MLB

Rob Manfred e chefe da MLBPA se reúnem para falar sobre ritmo do jogo

(Crédito: Instagram/reprodução)

O comissário Rob Manfred se reuniu com Tony Clark, chefe da Associação de Jogadores, nesta terça-feira cinco dias após a MLBPA ter rejeitado a proposta da MLB de instituir o pitch clock de 20 segundos e limitar as visitas dos catchers ao montinho.

A liga tem o direito de implementar as mudanças de regra que propôs no ano passado. De acordo com o acordo trabalhista, a MLB pode impor qualquer mudança em campo desde que seja notificada com um ano de antecedência.

Nenhuma decisão oficial deve ser tomada até a próxima reunião dos proprietários, que está agendada para a próxima semana em Baverly Hills, Califórnia. Os jogos do spring training começam no dia 23 de fevereiro e a temporada inicia no dia 29 de março.

“Discutimos uma ampla gama de tópicos. Agora vamos discutir cada um desses tópicos com a liderança dos nossos jogadores”, declarou Clark via e-mail. Manfred não respondeu um pedido de resposta feito pela ‘ESPN’ americana.

As partidas de nove entradas tiverem uma média de tempo recorde de três horas e cinco minutos em 2017 e de 3h29 na pós-temporada. A duração dos jogos vem sendo uma preocupação dos proprietários em uma época em que eles competem com mais escolhas de entretenimento e períodos de atenção mais curtos.

“Seria melhor fazer os jogos serem mais curtos. Ao mesmo tempo, você está pedindo a pessoas que estão jogando em alto nível durante toda sua vida façam algo totalmente diferente do que elas fazem”, afirmou Charlie Blackmon, outfielder dos Rockies.

De acordo com detalhes obtidos pela ‘Associetad Press’, a proposta da MLB pode implementar um relógio de 30 segundos para rebatedores e 20 segundos para os pitchers. O rebatedor seria obrigado a estar no batter’s box com cinco segundos para o estouro do cronômetro. O relógio começaria a rodar quando a bola chagasse ao arremessador, com exceção no primeiro arremesso de cada at-bat, em que o tempo começaria no final da jogada anterior.

O relógio reiniciaria quando o pitcher pisasse sobre a borracha do montinho e ou quando ele faz um pickoff.

O árbitro emitiria um aviso para o arremessador ou rebatedor em sua primeira violação em cada jogo e as violações subsequentes por um jogador resultariam em um ball sendo chamado contra o pitcher e um strike contra o batedor.

Em relação à proposta de limitar as visitas ao montinho, o time seria permitido ter uma visita por arremessador em cada inning, seja por um manager, treinador ou jogador. Uma segunda visita resultaria em uma alteração de pitcher obrigatória.

Durante as negociações, a MLB ofereceu começar a usar o pitch clock nesta temporada sem corredores em base a atrasar a implementação com corredores em base em 2019.

Comments
To Top