NBA

Com jogo para a história, Clippers vencem e eliminam campeões Spurs

jogador Blake Griffin

Credits : Instagram

Quem viu este jogo nunca vai esquecer. Não há coisa mais emocionante no esporte que um jogo sete disputado de playoffs da NBA. Los Angeles Clippers e San Antonio Spurs botaram uma clínica de basquete na quadra do Staples Center. No fim, Blake Griffin e Chris Paul – que estava sentindo dores na panturrilha – não falharam no momento decisivo, como outras vezes, e conseguiram superar e eliminar o atual campeão por 111 a 109, em um jogo sete que faltam adjetivos para descrever.

Pela sétima vez na história da franquia e quarta vez como Los Angeles Clippers – as primeiras idas foram como Buffalo Braves e San Diego Clippers – a equipe jogará uma Semifinal de Conferência. Na era Chris Paul o time chegou duas vezes nessa fase, sendo varrido pelos Spurs em 2011/12 e perdendo para o Thunder na temporada passada em seis jogos.

O rival será o Houston Rockets, que venceu o Dallas Mavericks em apenas cinco partidas.

O jogo

No primeiro quarto os visitantes começaram mais acesos e logo abriram uma vantagem não esperada. Mas os Clips conseguiram se recuperar e até o intervalo a partida foi um incessante vai e vem de vantagens no placar. No descanso, 57 a 55 para Los Angeles.

Na volta, pela primeira vez os Clippers conseguiram abrir uma pequena diferença, mas logo ela foi colocada no chão. No estourar do cronômetro do terceiro quarto, Paul fez uma linda bola de três e deixou sua equipe com vantagem de um.

Passando um pouco adiante na troca incessante de placares, dois lances foram importantíssimos para os Spurs no último quarto. Kawhi Leonard arremessou uma bola de dois longa com sua equipe atrás por um ponto. Ela bateu no aro e o ala pegou o rebote de seu próprio disparo de forma esperta. A bola continuou rodando e Manu Ginobili derrubou uma bola de três para virar o placar. Logo depois, Danny Green saiu da ala direto para o aro e Chris Paul fez uma falta idiota no momento da bandeja. Resultado: dois pontos e a falta e uma vantagem de quatro pontos em um momento importante.

A partir dai, os Spurs voltaram com o Hack a Jordan. Ele, que tinha dois arremessos certos em seis, conseguiu apenas um. E Tim Duncan logo depois fez mais dois usando a bandeja como só ele sabe. Só que este jogo não seria decidido faltando mais de cinco minutos. Doc Rivers foi esperto e tirou Jordan antes que seus lances livres fossem ainda mais tóxicos para a equipe e logo depois, com uma linda bola de J.J. Redick, o jogo ficou empatado em 97 com 4min57seg faltando.

Agora, se você sentir falta de pontuações – de gramática, não de bolas na cesta -, é proposital. É para você entender como foi a dinâmica.

Mais uma bola de 3 de Redick, mais um arremesso usando a bandeja de Duncan, Griffin, confiante, acertando seus dois lances livres para deixar o placar 102 a 101 faltando três minutos e meio, uma jogada de pelada com rebotes loucos, tocos e Tim Duncan conseguindo dois pontos e ainda sofrendo, mas não convertendo o and one, entretanto Boris Diaw conseguiu o rebote e deu para Leonard abrir três para os Spurs, bola de três de Barnes providencial para empatar, jogada ridícula onde Blake Griffin tomou toco de Danny Green, no contra-ataque Green errou a de três mas os Spurs conseguiram mais um rebote ofensivo e Parker abriu dois.

Falta 1 minuto e 23 segundos.

Penetração acrobática (sem mente suja) de Jamal Crawford para empatar, Duncan erra (milagre) e Griffin pega rebote, Chris Paul erra arremesso mas agora, quem pegou o rebote no ataque foi Matt Barnes.

30 segundos faltando.

Chris Paul ordenhou o relógio até não poder mais. Com Duncan na marcação, Chris Paul arremessa, erra, mas consegue uma falta. Paul, que não erra lance livre nem se estiver no trilho do metrô na Sé e ouvir o barulho, acertou os dois.

Faltam 13 segundos.

Tim Duncan tinha 25 pontos e 11 rebotes. Kawhi Leonard 13 pontos e 10 rebotes. Tony Parker 20 pontos. Danny Green 16 pontos e oito rebotes.

A bola foi para Marco Belinelli, que entrou para o lance, e tinha um tiro aberto. Mas de último momento, à la Spurs, passou para Duncan que sofreu a falta. Primeiro lance livre foi certo. Segundo também.

8,8 segundos faltando. 109 a 109.

Blake Griffin tinha 24 pontos, 10 assistências e 13 rebotes. Chris Paul 25 pontos. Matt Barnes 17 pontos.

Todo mundo sabia que a bola era de Paul. Ele pegou. Danny Green estava em cima. Paul, malandro, penetrou. Mas a marcação estava boa demais e a falta não veio. Ele deu um empurrãozinho de leve em Green e a bola escorregou de sua mão levemente com Duncan mais uma vez no encalço. Depois de tantas bolas decisivas nos playoffs que não entraram para o camisa 3, ela bateu na bandeja e entrou limpa.

Um segundo faltando.

Não dava tempo para nada. Os Spurs tentaram um lob e a bola bateu no paredão chamado Matt Barnes.

Fim de partida.

2 Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular

NFL, NBA MMA e MLB. Notícias, relatos e colunas. E uma pitada de humor de tiozão. Contato: contact@quintoquartobr.com
Copyright © 2015-2021 - https://www.quintoquartobr.com/

+18 Jogue com responsabilidade


Copyright © 2015 The Mag Theme. Theme by MVP Themes, powered by Wordpress.

To Top