NBA

Donald Sterling decide processar a NBA e cancela venda do Los Angeles Clippers

(Crédito: Divulgação)

(Crédito: Divulgação)

A novela envolvendo Donald Sterling e o Los Angeles Clippers parece que não chegou ao fim. Em uma carta que circulou entre as partes envolvidas na compra da franquia californiana e obtida pela ESPN norte americana, o dono dos Clippers afirma que vai lutar pelos seus direitos.

Sterling vai abrir um processo contra a NBA e o comissário da liga Adam Silver e ele deseja uma indenização no valor de US$ 1 bilhão. Donald Sterling também negou seu apoio à venda da equipe, que estava sendo liderada por sua esposa Shelly Sterling.

A carta de Donald Sterling é intitulada “O time não está à venda” e no documento ele diz, entre outras coisas, que discorda da forma como a liga tratou o seu caso.

“Eu decidi que devo lutar para proteger meus direitos. Ainda que minha posição possa não ser popular, eu acredito que meus direitos à privacidade e a preservação de meus direitos ao devido processo não devem ser pisoteados”, escreveu Sterling.

Na semana passada, Donald Sterling e seu advogado Max Blecher indicaram publicamente que aceitariam e venda do Los Angeles Clippers ao ex-CEO da Microsoft, Steve Ballmer, por um valor de US$ 2 bilhões. Sterling chegou inclusive a declarar, em uma entrevista, que estava preparado para “seguir em frente”.

O provável motivo para Donald Sterling ter mudado de postura em relação à venda dos Clippers seria o fato de a NBA ter recusado a retirar a multa no valor de US$ 2,5 milhões e a suspensão do dirigente da liga de forma definitiva, punições aplicadas após o vazamento de uma vida na qual o dono da franquia de Los Angeles aparece fazendo comentários racistas.

Apesar de esse motivo ser o mais provável, Max Blecher e Bobby Samini, ambos advogados de Donald Sterling, se negaram nesta segunda-feira (9) a confirmarem ou não se isso procede.

Mesmo com essa reviravolta na posição de Sterling, Shelly Sterling, a NBA e Steve Ballmer estão confiantes que o acordo de venda do Los Angeles Clippers poderá ser concluído em breve.

Confira, na íntegra, a carta divulgada por Donald Sterling:

O time não está à venda

Eu gostaria de esclarecer alguns pontos referentes ao Los Angeles Clippers e outras questões associadas. Desde o início, eu não queria vender o Los Angeles Clippers. Eu trabalhei por 33 anos para construir o time.

Para ser claro, estou extremamente arrependido pelas declarações ofensivas que fiz privadamente. Eu fiz aquelas declarações enquanto estava bravo e com ciúmes e tudo dentro de um contexto de uma conversa privada. Mesmo que isso não seja uma desculpa pelas declarações, como qualquer outro americano, eu nunca imaginei que minha conversa privada fosse tornar-se pública.

Muitas coisas foram ditas sobre mim na mídia e não são verdadeiras. Eu acredito que Adam Silver agiu precipitadamente ao ordenar de forma ilegal e venda forçada dos Clippers, me banindo de forma vitalícia da NBA e impondo a multa. A conduta de Adam Silver em fazer isso sem conduzir uma investigação real foi errada.

A ação tomada por Adam Silver e a NBA constituem uma violação de meus direitos e vão de encontro às liberdades que são oferecidas a todos os americanos.

Eu decidi que devo lutar para proteger meus direitos. E mesmo que minha posição possa não ser popular, eu acredito que meus direitos à privacidade e a preservação dos meus direitos ao devido processo não devam ser pisoteados.

Eu amo o time e dediquei 33 anos da minha vida para a organização. Eu pretendo lutar para manter o time”.

Comments
To Top