Coluna Bullpen

Bullpen: Yankees têm a chance de voltar aos dias de glória, mas precisam começar já sua reformulação

O New York Yankees está oscilando muito e não vem tendo bons resultados nos últimos anos. Grande parte do problema são os longos contratos assinados com jogadores, que na época rendiam e hoje não estão rendendo mais, contudo o ano de 2018 pode marcar a ressurreição da franquia nova-iorquina. Mesmo assim, a reformulação precisa continuar e, na minha opinião, se intensificar.

O primeiro grande passo de Brian Cashman, general manager dos Yankees, foi construir um infield jovem. O executivo adquiriu Starlin Castro e Didi Gregorius em trocas nos últimos dois anos e eles formam o miolo do campo interno. Para a primeira base, Greg Bird é o nome do futuro. Além disso, Rob Refsnyder e Ronald Torreyes são boas opções.

O buraco em aberto é a terceira base. Chase Headley ganha muito (média salarial de US$ 13 milhões) e não tem correspondido ofensivamente (23,5% em 2016). Uma boa opção é buscar uma troca para achar um jovem, como Joey Gallo (Texas Rangers), ou subir Jorge Mateo das ligas menores e improvisá-lo, ou deixá-lo no banco, permitindo que Torreyes seja o terceira base. Se livrar do salário de Headley também é uma boa opção.

Um reforço que não deu certo na minha opinião foi Brian McCann. Apesar dos home runs, que são importantes, nos seus três anos em Nova York, ele teve aproveitamento abaixo de 23,5%. McCann ainda tem média salarial de US$ 17 milhões e seu contrato só acaba após 2019. O ideal seria mandar ele embora, contratar Jonathan Lucroy, 29 anos, na free agency após essa temporada e deixar Gary Sanchez e Austin Romine disputando a vaga de segundo receptor.

Outro passo importante é renovar o campo externo. Apesar de estar bem até o momento (28,6% de aproveitamento), Jacob Ellsbury vem oscilando muito, seu contrato vai até 2021 e ele já tem 32 anos. Quem sabe uma negociação não possa se traduzir em bons prospectos e aliviar parte da bolada que ele ainda precisa receber. Infelizmente para os Yankees, dificilmente isso irá se concretizar. Caso a troca não seja possível, Ellsbury poderá ser a experiência e a liderança no campo externo.

Algo mais viável é se despedir, com muita dor no coração – beisebol é negócio -, de Brett Gardner. O rendimento dele vem despencando, Gardner pode se tornar uma boa moeda de troca e resultar em um reforço para a rotação titular, que é muito frágil. O Cleveland Indians poderia ser um dos interessados. Aaron Judge, considerado por muitos como o novo Giancarlo Stanton, precisa ter sua chance nas ligas principais.

Algo muito importante a se aproveitar é o dinheiro que vai cair na conta. No final dessa temporada, Aroldis Chapman (está ganhando US$ 11,3 milhões nesse ano), Carlos Beltran (está fazendo US$ 15 milhões em 2016) e Mark Teixeira (está recebendo US$ 23 milhões nesse ano) estarão com seus contratos encerrando. Como acredito que o bullpen precisa ser muito forte, eu buscaria renovar com Chapman, pagando até US$ 14 milhões, sobrando 35,3 milhões para investir. CC Sabathia também pode sair, já que tem uma opção de US$ 25 milhões e uma multa de US$ 5 milhões para o caso dos Yankees não optarem por permanecer com o arremessador, o que significa mais dinheiro disponível.

Passando para a rotação, eu pagaria o buyout para Sabathia sair da equipe, não renovaria o contrato de Ivan Nova, que se tornará agente livre no fim da temporada, e pensaria em uma troca de Michael Pineda, que pode ser utilizada para reforçar o bullpen ou o campo externo. Masahiro Tanaka, Nathan Eovaldi e Luis Severino devem permanecer no elenco, sendo que o último precisa receber muita atenção.

O passo final para a reformulação, além de procurar trocas por prospectos, o que daria a chance de construir uma equipe muito jovem, que duraria anos, e com potencial para conquistar a World Series, seria esperar o contrato de Alex Rodriguez acabar e abrir ainda mais espaço na folha salarial. Nesse meio tempo, novos prospectos irão surgir no farm system.

Não fazer loucuras com o dinheiro disponível e aproveitar bem o mercado de agentes livres será fundamental. Como já citei, Joanthan Lucroy seria uma grande contratação. Gio Gonzalez, Carlo Gomez, Jose Bautista, Andrew Cashner e Yoenis Cespedes, todos com contrato acabando após essa temporada ou com opção de sair do contrato, podem ser boas opções se um contrato razoavelmente bom for feito. Bryce Harper também poderá ser parte do futuro, contudo o contrato deverá ser o maior da história da MLB. Novos jogadores asiáticos também podem surgir.

Aproveitar o desespero de outras equipes por um ano vitorioso pode ser uma das oportunidades utilizadas para boas trocas.

Resumindo, o New York Yankees precisa aproveitar que jogadores com contratos caros estão de saída e aproveitar para renovar com suas maiores joias e manter os grandes nomes. Continuar reforçando o bullpen, reformular a rotação e tentar colocar os prospectos em campo podem resultar em uma nova geração vitoriosa, como a de Derek Jeter, Andy Pettitte, Jorge Posada e Mariano Rivera. Basta continuar a renovação e tentar evitar loucuras contratuais.

Obs: Todas as estatísticas foram retiradas do site da MLB e as informações de contrato do Spotrac.

Comments
To Top