MLB

Com home run do MVP Robinson Cano, Liga Americana vence Liga Nacional

Robinson Cano

(Crédito: Instagram/Divulgação)

Na décima entrada, a Liga Americana conquistou a quinta vitória consecutiva após bater a Liga Nacional por 2 a 1, nesta terça-feira, no Marlins Park, em Miami. Com o triunfo, a American League empata o histórico de confronto em 43 vitórias para cada lado e dois empates (1981 e 2002). Esta foi a quarta vez que um home run deu a vantagem para uma equipe nas entradas extras. Além disso, cada liga tem 361 corridas anotadas na história.

Com uma rebatida e uma corrida impulsionada em duas aparições ao bastão, Robinson Cano foi eleito o MVP. Craig Kimbrel ficou com a vitória, Wade Davis com a derrota e Andrew Miller com o save.

A cerimônia inicial, que teve duração de aproximadamente uma hora, contou com momentos interessantes. Além da tradicional apresentação dos jogadores, os Hall of Famers de origem latina foram homenageados, sendo apresentados um a um após um vídeo ter sido exibido e eles fizeram o arremesso inaugural para estrelas latinas que participaram do All-Star Game.

O clima ficou ainda mais especial pela animação da torcida. Outro momento marcante foi quando todos no estádio ficaram em pé como parte da campanha da Stand Up For Cancer. Os árbitros homenagearam Steve Palermo, umpire que faleceu neste ano em decorrência de um câncer no pulmão e teve sua carreira interrompida após levar um tiro na coluna durante assalto, o que fez ele ficar paraplégico.

Além disso, a partida foi marcada por algumas homenagens à José Fernández, arremessador do Miami Marlins (time da casa) que faleceu em acidente de barco no ano passado. Carlos Martínez escreveu as iniciais do ex-jogador cubano no montinho e Bryce Harper utilizou uma chuteira com a imagem de Fernández. Uma das surpresas foi quando Nelson Cruz parou o jogo para tirar uma foto com o árbitro principal.

Em termos de jogo, os arremessadores das duas ligas conseguiram fazer um bom trabalho, não cedendo muitas corridas e não permitindo muitas oportunidades de o placar ser movimentado. Em um dos momentos mais difíceis, Dellin Betances lotou as bases na terceira entrada, mas conseguiu sair ileso da encrenca.

Quem abriu o placar foi a Liga Americana. Com dois eliminados, na quinta entrada, Jonathan Schoop conseguiu uma rebatida dupla. No at bat seguinte, Miguel Sano impulsionou a corrida com uma rebatida simples. O jogo estava 1 a 0 para os comandados de Brad Mills, bench coach do Cleveland Indians que estava representando Terry Francona (não pode participar do All-Star Game após passar por cirurgia no coração).

A vantagem da American League não durou muito tempo. Na sexta entrada, Yadier Molina pegou muito bem na bola e a mandou para o outro lado do muro, arrancando o empate. Enquanto percorria as bases, o receptor do St. Louis Cardinals brincou com outros atletas latinos e sua chegada ao dogout escancarou o clima festivo do evento, que não define mais o mando de campo da World Series.

A nona entrada foi repleta de particularidades, mas não definiu o confronto. Na parte alta, a Liga Americana conseguiu colocar um corredor na terceira base após um walk de Kenley Jansen, que fechou o inning com um strikout. Já na parte baixa, Craig Kimbrel deixou corredores nas pontas das bases, no entanto conseguiu sair da situação sem deixar a Liga Nacional anotar corrida.

A entrada extra começou e a partida instantaneamente ganhou emoção. O manager Joe Maddon confiou em seu fechador, Wade Davis, mas a abordagem não deu certo. Como leadoff, Robinson Cano mandou a bola para o outro lado do muro para deixar a partida em 2 a 1 para a Liga Americana. Andrew Miller foi o pitcher que garantiu a vitória.

Comments
To Top