Coluna Bullpen

Contrato monstruoso de Manny Machado dá respiro à MLB em tempo de crise

Manny Machado, infielder do San Diego Padres

(Crédito: Instagram/reprodução)

Meu primeiro pensamento quando recebi a notícia que Manny Machado está indo para o San Diego Padres foi um misto de comemoração por ele não ter ido para o New York Yankees – que não precisam de mais contratos gigantescos como os de Giancarlo Stanton e de Jacoby Ellsbury – e de uma frase um pouco chula: “vai dar m****!”

Começando pelo lado negativo antes de ir para os elogios. Na minha sincera opinião, nenhum contrato da Major League Baseball deveria passar dos seis anos. Quantos acordos de longo prazo deram certo nessa liga? Podemos listar diversos fiascos principalmente porque o dinheiro é totalmente garantido. Além de Ellsbury, temos o segundo contrato de Alex Rodriguez, Chris Davis, David Wright, Albert Pujols… A lista é extensa, as lesões não são evitáveis e tudo pode acontecer em um período de dez anos.


No caso de Machado, claro que ele terá, pelo menos, mais cinco anos bons (até os 30) se nada fugir do esperado. No entanto, são mais US$ 30 milhões por ano por cinco temporadas com ele envelhecendo, não podendo ser DH (precisamos ficar de olho se a regra da Liga Nacional irá mudar – espero que não) e possivelmente caindo de desempenho e se tornando um jogador que recebe mais do que entrega.

Passado isso. O infielder conseguiu garantir o futuro de mais três gerações – o que só aconteceria em um time que não está pronto para brigar pelo título – e ainda conseguiu ir parar em uma equipe que tem muito potencial. O San Diego Padres tem o melhor farm system da liga e fechou o seu campo interno com Eric Hosmer, outro veterano com contrato milionário, e os prospectos Fernando Tatis Jr. e Luis Urias. Outras promessas podem encorpar essa base que poderá dar alguns anos de ouro para o time da Califórnia.

Além disso, os US$ 300 milhões por dez anos aquecem um pouco o mercado que está frio pela segunda offseason consecutiva. O mercado mudou por causa do último acordo coletivo de trabalho e vem deixando a Associação de Jogadores (MLBPA) descontente por causa da falta de investimento de algumas equipes – destaque para o Miami Marlins, que trabalha para ser ainda pior a cada ano. Com o movimento, os Padres se tornam mais um time que está tentando melhorar o seu elenco em vez se se juntar a lista de franquias que optaram por serem ruins para buscar prospectos e altas posições no draft.

O contrato ainda motivará o defensor externo Bryce Harper, outra estrela dessa free agency e que tem agente rival ao de Machado, buscar um acordo tão bom ou melhor que o do infielder, esquentando ainda mais o mercado. De resto, fica a cargo do comissário Rob Manfred descobrir como evitar o beisebol ficar com times péssimos, seja pela mudança da regra do draft ou por outra alteração, além de resolver a questão do tempo do jogo e do alto número de strikeouts em 2018.

Comments
To Top