Jae Crowder e Jimmy Butler, que não vão marcar Giannis diretamente, podem criar dificuldades para ele e seu time criando uma parede em volta da cesta. O grego não vai ter enterradas fáceis em contra-ataques com tanta frequência. Aliás, o time foi o segundo em frequência de fastbreaks por jogo na temporada regular. Nos playoffs, essa frequência despencou e o time ocupa apenas a sexta posição entre os times na pós-temporada.

Sempre que Giannis partir para a cesta rival vai encontrar corpos e ele vai terminar todos os jogos extenuado, mesmo se não precisar ou conseguir carregar o time. Até porque o camisa 34 continua fazendo as jogadas certas, mas seus colegas não estão ajudando. Khris Middleton teve um final de jogo 1 pavoroso, com seguidos arremessos errados no final da partida e um turnover muito custoso.


Eric Bledsoe até arremessou bem neste jogo 2, mas sua posição é a que os Bucks precisam pensar na offseason para realmente abrir as possibilidades de jogo (Chris Paul?). Wes Matthews teve 25% de aproveitamento nos arremessos no Jogo 2, Middleton teve 6 de 15.

Mas o que machuca mesmo em uma série onde estamos falando de um time que tem um sistema azeitado contra um bando de guerreiros com o melhor preparo físico da liga é o seguinte: o Heat arremessou 45 BOLAS DE TRÊS, acertando 17. Os Bucks acertaram apenas sete, com 20 tentativas a menos.

Isso faz toda a diferença, porque não dá para dizer que o time de Erik Spoelstra fez um jogaço. Jimmy Butler teve míseros 13 pontos. Jae Crowder tentou 12 bolas de três e acertou apenas quatro. Mesmo assim acertou mais do que qualquer jogador rival. Goran Dragic foi o melhor jogador ofensivo do Heat. Mesmo que os números não mostrem tanta diferença para Bledsoe, ela é enorme. Aliás, os dois jogaram juntos no Phoenix Suns.

Ou seja, nossa investigação caminha para várias direções, mas a mais dura delas é que a culpa não é tanto de um jogador (Giannis), de um treinador (Mike Budenholzer, que também começa a sentir todo o peso das críticas por seus planos de jogo nos playoffs) ou até dos jogadores em volta, por mais que eu ache que Bledsoe e Middleton estejam devendo basquete nestes momentos.

O problema é ter um franchise player em 2020 que só arremessa uma bola de três e toda a dificuldade que isso traz em uma série de playoffs onde o treinador rival irá pensar na estratégia A, B e C para limitar a estrela do adversário. A solução que Anthony Davis achou foi ligar para LeBron James. Será que Giannis já pensa em ligar para alguém?

Comments
To Top