MLB

Prévia MLB 2019: Divisão Leste da Liga Nacional

Divisão Leste da Liga Nacional

Essa é a divisão da MLB que tem mais expectativas. Quatro times vão brigar muito por cada vitória no Leste. O outro time vai atrapalhar, roubando uma vitória ali e outra lá. O universo do beisebol mal espera para ver Bryce Harper vestindo o uniforme dos Phillies, um time que está há quase uma década na sombra dos rivais de divisão, só esperando o momento da virada.

Os Nationals trocaram um salário gigantesco por outros menores e se reforçaram em diversas posições. O time tem qualidade e dele se espera uma briga ferrenha pelo wild card, no mínimo. E os Braves, que são os atuais campeões e tem grande probabilidade de uma temporada bem regular. Boa contratação de Josh Donaldson. Os Mets têm dois tremendos arremessadores e trouxeram Edwin Diaz e Robinson Canó.

Os Marlins são motivo constante de chacotas e indiferença. A expectativa é de que eles percam por volta de 100 jogos. Eles não são o pior time da liga e toda temporada da MLB reserva uma surpresa. Será?

(Crédito: Instagram/reprodução)

PHILADELPHIA PHILLIES

Desempenho em 2018: 80-82 (terceiro da divisão)
Melhora, piora ou fica na mesma? Melhora
Projeção da posição na Divisão Leste da Liga Nacional: 1º
Linha de vitórias em Las Vegas: 89,5
Ponto forte: Reforço de peso
Ponto fraco: Alta expectativa

Assinar o principal nome disponível no mercado fez com que os Phillies se tornem uma aposta quasse certeira para levar o título da competitiva Divisão Leste da Liga Nacional. Bryce Haarper chega para elevar o patamar da equipe e encher o torcedor da Pensilvânia de excitação.

Mas não se deixe levar só por essa contratação. Os Phillies gastaram bastante e bem. J.T. Realmuto, Andrew McCutchen, Jean Segura, David Robertson e Jose Alvarez chegam para uma equipe que vinha em franca evolução e que já incomodaria mesmo sem tantos nomes competentes.

Agora some tudo isso e ainda adicione dois jovens que estão cercados de expectativas. Nick Pivetta e Zach Eflin vão entrar com tudo na rotação titular, que não é a melhor da divisão, mas conta com Jake Arrieta e Aaron Nola. O ataque deverá compensar isso. Não será nada fácil derrotar o time da Filadélfia. E veremos como Harper irá reagir contra seu ex-time, afinal eles se enfrentaram muitas vezes.

Max Scherzer, arremessador do Washington Nationals

(Crédito: Instagram/Reprodução)

WASHINGTON NATIONALS

Desempenho em 2018: 82-80 (segundo da divisão)
Melhora, piora ou fica na mesma? Na mesma
Projeção da posição na Divisão Leste da Liga Nacional: 2º
Linha de vitórias em Las Vegas: 88,5
Ponto forte: Rotação titular
Ponto fraco: Perdeu sua estrela

Após seis anos com um dos melhores jogadores da MLB, uma rotação fantástica e nenhum título, os Nationals se preparam para a vida após a partida de Bryce Harper. É fato que time sempre fez bonito na temporada regular, mas as seguidas participações embaraçosas nos playoffs deixaram feridas, e o time tenta se recuperar, mesmo sem sua grande estrela.

E um bom motivo para acreditar nos Nationals segue sendo a rotação titular. Max Scherzer  é pura fúria no montinho. Patrick Corbin era o grande arremessador disponível no mercado e agora joga por Washington. Stephen Strasburg, se saudável, adiciona demais. Anibal Sanchez também chega com expectativa. Pode não ser a rotação mais fantástica dos últimos tempos, mesmo porque o time já reuniu grandes arremessadores. No entanto, segue sendo uma rotação invejável.

Nos bastões, Brian Dozier foi uma tremendo pechincha. Juan Soto e Adam Eaton prometem. Anthony Rendon, Trea Turner e Ryan Zimmerman são consistentes. Yan Gomes chega para ser o receptor que sempre faltou ao time e contribuir com algumas rebatidas. Para melhorar, o bullpen recebeu alguns nomes e pode deixar de ser o calcanhar de Aquiles da equipe.

E o substituto de Harper? Victor Robles vai ser pressionado. As comparações serão inevitáveis. Potencial existe.

Ronald Acuna, defensor externo do Atlanta Braves

(Crédito: Instagram/reprodução)

ATLANTA BRAVES

Desempenho em 2018: 90-72 (campeão da divisão)
Melhora, piora ou fica na mesma? Piora um pouco
Projeção da posição na Divisão Leste da Liga Nacional: 3º
Linha de vitórias em Las Vegas: 86,5
Ponto forte: Jovens sensação
Ponto fraco: Peso do sucesso no ano anterior

Os Braves chegam para defenderem o título da última temporada e isso cria uma montanha de expectativas. Ronald Acuna, Dansby Swanson, Ozzie Albies, Tyler Flowers e Ender Inciarte formam um núcleo jovem que já experimentou como são as coisas na liga e que tem fome de vitória. Sem falar que Nick Markakis e as adições de Brian McCann e Josh Donaldson trazem profundidade ao elenco.

Freddie Freeman segue sendo a referência do time, tanto para os mais novos, quanto para os mais experientes. Sempre é muito difícil repetir um ótimo desempenho em duas temporadas seguidas, ainda mais com rivais tão competitivos. Contudo, os Braves estão fazendo um bom trabalho e vão brigar diretamente pelos playoffs.

Mas a juventude pode atrapalhar no montinho. Mike Foltynewicz, Sean Newcomb, Kevin Gausman, Julio Teheran and Touki Toussaint formam um conjunto interessante, mas que pode fraquejar com uma temporada tão longa.

Jacob deGrom, arremessador do New York Giants

(Crédito: Instagram/reprodução)

NEW YORK METS

Desempenho em 2018: 77-85 (quarto da divisão)
Melhora, piora ou fica na mesma? Melhora um pouco
Projeção da posição na Divisão Leste da Liga Nacional: 4º
Linha de vitórias em Las Vegas: 85,5
Ponto forte: Jacob deGrom e Noah Syndergaard
Ponto fraco: Buracos no elenco

Mesmo com Jacob deGrom jogando demais e vencendo o Cy Young, os Mets passaram longe de brigar por qualquer coisa na última temporada. O próprio deGrom terminou com apenas 10 vitórias e nove derrotas. Claramente o ataque não cooperou. As notícias boas são que o ace segue na equipe, assim como o herói dos quadrinhos Noah Syndergaard, e os time do Queens gastou um pouco com a chegada do general manager Brodie Van Wagnen. Robinson Cano, Wilson Ramos, Jed Lowrie e Keon Broxton chegam para melhorar o 23º melhor time produzindo corridas em 2018.

Cano é um rebatedor profissional. Claro que ele não foi nada profissional, acabou sendo suspenso por usar substâncias proibidas e perdeu uma porrada de jogos em 2018. Mas ele ainda é o Cano de outros tempos.

Broxton chega para brigar por espaço. Michael Conforto, Brandon Nimmo, Juan Lagares e Yoenis Cespedes (que segue sofrendo com lesões e pode perder parte da temporada) vão competir pelo campo externo. Já Ramos é uma boa pedida para mexer com o ataque dos Mets.

Edwin Diaz  e Jeurys Familia ainda parecem confiáveis e vão aliviar as coisas para a rotação titular. Por outro lado, em várias outras posições, campo interno, bullpen e parte de baixo da rotação, os Mets são sofríveis.

Entretano, o maior inimigo dos Mets são as lesões. Ano após ano, o time sofre com uma avalanche de contusões. E falando nelas, é impossível não se lembrar de David Wright, que sofreu tanto e acabou se aposentando. Se tudo der certo, eles brigam por algo na Divisão Leste da Liga Nacional.

(Crédito: Instagram/reprodução)

MIAMI MARLINS

Desempenho em 2018: 83-98 (quinto da divisão)
Melhora, piora ou fica na mesma? Na mesma
Projeção da posição na Divisão Leste da Liga Nacional:5º
Linha de vitórias em Las Vegas: 63,5
Ponto forte: Poucos veteranos
Ponto fraco: Falta de talentos

Imagine se os Marlins abrissem a temporada 2019 com Giancarlo Stanton, Christian Yelich, Marcell Ozuna, Dee Gordon e o receptor J.T. Realmuto. Só que não. O time conseguiu se livrar de todos eles.

Derek Jeter tem uma terra arrasada pela frente. Mas tudo bem, o time trocou de uniforme e irá impressionar. Jorge Alfaro e Sixto Sanchez chegam para provarem que os Phillies fizeram errado. Não será fácil, já que o time tem várias lacunas, que só se acentuam com os desmandos da direção da franquia.

Qualquer retrospecto que não passe das 100 derrotas será uma grande vitória. Não acho que eles sejam a pior equipe da MLB, mas estão fazendo força. Talvez, os cubanos Victor Mesa e seu irmão Victor Mesa Jr. possam dar um pouco de alegria e expectativa para os próximos anos.

Neil Walker, Curtis Granderson – esse o melhor deles -, Martin Prado e Starlin Castro são os veteranos que servirão de base para os mais jovens. Mas os Marlins estão loucos para se livrarem dos salários altos de Prado e Castro.

Comments
To Top