MLB

Maluco, Brodie Van Wagenen é o general manager mais empolgante da MLB

Brodie Van Wagenen, general manager do New York Mets

(Crédito: Instagram/reprodução)

Desde o primeiro minuto que deixou o mundo dos agentes, Brodie Van Wagenen vem movimentando o New York Mets e, em sua decisão mais recente, ele contratou Marcus Stroman.

Este era o principal arremessador cotado para ser trocado até amanhã (31), uma vez que nomes como Madison Bumgarner e Trevor Bauer dependem ainda da definição do que seus respectivos times esperam para o resto da temporada.

A jogada foi uma tacada de mestre e totalmente fora dos padrões da MLB.

Começando pela análise pura da troca. Simeon Woods-Richardson é um ótimo prospecto, contudo, ele tem mais alguns anos (pelo menos uns três) para chegar na liga principal e os planos da equipe do Queens são mais imediatos.

Já Anthony Kay é projetado como um pitcher de final de rotação titular. Além disso, apesar de ele ter anotado ERA de 1,49 em 12 jogos na Double-A neste ano após se recuperar de cirurgia Tommy John, seu desempenho foi de 6,61 em 31 1/3 entradas na Triple-A. As lesões e as dúvidas se ele irá se fixar na MLB já abalizam a troca.

A barganha ganha mais poder quando se pondera que Marcus Stroman tem mais um ano de contrato com um valor previsível entre US$ 12 milhões e US$ 14 milhões.

Junto com isso, um bônus: o principal nome do mercado está fora de rotação e o preço de Noah Syndergaard pode aumentar.

Com menos concorrência, Brodie Van Wagen tem mais poder de barganha na negociação e já se sabe que ele quer um pacote similar ao que os Rays receberam por Chris Archer. Jogadores de Major League ou muito próximos disso (como Clint Frazier, dos Yankees, ou Andrew Benintendi, dos Red Sox) devem chegar.

Dessa forma, com uma negociação que ninguém esperava, o executivo do time nova-iorquino consegue ainda sonhar com uma possível reação em 2019 (está 6 jogos atrás na intensa briga pelo Wild Card) e garante que o cenário não é de terra arrasada.

Bons nomes devem chegar em trocas envolvendo Syndergaard e Zack Wheeler, deixando a base pré-formada para o próximo ano. Um movimento parecido foi o do seu rival de cidade em 2016 (não é que acertei?), quando conseguiu nomes como Miguel Andujar e Gleyber Torres e se reergue em 2017.

Por fim, mesmo com Thor tendo números mais consistentes nas estatísticas e sendo um arremessador com melhor repertório, Marcus Stroman é um jogador especial.

Apesar de ter ERAs inconsistentes na carreira, ele nunca teve um DRA (média de corridas merecidas) inferior a 3,66 ou superior a 4,19, além de ter se notabilizado pela habilidade de forçar contados fracos e manter a bola em campo em vez de ser uma máquina de strikeouts.

Neste ano, Stroman tem o quinto melhor ERA da Liga Americana (2,96) e tem média de 0,7 home runs cedidos por nove entradas justamente na era em que mais temos home runs na história da liga.

Brodie Van Wagen deu uma taca interessante, ousada, mas precisa continuar o seu plano e atingir os resultados esperados.

Comments
To Top