Lance Livre

Lance Livre: MVP para Harden ou Westbrook? LeBron e Kawhi na disputa?

Harden Westbrook Rockets Thunder

Crédito: Instagram/reprodução

A temporada regular da NBA está acabando. Por mais que alguns pagãos estejam comemorando e todas as previsões (inclusive as minhas, calma concorrência) davam conta que os 1230 jogos seriam apenas um detalhe para Golden State Warriors x Cleveland Cavaliers III, esta temporada regular da NBA 2016/17 foi sensacional.

Sério mesmo, pu** que par&/&

Razões:

  • Russell Westbrook entregou “A Turnê da Vingança” por 28 cidades americanas em seis meses. E de quebra está atacando a marca que parecia mais inatingível – a média de triplo-duplo de Oscar Robertson em uma temporada – depois que o anterior recorde inatingível (72 vitórias do Chicago Bulls) foi batido pelos arquirrivais dos Warriors.
  • James Harden passou de fominha cavador de faltas para garçom de um time fascinante treinado pelo Marcelo Bielsa da NBA (Mike D’Antoni). E continua cavador de faltas.
  • Você tem argumentos para dar o MVP para quatro jogadores. E só não é seis porque Kevin Durant se machucou e Isaiah Thomas esfriou.
  • LeBron James e os Cavaliers estão longe de passear no Leste e pela primeira vez em anos, vemos uma luz no fundo do túnel para o Leste ser mais competitivo: Joel Embiid nos Sixers, Giannis Antetokounmpo em Milwaukee, Beal e Wall achando sua química em Washington e os Celtics tendo mais estoque para o futuro que Warren Buffett. Só falta Kristaps Porzingis se libertar dos basqueteiros anos 2000, Carmelo Anthony e Derrick Rose.

Ou seja, eu posso dizer tranquilamente que é a melhor temporada regular que vi na minha vida, tanto pelo tanto de times que oferecem algo em quadra, aliado a um jogo bonito e aberto – evolução dos últimos anos – e performances individuais absurdas.

Ainda falta um chorinho, mas estou pronto para fazer algumas escolhas

E o MVP da NBA é…

Os quatro jogadores que citei acima são Russell Westbrook, James Harden, LeBron James e Kawhi Leonard.

Como sempre, nós vamos cair na discussão sobre o significado do prêmio. O nome MVP diz que é o jogador mais valioso que deve ser premiado. Isso não quer dizer que seja o melhor jogador. Mas o argumento “tira esse jogador da equipe, vê onde ela vai parar e o que gerar maior diferença ganha” não é facilmente quantificável. Sem Westbrook o Thunder ganharia 30 jogos? 40? 15? Ou seja, é um prêmio de gosto e narrativa.

Como sou um democrata, apresentarei todas as cartas. O principal argumento para cada um deles é:

Westbrook: média de triplo-duplo. Só isso seria suficiente para dar o MVP na maioria dos anos. E ele é claramente o melhor jogador do Thunder, fazendo o argumento “tira ele e esse time estaria brigando com os Lakers para ver quem escolhe primeiro no Draft” ser o mais aplicável.

Harden: furacão ofensivo. São 29,2 pontos de média e 8,4 lances livres por jogo, o que significa que muitas vezes que ele parte para o ataque, ou você para ele na porrada ou vê ele abrir o sorriso com dentes tortos.

Além disso, ele deixou de ser “libera o caminho e deixa eu driblar” para “toma esse passe e faz a bola de 3 livre, amigão”. Harden pulou de 7,5 assistências por jogo, que tinha sido seu recorde, para 11,2, algo simplesmente absurdo. E sua defesa passou de atroz para “não é vergonhosa até”. A cereja no bolo é o fato dos Rockets estarem em terceiro no Oeste, com 51 vitórias. E sabemos que desempenho do time sempre conta na luta para MVP.

Kawhi Leonard: e se desempenho do time importa, Kawhi grita “estou aqui na luta também”. Os Spurs estão em segundo no Oeste, vão chegar a 60 vitórias mais uma vez e o camisa 2 teve a evolução mais impressionante que já vi de um atleta na vida. Ele passou de uma boa peça defensiva com longos braços nos primeiros anos para polvo anulador de LeBron James.  E de ala com arremesso ruim para pontuador inveterado (25,9 pontos de média na temporada), que pode ser o protagonista de uma jogada NBA anos 90 (“sai do caminho que eu vou passar”) e ainda arremessa de média e longa distância: 27,3% de seus arremessos são bolas de três (36,1% de aproveitamento) e 22,8% de seus arremessos de 2 são de 16 pés ou mais de distância (o arco de três fica a 22 pés).

Ele é hoje o melhor two way player da NBA (jogador que ataca e defende mantendo alta qualidade). Melhor que LeBron James, Miguel?

Sim.

LeBron James: minha resposta acima é baseado na temporada regular 2016/17. E o mundo inteiro sabe que LeBron joga com o freio de mão puxado de outubro a abril.

“Mas Miguel, LeBron é o segundo jogador com mais minutos em quadra por jogo na temporada, seu animal”

Sim, mas os 37,4 minutos de LeBron James por jogo não são como os 34,8 minutos de Russell Westbrook, até porque o camisa 23 tem três títulos de campeão, 4 MVPs e jogou as últimas seis finais. Westbrook nessa contagem tem 0, 0 e jogou uma final, em 2012, que perdeu.

LeBron é o cara que mais sabe ligar o turbo quando precisa e você vê ele na temporada regular abrindo mão de cestas para incluir companheiros. Ele tem 8,4 assistências de média e é um maldito ala. Sabe que ala teve média assim na história? Vou deixar que você corra atrás dessa estatística. Eu não lembro de ninguém.

Ninguém pode negar que ele é o melhor jogador da NBA. Só que ele se poupa e é poupado, perdendo jogos para descansar. E isso, na minha humilde opinião, para o prêmio de MVP deve contar. Leonard também foi poupado e também se poupa, já que joga no time de Gregg Popovich e Pop faria Michael Jordan atuar por 32 minutos, arremessar apenas 20 vezes e fazer 28 pontos de média “apenas”. E isso prejudica Leonard em um prêmio como MVP. Para o que Pop responde: “caguei”.

Sim, já comecei a ser jurado desse prêmio e não só apresentar as cartas.

Russell Westbrook e James Harden: disputa filosófica para MVP

Muito bem, a marca de Russell Westbrook é algo espetacular. E seu desempenho também. Mas será que estamos sendo justos com o resto do Thunder? Esportes coletivos exigem muitas coisas e a principal para gerar a química entre as partes é ritmo, repetição e oportunidades. Por isso a questão Tostines se aplica para o Thunder: Russell Westbrook pega tanto na bola porque os companheiros são ruins ou os companheiros são ruins porque não pegam tanto na bola?

Não entendo quando pessoas falam que esse time do Thunder é algo nojento/digno de loteria/não ganharia a segunda divisão do basquete romeno. Steven Adams mostrou nos playoffs da temporada passada que pode ser um pivô que influencia positivamente a partida, algo que é difícil em 2017. Enes Kanter é um dos melhores reservas da NBA e uma força ofensiva. Victor Oladipo é um bom jogador que poderia ser mais usado no ataque e Andre Roberson, por mais que uma criança morra na China cada vez que ele tenta arremessar de 3, é um excelente marcador. Taj Gibson foi uma bela aquisição e Domantas Sabonis sabe jogar.

Não estamos falando dos 76ers de 1984 (Julius Erving, Moses Malone, Andrew Toney e um tal de Charles Barkley chegando), mas não estamos falando também dos Kings de 2016.

Ainda acho que o argumento “jogador mais valioso”, também conhecido como “tira ele do time e essa equipe ganha x jogos” é mais aplicável e amigável para o armador do Thunder. Mas sem Westbrook, você acha que o time passaria de 43 vitórias para menos de 30, que é o que o Sacramento Kings tem hoje?

Dito isso, passamos para Harden. Sua companhia é inegavelmente melhor. Mas agora é fácil falar isso. No começo da temporada, Ryan Anderson era um stretch 4 querido pela liga, mas nunca foi o sonho molhado de um torcedor da NBA. Eric Gordon tinha talento mas não ficava em quadra. Nenê parecia estar no fim da carreira. Enfim, era uma equipe cheia de dúvidas, saindo de uma temporada traumática e depois de perder seu suposto segundo melhor jogador (Dwight Howard).

Só que com o esquema de D’Antoni, não só Harden passou a jogar muito, como todos os outros também e muito por causa da atenção que o ala-armador chama dos marcadores e sua visão de jogo. Com Harden, Victor Oladipo jogaria muito mais. Com Westbrook, Eric Gordon jogaria mais? Tenho minhas dúvidas.

Por isso, o raciocínio que faço não será “tira Westbrook e vê quantas vitórias o Thunder tem” e “tira Harden e vê quantas vitórias o Rockets consegue”. O raciocínio que proponho, considerando que os dois, muito mais que armador ou ala-armador são playmakers, é: “coloca Harden no Thunder (de volta) e Westbrook nos Rockets”.

Os Rockets teriam ganho mais ou menos que 51 jogos (até o momento)?

E o Thunder ganharia mais ou menos que 43 jogos (até o momento)?

Para mim os Rockets teriam vencido menos jogos, já que não vejo como Westbrook tiraria mais da laranja de Gordon, Anderson, Ariza e cia. E o Thunder teria vencido mais, com Adams e Oladipo (quando esteve em quadra) sendo mais atuantes e envolvidos. O argumento do triplo-duplo não pode ser soberano porque 31,8 pontos, 10,6 rebotes e 10,4 assistências é monstruoso, mas 29,2 pontos, 8,1 rebotes e 11,2 assistências não fica quase nada atrás.

E Kawhi?

Já disse que LeBron está fora por seu carro na banguela. Mas Kawhi, mesmo dando uma poupada spursica, merece ser considerado com muita atenção. Já citei todas as estatísticas dele acima. E defensivamente ele ainda é candidato a defensor do ano, por mais que Draymond Green deva ganhar desta vez.

Mas o negócio de Leonard não são os números só. É ver ele em quadra. Contra os Cavaliers na semana passada, ele simplesmente tomou de assalto o jogo e não deixou James, Kyrie Irving e o resto dos Cavaliers pensarem. Contra Harden, só nos últimos segundos ele fez a bola de 3 vencedora e deu um toco no camisa 13.

Quem viu os Spurs com maior atenção na temporada notou que o time não tem a mesma qualidade e nem a coletividade das equipes que chegaram duas vezes seguidas às finais recentemente. Mas o camisa 2 fez o time manter a produção no ataque, especialmente quando LaMarcus Aldridge está com seu arremesso meio torto.

Como disse, com Gregg Popovich ganhar o MVP é duas vezes mais difícil porque ele não está nem ai para isso e não vai aumentar os minutos, chamar mais jogadas e deixar de poupar um jogador só porque ele concorre a um troféu individual de temporada regular. Tim Duncan quando ganhou teve que ser muito superior mesmo. Kawhi Leonard não é muito superior a James Harden nesta temporada.

E o veredito é

Do modo que eu vejo, Harden é o MVP, Kawhi Leonard, força ofensiva e instituição defensiva em segundo, Westbrook em terceiro e LeBron em quarto.

Já sei que vou receber 80 emails com ameaças de morte. Que os jogos comecem.

Comments
To Top