NBA

Fastbreak: LeBron e o tornozelo, Powell e o contrato, Kobe e o hino e mais

LeBron James Cavaliers
LeBron James Cavaliers

Crédito: Instagram/reprodução

Fastbreak: jogo rápido com notícias importantes do mundo da NBA

– O Toronto Raptors está empolgado com a possibilidade de crescimento de Norman Powell nesta temporada e provou isso com uma extensão de quatro anos e US$ 42 milhões. O último ano é uma opção do jogador e esse dinheiro começa a cair na temporada 2018/19.

Powell foi uma escolha de segunda rodada dos Raptors em 2015 e deu boa contribuição tanto ofensivamente quanto defensivamente na temporada passada, com um papel limitado. Com mais espaço, ele deve subir sua média de 8,4 pontos em 2016/17.

– A lesão de LeBron James no tornozelo não passou de um susto, provando que o ala do Cleveland Cavaliers é mesmo um cyborg. LeBron estava sendo poupado nos treinos e nos jogos de pré-temporada desde que torceu o tornozelo em um treino, mas na quinta ele treinou sem restrições e está liberado para jogar contra o Indiana Pacers nesta sexta.

–  Kobe Bryant foi entrevistado no podcast do The Hollywood Reporter e em uma seção de perguntas e respostas rápida, ele disse que se ajoelharia no momento do hino americano caso ainda estivesse jogando. A NBA já enviou um comunicado para os times dizendo que espera que os atletas “adotem uma postura de respeito” com o hino, após a onda de manifestações na NFL.

– Joel Embiid finalmente pode treinar sem restrições no Philadelphia 76ers nesta quinta-feira. Após operar o joelho em março, o pivô fazia atividades localizadas e sem forçar a região. Mesmo sem estar liberado para jogar ainda, Embiid treinou em um cinco contra cinco com seus colegas.

– Jeremy Lin e Kenyon Martin se envolveram em uma discussão envolvendo apropriação cultural, cabelo e tatuagens. Calma, nós explicamos. Lin agora usa dreads e Martin não só não achou tão bonito como disse que se estivesse no mesmo time, falaria com o jogador, de origem asiática que estaria tentando “ser negro”, segundo Martin.

Lin, em um artigo para o The Players Tribune, explicou que seu uso de cabelos diferentes é uma tentativa de sair do comum e que entende o lado de Martin, mas que acha que o uso de dreads é um sinal de respeito, assim como as tatuagens de Martin é um sinal de respeito à cultura chinesa. O que saiu de tudo isso? Nada. Depois da resposta, Martin disse que Lin pode usar o cabelo que quiser e que ele não precisa aceitar ou achar bonito.

 

Comments
To Top