NBA

Michael Jordan sobre era dos super-times: “um ou dois times serão ótimos e 28 times serão um lixo”

Michael Jordan Hornets

Crédito: Instagram/reprodução

Michael Jordan já foi a cabeça de um super-time, o Chicago Bulls dos anos 90, especialmente na segunda fase, com mais jogadores que foram trazidos como free agents. Mas agora, como dono do Charlotte Hornets e sofrendo com o Cleveland Cavaliers no Leste e vendo a hegemonia do Golden State Warriors, ele não gosta nada dessa história.

“Eu acho que fere o jogo no ponto de vista da competitividade. Porque um ou dois times serão ótimos e os outros 28 times serão um lixo. Ou eles terão dificuldades sobrevivendo do ponto de vista dos negócios”, disse Jordan em entrevista à revista Cigar Aficionado.

O ex-jogador e agora proprietário pode estar se referindo ao fato que para montar um time desses, mesmo com Kevin Durant abrindo mão de ganhar o salário máximo, os Warriors vão ter que pagar acima do teto e a multa que é imposta por essa prática.

E esse excedente não é algo palatável para todos os donos, especialmente dos times que estão em cidades menores e mercados menos lucrativos.

Os Hornets de Jordan tem um time interessante, com Kemba Walker, Nicolas Batum, Dwight Howard e Malik Monk, draftado em 11º no Draft deste ano mas que era considerado um talento mais próximo do Top 5. Porém, olhando só para a nata do Leste, o time do eterno camisa 23 com certeza não vai fazer Jordan ganhar seu primeiro anel como dono.

 

Comments
To Top