Lance Livre

Lance Livre: desculpa Hinkie, Mavericks se deram bem e ainda “defendo” os Kings

Sam Hinkie

A Lance Livre desta quinta-feira, logo após a janela para trocas da NBA ter fechado, começa com um pedido de desculpas. Sam Hinkie para mim foi como o Pink Floyd para muita gente em 1970: algo que alguns doidos viam como genial, engoliam cada palavra dita como evangelho, mas a maioria simplesmente não entendeu o que estava sendo feito.

Sam Hinkie foi um gênio na Filadélfia. E agora a sua obra está sendo destruída. É como se Dark Side of the Moon só existisse em um HD e alguém está levando as faixas, uma a uma, para a lixeira. Sem programa para recuperar esses arquivos.

Você sabia que:

– Por uma troca ridícula que o Sacramento Kings fez para se livrar de alguns salários caros em 2015, o Philadelphia 76ers aceitou esses contratos e cobrou uma escolha no Draft. E que escolha é essa? Muito simples: caso os 76ers sejam o quinto time no Draft 2017 a escolher e o Sacramento Kings o terceiro, os 76ers podem falar “hey, nós queremos essa terceira posição”. E imediatamente esse desejo será atendido.

– Mas calma lá, tem mais. O Los Angeles Lakers nesta temporada é o terceiro pior time da NBA. Isso quer dizer que a equipe pode conseguir a primeira escolha do Draft deste ano. Ou a segunda. Ou a terceira. Mas não a quarta, a quinta ou a sexta…

Por quê? Porque na negociação que Michael Carter-Williams foi para o Milwaukee Bucks, o Phoenix Suns se envolveu (para conseguir Brandon Knight) e usou a escolha que tinha dos Lakers, ainda da negociação de STEVE NASH.

A escolha era protegida em 2015 no Top 5 (os Lakers entraram, escolheram D’Angelo Russell), top 3 em 2016 (os Lakers entraram, escolheram Brandon Ingram) e protegida de novo este ano no Top 3 (veremos). Caso o time fique em quarto no sorteio, a escolha imediatamente passa para os 76ers. Caso os californianos fiquem em terceiro, segundo ou primeiro, tudo bem: na próxima temporada a escolha não tem proteção nenhuma. E os Lakers não devem melhorar da água para o vinho.

Ou seja, Hinkie não só garantiu Joel Embiid e Ben Simmons, ainda tem mais duas escolhas que provavelmente vão cair no Top 10 neste ano.

É um DEUS esse Hinkie ou não é? Já volto a falar dele.

Colangelo está destruindo a obra de Hinkie

Muitos falam que a negociação de Bougie Cousins foi atroz da parte do Sacramento Kings. Eu já disse que não foi tão ruim porque os Kings agora podem reconstruir de verdade e tomara que sem Vlade Divac como arquiteto.

Muito bem, enquanto muitos dizem que essa troca foi a pior possível que um time fez, Bryan Colangelo nos Sixers fez uma muito pior.

Nerlens Noel não é um craque. Mas é um big man que defende muito bem, é atlético e tem apenas 22 anos. Ele foi trocado pelos 76ers para o Dallas Mavericks por Andrew Bogut, que não vai querer jogar na franquia, Justin Anderson – 6,5 pontos por jogo e pífios 30% de aproveitamento de 3 – e uma escolha de primeira rodada PROTEGIDA NO TOP 18, ou seja, com os Mavericks tendo 90% de chances de ficar com ela e só entregar duas escolhas de segunda rodada no futuro.

“Ah, mas Noel é um free agent nesta offseason”. Sim, mas restrito. Ou seja, os Mavericks podem oferecer mais dinheiro e igualar qualquer oferta. E com Dirk Nowitzki chegando no final da carreira e sem muitos contratos pesados, o time do Texas pode pagar de boa.

Noel poderia ficar em Philadelphia e ser útil, já que Embiid não é um pivô que só fica embaixo da cesta. Quem os 76ers tinham que trocar a qualquer custo era Jahlil Okafor, que não sabe defender bem, precisa estar perto da cesta e não é um bom pegador de rebotes (médias de 4,8 rebotes em 23 minutos por jogo).

O valor de Okafor é muito baixo, mas negociar ele agora é abrir mão de duas picks altas dos Sixers nos últimos anos por quase nada. Colangelo está estragando a obra-prima de Hinkie.

E agora jogo a bomba final: Hinkie está morando na Califórnia, visitando CEOs de startups, dando palestras em universidades e “fazendo perguntas como: ‘como você está preparando seus filhos para um mundo com 60% de desemprego?'”. Sim, gênio.

Sim, Califórnia. Sabe que franquia da Califórnia precisa de um arquiteto e um processo? O SACRAMENTO KINGS.

Depressão para os brasileiros na NBA

Como eu e Fabio Balassiano falamos no último Podcast sobre a NBA, Lucas Bebê seria um dos “prejudicados” no Toronto Raptors com a chegada de Serge Ibaka. Nesta quinta, Marcelinho Huertas foi trocado para o Houston Rockets e o time do Texas não deve ficar com seu contrato. Anderson Varejão está sem time. Tiago Splitter ainda não jogou nesta temporada e também foi trocado nesta janela, para os 76ers.

O momento para os brasileiros não é nada bom. De peso mesmo sobraram Leandrinho e Nenê, que são os tios já. A renovação tupiniquim ainda não conseguiu se firmar na melhor liga de basquete do mundo.

Comentários rápidos sobre as trocas

Como já disse, os Pelicans precisavam causar impacto para não fazer Anthony Davis ficar put*. Abriram mão de pouco por Cousins.

Os Kings já falei demais. Reconstrução. Mais uma.

O Dallas Mavericks saiu de sem futuro para Noel, Barnes surpreendentemente um bom 4 e outros bons jogadores. E o Texas é uma terra com poucos impostos. Um free agent na próxima offseason e a última temporada de Dirk pode ser divertida.

O Oklahoma City Thunder foi o time que mais me interessou nesta janela. Um aluguel de Gibson por quatro meses, mais McDermott para arremessar de três mata duas necessidades da equipe. Morrow, Lauvergne e Payne não vão deixar viúvas em OKC. Eu odiaria ter que enfrentar Westbrook com essa companhia nos playoffs.

Houston Rockets abriu espaço no teto salarial com Ennis e McDaniels sendo despachados, reforçou o banco com Lou Williams e tem espaço no teto salarial para fazer mais. Darryl Morey é um Deus da GMância.

O Boston Celtics é o time mais chato das janelas. É como um milionário que pode ter uma vida em Mônaco mas mora em um apartamento de dois quartos e está sempre dando F5 nas promoções do Walmart.

A pior coisa que se pode fazer com um All-Star que você não confia 100% que pode liderar seu time a um título é se segurar nele por muito. Os Kings demoraram dois anos para trocar Cousins. Os Knicks já deveriam ter se livrado de Melo. Não acho que Paul George mereça ser citado nessa mesma categoria. Mas a hora para negociar e ganhar muito é na próxima offseason.

Comments
To Top