MLB

MLB apresenta proposta para acelerar o jogo e pode não implementar o pitch clock

Rob Manfred, comissário da MLB

(Crédito: flickr/reprodução)

O comissário Rob Manfred pediu tempo e mais uma vez um feedback viável dos jogadores em relação ao esforço dos jogadores para melhorar o ritmo do jogo e a última proposta da liga reflete o que os jogadores sentem.

O chefão da Major League Baseball estava na reunião dos proprietários e informou aos repórteres que a liga está disposta a deferir a implementação do pitch clock de 20 segundos para a temporada de 2018 se os jogadores concordarem seguirem diretrizes destinadas a reduzir o tempo médio de jogo.

Esse foi o principal da proposta enviada à Associação dos Jogadores (MLBPA) após reunião no dia 23 de fevereiro entre a liga e os representantes do sindicato, mas a proposta incluiu muitos detalhes, como um funcionário descreveu.

Por causa de uma cláusula negociada no acordo de trabalho há décadas, a MLB tem o poder de implementar unilateralmente mudanças no jogo, como a utilização do pitch clock ou o limite de visitas ao montinho. No entanto, como a liga pretende reduzir o tempo médio de jogo, que continua a aumentar apesar dos esforços de Manfred, há a preferência por um esforço em colaboração com os jogadores.

A abertura da proposta afirma: “o seguinte é oferecido como quadro potencial para resolver as diferenças em relação à melhora do ritmo do jogo com base nos comentários que recebemos da MLBPA e dos comentários dos jogadores e da mídia”.

Confira os principais pontos da proposta:

– O objetivo de que os jogos tenham menos do que duas horas e 55 minutos em 2018. Caso contrário, um pitch clock de 18 segundos seria implementado em 2019 para tentar solucionar o problema, com penalidade automática de ball ou strike para violações entrando em vigor a partir de 1 de maio do mesmo ano. Se a meta for atingida nesta temporada, a MLB não terá o pitch clock em 2019 e o próximo objetivo passará a ser 2h50. Caso a nova meta não seja atingida, o pitch clock seria utilizado em 2020;

– A MLB irá retirar o pedido de um cronômetro entre os rebatedores se o sindicato chegar em um acordo em relação às iniciativas para melhorar o ritmo de jogo;

– A liga manteve o seu pedido de um limite de seis visitas ao montinho, com um potencial gatilho para reduzir o número para cinco;

– Tempo específico para os arremessadores se aquecerem entre as entradas e os rebatedores irem para o home plate para que a partida comece logo após o fim do comercial. Mas, em 2018, nenhuma penalidade será emitida na contagem de bolas e strike para aqueles que não seguirem as regras. Nessa regra existem circunstâncias especiais como quando a entrada termina com um corredor em base ou um receptor é o último eliminado e precisa de mais tempo para colocar seu equipamento;

– A MLB está pronta para estudar a proposta de MLBPA de utilizar carrinhos no bullpen e começar a usá-los em 2018 e 2019;

– A liga está preparada para reduzir o cronômetro de 30 segundos para os managers decidirem se irão desafiar a jogada ou não;

– Existem diretrizes específicas propostas sobre o o tempo dos comerciais nas transmissões locais (2min05), na televisão nacional (2min25) e na pós-temporada (2min55).

A proposta da MLB não tem um prazo para ser aceita, mas Manfred afirmou que o ideal é que uma definição rápida, já que o spring training está chegando. Alguns executivos e agentes acreditam que as discussões foram afetadas pela free agency, que está mais lenta do que o normal, com mais de 100 veteranos permanecendo sem contrato.

Comments
To Top