NBA

É difícil imaginar que o Denver Nuggets será um problema para os Lakers?

Resposta: sim. Mas o que nós sabemos do Denver Nuggets depois que eles viraram duas séries por 3 a 1, inclusive contra o Los Angeles Clippers, minha escolha para vencer o campeonato.

Eu prometi no podcast que fiz na terça que faria um post sobre a final do Oeste e aqui estou. Confere o áudio abaixo – E INSCREVA-SE NO CANAL – para ouvir sobre a final do Leste, que já está 2 a 0 para o Miami Heat.

Confira as datas e horários dos jogos da final do Oeste da NBA aqui

Bom, vamos para o Oeste. LeBron James quer chegar na sua décima final da NBA, agora pelo seu terceiro time. Isso é completamente absurdo, um feito que dificilmente será igualado e que só tem paralelo com jogadores do Boston Celtics da dinastia dos anos 60. Só que a liga naquela época não tinha nem metade das equipes.

Nesta sexta, a jornalista Jackie MacMullan publicou uma matéria na ESPN com as equipes que conseguiram parar LeBron James nos playoffs. São seis, na ordem: o Detroit Pistons, San Antonio Spurs, Boston Celtics, Orlando Magic, Dallas Mavericks e Golden State Warriors.

Claro que já tivemos momentos ruins de LeBron em playoffs e certas dúvidas que pairavam sobre ele, especialmente até 2011. Mas desde lá sua sequência é inacreditável e dá para encher as mãos com jogos memoráveis em pós-temporada.

Por que digo tudo isso? Porque não consigo ver como o Denver Nuggets vai parar ele. A equipe do Colorado fez um bom trabalho com Kawhi Leonard na última partida, mas há duas considerações a fazer. A primeira: Kawhi teve os arremessos que queria, mas não os acertou. Segunda: LeBron é mais playmaker que o atual MVP das finais.

O Jogo 3 contra os Rockets é um excelente exemplo. Ele teve 29 pontos no primeiro tempo. Terminou com 36. Mas não pense que seu tempo foi horrível: o camisa 23 passou a abrir a quadra para o resto dos companheiros e fazer de tudo um pouco. Pegar rebotes, dar assistências, dar tocos… Os Nuggets não tem como conter ele porque os defensores de perímetro são justamente o ponto fraco da equipe. Millsap não tem o pique, Gary Harris não tem o tamanho, apesar de ser um bom defensor. Devemos ver bastante Jerami Grant.

Então, para começar este texto – na verdade já estou na metade – esta tem tudo para ser uma série de LeBron James. Anthony Davis conseguiu achar seu espaço contra os Rockets depois de um jogo 1 onde ele foi bem marcado pelo time. Inteligente, o camisa 3 se adapta aos rivais e nesta série terá a possibilidade de jogar como ala-pivô e não como o 5, algo que ele já disse preferir. Deixa JaVale McGee e Dwight Howard se preocuparem com Nikola Jokic.

Os Nuggets foram inteligentes no ataque ao explorar Lou Williams na defesa a todo momento que ele estivesse em quadra. Jokic acabou com a defesa dos Clippers e, especialmente Montrezl Harrell, com sua visão de jogo e jogo de pés de bailarina gordinha. Ele terá que fazer o mesmo com os Lakers para Denver ter uma chance. Jamal Murray precisa pegar fogo, como fez no jogo 7. Rajon Rondo, ENORME na série contra os Rockets, terá muito trabalho, assim como Alex Caruso.

A partir desses dois dominando, qualquer ajuda é bem-vinda. Michael Porter Jr foi importante na série contra o Jazz, mas atuou apenas 15 minutos no jogo final contra os Clippers. O que ele pode te dar de fagulha ofensiva também pode complicar na defesa, com erro de posicionamento ou fazendo faltas. Caso o ataque dos Lakers não esteja tão bem, ter ele em quadra pode gerar um saldo positivo, já que suas deficiências na defesa não serão tão custosas como seriam contra uma equipe ofensivamente brilhante.

Mas é isso, a série tem os Lakers como favoritos e um LeBron que tem tudo para dominar. Não dá para duvidar desses Nuggets, uma equipe que merece aplausos por chegar aqui depois de ter caído em 2019 em sete jogos nas semifinais do Oeste, para os Blazers, e no ano anterior não foi para os playoffs por perder um jogo desempate para o Minnesota Timberwolves. Mas também não há como negar que parar Davis e LeBron é uma tarefa ingrata.

 

Comments
To Top