NBA

Guia para entender o conflito internacional entre o Houston Rockets e a China

Daryl Morey Houston Rockets

Será que não tem algo por trás?

O Houston Rockets e a China tinham um caso de amor, iniciado com a intermediação de um pivô de 2,29 m e que permaneceu mesmo após a quebra em 20 pedaços desse homem e sua aposentadoria das quadras. Mas um tweet pode ter arruinado tudo. Quem diria que um nerd pagaria um grande preço pelo que postou nas redes sociais?

O que aconteceu entre o Houston Rockets e a China?

Vamos primeiro falar sobre o tweet que desencadeou o incidente internacional e depois falamos o contexto. Daryl Morey, o manda-chuva do basquete do Houston Rockets, mostrou apoio aos manifestantes de Hong Kong. Você não precisa saber de toda a questão de Hong Kong e China e a disputa por autonomia, mas se quiser o que anda rolando e porque existem protestos na ilha, a Exame fez uma matéria fácil e rápida de entender.

Para este texto só é necessário saber que a China e seu governo odeiam profundamente qualquer opinião dissonante da oficial sobre seus territórios (o Tibete também) e questões relacionadas a direitos humanos. E como eles são os donos da grana, eles ameaçam com a retirada dela quando estão sob a mira de críticas.

Agora um pouquinho de contexto

Muito bem, apenas pincelamos a questão política, agora vamos falar de basquete. A internacionalização da NBA é um processo que já dura três décadas e teve imenso sucesso. O Dream Team foi a faísca que levou a NBA para o mundo e hoje você pode ver jogos da melhor liga de basquete do mundo sendo transmitidos em todos os cantos.

E a China, óbvio, é um mercado desejável, já que tem algo relacionado a bilhões de pessoas rolando nesse país. O Houston Rockets foi uma franquia que abriu essa trilha com a seleção de Yao Ming na primeira posição do Draft de 2002. Desde lá a franquia já fez inúmeras viagens para o país, usa uniformes com os caracteres do mandarim e tem acordos com empresas de lá.

Aliás, falando em viagens, poucos anos atrás um jogador dos Rockets foi cortado porque o gênio teve a ideia de escrever na Muralha da China para tirar uma foto e colocar no Instagram.

Enfim, o resto da NBA aproveitou esse potencial chinê stambém. Klay Thompson é patrocinado pela Anta (palavra que se relaciona com os integrantes do Quinto Quarto também), já que ela paga 8 milhões de dólares por ano para o jogador, provavelmente mais que Nike, Adidas, Puma ou Under Armour ofereceram.

Harden Gordon Anderson Rockets

Olha como a relação (era) forte Crédito: Instagram/reprodução

A Tencent, gigante multimídia da China, acabou de fechar uma extensão de cinco anos com a NBA para transmitir os jogos no território chinês. Os valores não foram revelados, mas pode ter certeza que deve chegar a um dólar para cada chinês que existe, pelo menos.

Mas os Rockets…

O Houston Rockets não vive seu momento mais calmo. Depois de duas décadas, Leslie Alexander, dono dos Rockets e querido por 11 entre 10 pessoas que conviveram com ele, anunciou que venderia a franquia. Tilman Fertitta, do ramo dos cassinos, comprou o time por mais de 2 bilhões de dólares.

E novos donos costumam fazer cagadas porque querem mostrar que sabem. Ele chegou chegando, falando bastante com a imprensa e até, segundo relatos nos bastidores, passando por cima de Morey e até o treinador Mike D’Antoni. Aliás o próprio D’Antoni já chegou a reclamar sobre seu contrato publicamente.

Muitos especularam nos últimos meses que a relação entre Morey e Fertitta não é boa. Só que Morey é um dos melhores se não o melhor dirigente da liga, ou seja, demiti-lo não é uma coisa fácil.

Eis que chega o tweet da discórdia. E tanto não é fácil demitir Morey que mesmo com a saída de patrocinadores chineses (a marca de material Li-Ning, por exemplo) e o fim da relação da CBA (Liga de Basquete Chinesa, presidida por um tal de Yao Ming) com os Rockets, ele ainda não foi demitido.

Só teve que pedir desculpas, falar que é ignorante sobre o assunto China-Hong Kong e levar uma bronca pública de Fertitta – parafraseando, ele disse que Daryl Morey não representa os Rockets, que são apolíticos – e da NBA. Pode ter certeza que a comida de rab** por telefone de Fertitta e Adam Silver, comissário da NBA, foi maior ainda.

O que o bafafá entre Houston Rockets e a China mostra

Que você pode ter a maior razão do mundo, mas não se mexe com quem paga suas contas. E no caso dos Rockets, a China ainda sempre deu 10% e agradeceu na saída. Se Morey fosse o general manager do Oklahoma City Thunder, existiria um problema, mas não seria tão grande.

Por isso a teoria da conspiração que li, é pertinente o suficiente e eu já adotei diz o seguinte: Morey estava de saco cheio de Fertitta e para ser demitido, e não pedindo demissão, e ainda sair por cima como o defensor dos direitos humanos, mandou ver esse tweet.

Claro que isso não passa de uma teoria porque Morey não é burro – todas as franquias hoje precisam da China – mas que é curioso, é mesmo.

Para quem curte mais história, mostra também como a balança mudou. A China tem a grana e pode fazer exigências desse tipo no país da liberdade e da democracia.

 

Comments
To Top