NBA

Com defesa imponente, Rockets vencem jogo 5 e estão a uma vitória das finais

Chris Paul Rockets

Crédito: Instagram/reprodução

Se alguém falasse que James Harden erraria todas suas 11 tentativas de três na noite, Chris Paul acertaria menos de 33% de seus arremessos de quadra e mesmo assim o Houston Rockets venceria o Golden State Warriors no jogo 5 das finais de Conferência, essa pessoa seria presa.

Pois é, mas isso aconteceu nesta quinta. Aproveitando que os atuais campeões foram incrivelmente desleixados no final da partida e com Eric Gordon vindo do banco com personalidade, a equipe texana venceu por 98 a 94 e está a uma vitória de voltar às finais da NBA.

A última vez que isso aconteceu foi em 1994/95, com o monstruoso Hakeem Olajuwon liderando a equipe em uma varrida contra o Orlando Magic de Shaquille O’Neal. A franquia tinha vencido também na temporada anterior, em um duelo épico contra o New York Knicks.

Claro que o jogo inteiro teve seus momentos importantes, mas acho que vale aqui cortar para o último período. As duas equipes erraram muito – os Warriors tiveram ridículos 18 turnovers na partida, muitos deles no fim do jogo – e as faltas foram a principal fonte de pontos. Gordon conseguiu forçar uma falta atrás do arco e teve três arremessos. Kevin Durant (29 pontos no jogo), que errou muito no período final, também teve algum sucesso caçando faltas.

Klay Thompson, com três minutos faltando, conseguiu uma falta de três lances vital, diminuindo a vantagem de seis para três. O que se seguiu foi mais uma jogada nervosa dos Rockets que terminou com Durant dando um toco em Paul. No outro lado, Draymond Green errou uma bandeja, mas voltou e empurrou para dentro.

Só que Gordon, o único que parecia estar acostumado com jogo grande, mesmo em uma série com estrelas para todos os lados, derrubou uma bola de três muito clutch. Green, faltando 1:15, fez o mesmo, diminuindo de novo para 1 a vantagem dos mandantes.

Paul errou um floater do outro lado, Green pegou a bola, achou o espaço, mas em vez de partir para dentro, passou para Quinn Cook, que se embananou todo com a bola e tentou um arremesso de três, que mesmo livre, não tinha a mínima hipótese de acertar, tamanho o peso do momento e como ele sentiu isso. A sorte é que Harden errou seu 11º tiro de três – 19 pontos na noite – dando mais chances para os californianos. Outro problema: Paul (20 pontos na partida) machucou o músculo posterior da coxa e não atuou no fim da partida.

Curry, mal no último período (22 pontos no jogo), errou a bandeja. Trevor Ariza sofreu a falta, mas só fez um lance livre. Se no jogo passado os Warriors não pararam o relógio para pensar a última jogada, dessa vez fizeram isso. Minutos antes, um timeout “rendeu” uma jogada planejada que foi ridiculamente executada, cedendo uma enterrada do outro lado.

Dessa vez, o time saiu na sua quadra, Green recebeu a bola e tropicou, perdendo o controle e mandando o jogo para o espaço. Ou seja, com ou sem timeout, os Warriors seguem errando na sintonia nesta série.

Fiz esse relato lance a lance para mostrar como foi nervoso o jogo no último período, parecendo que os times nunca tinham chegado nesse estágio. No fim, os Rockets nem ligam para isso. Só mais uma vitória, seja no jogo 6 ou 7, e o time faz o que nenhuma equipe do Oeste fez nos últimos três anos: eliminar os Warriors. Curiosamente, o último a fazer isso tinha Chris Paul como armador (Clippers em 2014). Resta saber se o camisa 3 estará em quadra desta vez.

Comments
To Top